Beto no FC Porto


A equipa de futsal está mais próxima agora que já temos 4 guarda-redes na equipa principal

Palavra de honra que não entendo. Tenho uma desconfiança natural quanto a guarda-redes pequenos (arghhhh Rui Correia arghhhh) e Beto não é excepção. Não acredito que tire o lugar ao Helton, e isto significará, na minha leitura, que Nuno vai sair para terminar a carreira noutro lado, o que faz com que percamos mais um símbolo de união no balneário.
Ou a dar ouvidos às últimas notícias do outro lado da fronteira…o Beto vem para ser titular, o que me assusta ainda mais.
Não tenho dúvidas quanto à qualidade do Beto, mostrou-o este ano e deveria inclusivamente ser o titular da Selecção porque é de facto o guarda-redes português em melhor forma…mas daí a ser titular do FC Porto vai um caminho bem longo.
Enfim, como sempre vou dar tempo para o rapaz mostrar o que vale. Força, jovem!

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Tomás Costa


TOMÁS COSTA

Este é uma incógnita. Tomy parece que está sempre a quebrar a virgindade competitiva quando entra em campo, nervoso, incerto, nunca sabe quando deve passar ou guardar a bola…mas nada se pode apontar em termos de empenho e de correrias loucas no terreno de jogo. É mais um dos jogadores que chegam ao Porto vindos de equipas mais pequenas e que quando se apanham com a obrigatoriedade de mostrar serviço começam a ficar com receio de serem apontados a dedo e acabam por tomar más decisões que lhes custam o lugar. Pronto, é o Mariano v2!
Apesar da tremideira, gosto do rapaz. Certo, tem ar de quem acabou de fugir de Auschwitz mas é bom moço e esforça-se muito. Para além disso é polivalente, o que dá muito jeito…ainda me lembro do jovem a jogar a defesa-esquerdo contra o Leixões no Dragão, até o Jesualdo decidir dar mais brilho ao campeonato quando colocou lá o Mariano…ah, isso é que foi um jogaço…
Deve ficar no plantel, vamos ver se o segundo ano é melhor que o primeiro. Só depende dele…
VEREDICTO: BAÍA

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Andrés Madrid


ANDRÉS MADRID

Por muito que tente resistir, cá vai: é um menino do Jesualdo. Não acredito que o Porto o tivesse ido buscar a não ser por pedido expresso do treinador. Não é que seja mau jogador, mas não creio que seja o trinco que precisamos, tendo em conta as exigências físicas da posição segundo a táctica que actualmente utilizamos. Tem um bom toque de bola e faz-me lembrar Kulkov por vezes, muito bom a passar a bola, pachorrento quando é preciso correr. Além disso, acho que lhe falta aquele bocadinho extra para ser um jogador que possa jogar no FC Porto a um nível de regularidade que precisamos. Creio que não deveria ficar no plantel porque se arranja bem melhor para competir com o Fernando.
VEREDICTO: BARONI

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Raul Meireles


RAUL MEIRELES

Não foi com grande surpresa que o jogador mais tatuado do FCP se assumiu como uma das figuras da equipa, muito por culpa da não-época de Lucho. Apesar de ter perdido um pouco daquele edge agressivo que muito o estigmatizou quando chegou vindo da panterada, conseguiu marcar a diferença pela inteligência e pelo empenho. É actualmente um elemento fundamental no plantel e na equipa principal, ocupando um lugar que durante vários anos foi de Maniche, e apesar de todos quererem que Meireles suba mais no terreno, nota-se ainda alguma prisão de movimentos pois tem constantemente de ajudar Lucho a tapar os espaços em termos defensivos. Com um forte remate, ainda que quase sempre mal direccionado, acaba por marcar alguns golos e fazer uma época de afirmação, que lhe vale a titularidade na Selecção de Queiroz. Vamos ver se para o ano continua na mó de cima, continuo a gostar do rapaz e a defendê-lo quando discuto futebol com o meu pai, que diz sempre “este gajo não vale nada, nem faz nem deixa fazer”. Discordo. Faz, deixa o Lucho fazer mais e impede que os outros façam muito. Além do mais já se tornou um símbolo do plantel e é um dos jogadores com quem a massa associativa se relaciona melhor. Continua, Raul!
VEREDICTO: BAÍA