Know your enemies

Em vésperas do nosso arranque na Liga, vamos dar uma olhadela pelos oponentes que vamos ter de defrontar nestas próximas 30 jornadas:


Académica – A equipa do nosso ex-capitão perdeu vários titulares (Cedric, Adrien, Diogo Valente, Éder, Abdoulaye…) mas como já vimos na Supertaça está com vontade de jogar e é rija do meio-campo para trás. Despacharam muitos lusos e trouxeram outros tantos brasileiros, continuando a tradição portuguesa de contratar à francês, mas com a fonte noutro continente. Cuidado com o Makelele que tem nome de jogador e pitões de Petit.

  • Estupores a ter em conta: Makelele, João Real.
  • Melhores nomes: Magique, Ogu e Nivaldo.

Beira-Mar – Uma equipa sem grandes nomes, agora que Artur, talvez o jogador mais perigoso no ataque, saiu para a Ucrânia. Entraram árabes, malaios, benin…enses (?) e mais alguns, mas tenho sempre algum receio que os nossos rapazes se armem em vedetas e facilitem contra estes conjuntos de “ninguéns” que depois se tornam bem complicados. E qualquer equipa que tenha o Hugo no plantel é uma equipa matreira. Velha, mas matreira.

  • Estupores a ter em conta: Joãozinho, Dudu.
  • Melhores nomes: Sasso, Nazmi Faiz, Koukou, Rafael Batatinha.

Benfica – Com a maior concentração de extremos na Europa desde os 1930s, os vermelhos avançam para esta temporada com dois anos de atraso em relação ao último título. Bem reforçados nalgumas zonas, continuam sem alternativas na lateral-esquerda e no meio-campo de transição (e se Witsel sair…óptimo!). Um ataque muito produtivo, que muitas vezes compensa alguma desconcentração defensiva. É o grande rival e para lá do onze titular terão um banco fortíssimo este ano.

  • Estupores a ter em conta: Aimar, Witsel e Maxi.
  • Melhores nomes: Melgarejo, Garay, Ola John, a dupla Luisão/Luisinho.

Braga – Sai Jardim, entra Peseiro, e não faço ideia no que vai dar. Podem fazer uma boa época, podem afundar-se cedo. Uma coisa é certa, tem um conjunto de jogadores experientes, com Hugo Viana, Custódio, Alan, Lima e o resto dos rapazes a darem garantias de um plantel forte. O meio-campo divide-se em dois blocos bem diferentes: os assassinos e os criativos. Djamal, Luís Alberto e Custódio de um lado, Hugo Viana, os dois Rubens e Mossoró do outro. Quim/Beto vão dar uma boa luta na baliza, aposto. Continuo a achar o Alan sobrevalorizado.

  • Estupores a ter em conta: Custódio, Lima, Éder.
  • Melhores nomes: Mossóró, Ismaily, Douglão.

Estoril – No ano passado fizeram um bom jogo no Dragão e só lhes ganhámos graças à inspiração do Givanildo. Rijos, estáveis, vencedores da II Liga em título, estarão a pensar em ficar por cá mais que um ano. Licá continua a ser um bom jogador mas as chegadas de Hugo Leal e João Paulo podem não ser suficientes para os manter na I Liga. Perder pontos com eles é imperdoável.

  • Estupores a ter em conta: Licá, João Paulo.
  • Melhores nomes: Gerso, Licá.

Gil Vicente – A única equipa que nos venceu no campeonato passado mudou um pouco a estrutura, com a saída de Hugo Vieira, Pedro Moreira e Zé Luís a mudarem o ataque. Um contentor de brasileiros chegou a Barcelos e não faço a menor ideia do que valem. Cuidado com Cláudio que deve continuar um perigo nas bolas paradas e César Peixoto no concurso para cabelo mais fashion da Liga.

  • Estupores a ter em conta: Cláudio, Tiero.
  • Melhores nomes: Pecks, Halisson, Pio, Luan.

Guimarães – Ah, estes. Continuo a gostar tanto do Vitória como de um furúnculo no ânus e a verdade é que a equipa é uma incógnita. Montes de gente nova e uma grande parte daqueles imbecis que nem precisamos de aprender a odiar sairam do clube. Que faremos agora sem Nuno Assis, Nilson ou João Alves nos relvados da nossa Liga? O ar certamente será mais respirável, não duvido. Alguns nomes conhecidos mas pouca informação sobre os novos. Espero para ver.

  • Estupores a ter em conta: N’Diaye, El Adoua, Barrientos.
  • Melhores nomes: Leonel Olímpio, André André, Amido Baldé.

Marítimo – Com David Simão e Ruben Brígido como únicas contratações sonantes, o Marítimo tenta manter-se vivo e desperto num campeonato que vê naquelas camisolas a única pseudo-representação das cores nacionais a ser exibida na bela ilha da Madeira. Mesmo assim não consigo dissociar a equipa do seu capitão, Briguel, um daqueles idiotas que ano após ano continua a receber dinheiro para representar o seu clube sem ninguém conseguir perceber muito bem porquê. As saídas de Roberto Sousa e Peçanha podem ser importantes e difíceis de substituir.

  • Estupores a ter em conta: David Simão, Ruben Brígido, Sami.
  • Melhores nomes: Olberdam, Héldon, Fidélis.

Moreirense – O Boavista verde chega de novo à Liga com a vontade de por cá ficar. Um plantel quase desconhecido a este nível, mas a experiência na segunda Liga vai poder mostrar ao país (via SportTV) que os inimigos figadais dos de Guimarães estão prontos para uma luta que se adivinha complicada.

  • Estupores a ter em conta: Fábio Espinho, Tales, Pablo Olivera.
  • Melhores nomes: Jô, Pintassilgo, Tales.

Nacional – A equipa do nevoeiro continua a viver cheia de saúde e com dezenas de novos jogadores a chegarem ano após ano. A saída de Neto e Ricardo Fernandes faz renovar a defesa e Pecnik e Anselmo desfalcam o ataque, mas a permanência do badocha mais sobrevalorizado do nosso campeonato (Mateus) faz deles mais uma vez uma equipa perigosa para o meio da tabela. E que por favor comprem um desumidificador em condições para quando lá formos jogar se possa ver pelo menos vinte minutos de jogo.

  • Estupores a ter em conta: Candeias, Rondón, Mihelic.
  • Melhores nomes: Ass Sy (o melhor de todos os nomes), Isael, Revson, Mexer.

Olhanense – Com Sérgio Conceição a ficar/ir/lutar/treinar, a época parece arrancar difícil, apesar da vitória de ontem. Com Ricardo na baliza, Nuno Reis na defesa, Fernando Alexandre no meio-campo e Targino na frente, só faltam mais sete gajos para criar uma equipa digna de lutar para ficar na Liga. Poucas mais serão as aspirações dos rapazes lá de baixo, ainda assim aprecio o futebol lutador e empenhado, com defesas recuadas e meio-campo a tentar pôr a bola em órbita. Enfim, Wilson Eduardo e Salvador Agra farão falta.

  • Estupores a ter em conta: Nuno Reis, Fernando Alexandre.
  • Melhores nomes: Yontcha, Abdi, Babanco, Boka.

Paços de Ferreira – Mais uma temporada para o Paços na Liga, o que acaba por ser extraordinário tendo em conta o orçamento e o investimento feito em jogadores novos. Saem Melgarejo para jogar no Benfica, juntando-se a ele Michel e Luisinho para não jogarem no Benfica. Mas ficam dois dos maiores assassinos do futebol português: André Leão e Filipe Anunciação. Não gosto daqueles gajos.

  • Estupores a ter em conta: Caetano, Cohene, Antunes.
  • Melhores nomes: Uillian Correia, Abdullah Alhafith.

Rio Ave – Muito sangue novo, muita juventude e acima de tudo um treinador novo que vai tentar dar um ar da sua graça (get it? Espírito Santo? bah…) a uma equipa que tinha a marca de Carlos Brito desde há alguns anos. Acima de tudo tem nomes desconhecidos mas muita experiência, com Vitor Gomes, Tarantini, Vilas Boas, Rodriguez e João Tomás a assegurar a passagem para o que parece ser uma nova geração. A seguir com atenção.

  • Estupores a ter em conta: João Tomás, Del Valle, Filipe Souza.
  • Melhores nomes: Tope Obadeyi, Feliz, Wires, Lionn.

Setúbal – Sem dinheiro para mandar cantar um cego paralítico nas ruas de Kandahar, lá vão sobrevivendo com ajudas de vários lados e promessas eternas de sanearem as contas. Saiu Miguelito (mais um idiota emigrante), Hugo Leal, Djikiné e Neca, mas entraram…montes de fulanos que nunca ouvi falar. Jeitosos? Talvez. Mais uma enorme incógnita que vai andar pelo nosso campeonato a bombear bolas para a frente e esperar ter sorte. E esses costumam ser os mais tramados.

  • Estupores a ter em conta: Bruno Amaro, José Pedro.
  • Melhores nomes: Sassá, Meyong, Gallo.

Sporting – Nunca se sabe o que se pode esperar do Sporting. Futebol de levantar estádios, gravíssimas falhas defensivas, golos do outro mundo e reclamações quixotescas contra moínhos que eles próprios edificam. Mas o plantel parece ter qualidade e talvez tenha apenas faltado alguma estabilidade à equipa para começar a jogar bom futebol. Compraram experiência para a zona defensiva e no ataque estou curioso com Viola e Labyad, mas creio que vai ser a época de Carrillo. Podem estar lá na frente para nos chatear a cabeça e com alguma sorte até chegar ao título. Não vamos deixar que isso aconteça, estejam descansados. Ah, e saiu o João Pereira. Praise the Lord!

  • Estupores a ter em conta: Izmailov, Rinaudo, Carrillo.
  • Melhores nomes: Labyad, Viola, Xandão, Boeck.

Porta19 entrevista Gonçalo Cabral (www.briosa.net)

Regressa a época e estão de volta as entrevistas a bloggers ou gestores de sites afectos aos nossos adversários. Desta vez convidei Gonçalo Cabral, um dos autores do blog “Simplesmente Briosa”, que podem visitar em www.briosa.net, e que por ser um blog de referência no panorama academista merece abrir as goelas para quem quiser ouvir/ler e conhecer um pouco mais do que vai pela alma do nosso próximo oponente. Vamos a isso:

 

Porta19: Quais serão as principais diferenças estruturais entre a Académica que venceu a Taça no Jamor e a que vai aparecer no Municipal de Aveiro para a Supertaça?

Gonçalo Cabral: A principal quanto a mim vai para um jogador que nos deixou e que tem um passado ligado ao Porto curiosamente: Diogo Valente. A capacidade de meter a bola literalmente onde queria com o pé esquerdo faz com que provavelmente a equipa até deixe de jogar com dois extremos e mude consideravelmente o 4-3-3 que foi usado durante toda a época passada. Depois há mais algumas mexidas claro, a saída do Cedric faz a equipa perder capacidade ofensiva por aquele flanco, a falta do Adrien é impossível de colmatar individualmente e vai ter de ser através do colectivo e até a saída do David Simão pode não ser assim tão fácil de preencher. Resumindo, é uma equipa que neste momento não é ainda um bom conjunto e que terá uma arranque difícil mas que pelos novos jogadores que tem, confirmem-se estes como mais valia – pode arrancar bons resultados..

 


Porta19: Elementos como Diogo Valente, Adrien ou Cedric, importantes na equipa no ano passado, estão a ser bem substituídos?

Gonçalo Cabral: Pois, vem um bocadinho na senda do que tinha dito na resposta anterior. O Diogo Valente faz tanta falta que vai fazer a equipa mudar de sistema. Colmatar a saída do Adrien era como o Porto há 3 anos ter colmatado a saída do Lucho… era difícil, mas não pode haver insubstituiveis. Já o Cedric ainda estamos à espera de uma lateral direito (já que vocês têm excesso se quiserem podem emprestar aos pobres :) ).

 

 

Porta19: Pedro Emanuel continua a ser uma boa aposta para 2012/2013? A época passada foi inconstante mas produtiva com a manutenção na Liga e a vitória na Taça, será que este ano podem aspirar a uma melhor classificação no campeonato?

Gonçalo Cabral: O Pedro Emanuel será um excelente treinador, o único problema é que ainda não o é. Falhou o ano passado na gestão de alguns pormenores que nunca lhe foram ensinados numa equipa como o Porto porque simplesmente não acontecem na vossa estrutura, e se calhar é dessa organização que advém muito do sucesso. Estou a falar de jogadores como o Eder que fizeram birra e nós aqui não temos os SuperDragões para os mandar a casa deles portanto temos mesmo de os aturar. Estou a falar da saída do Sissoko também… no Porto muito raramente um jogador importante sai a meio da época porque a estrutura é pensada para isso não acontecer. Esses pormenores mais a falta de gestão de uma ou outra situação de balneário (algumas relacionadas com essas saídas) fez com que o rumo depois de Janeiro fosse difícil de seguir para alguém inexperiente. Este ano tenho total confiança no trabalho que vai fazer, mas nem todos os académicos sentem o mesmo. A ver vamos.

 

Porta19: Como estás a ver a entrada directa para a fase de grupos da Europa League? Pode ser uma excelente fonte extra de rendimentos e exposição mediática ou vai ser apenas uma dose de seis jogos com poucas oportunidades de brilhar?

Gonçalo Cabral: Sejamos realistas:as hipóteses de passarmos a fase de grupos são uma em dez ou vinte. Mas qual é a alternativa? Ir para lá já a perder? O contrário, é ir para lá com a convicção que estamos a ganhar seja qual for o resultado e nunca perdendo a noção dos palcos que estamos a pisar pela primeira vez em muitos anos. Lia há uns anos o Jesualdo no início das presenças do Braga na UEFA que dizia que o importante não era ir longe na prova, era ganhar experiência e garantir que no ano seguinte se voltava lá para usar essa experiência. Espero sinceramente que assim seja e que também os dirigentes da Académica vejam isso que o Jesualdo Ferreira viu há uns anos e que resultou no sucesso que hoje todos conhecemos.

 

Porta19: Algum dia fará sentido regressar a “velha” regra dos jogadores profissionais conjugarem o futebol com uma inscrição num curso na Associação Académica?

Gonçalo Cabral: Não é tão velha assim essa regra. Nos anos 90 a Académica teve uma equipa com 18 estudantes num plantel de 23 só que os media preferem saber o que é que o João Pinto comia ao almoço. Ainda o ano passado jogámos a final da taça com nove portugueses de início, três deles jogadores estudantes, dois da formação do clube, depois de em Janeiro termos ficado sem dois titulares também vindos das camadas jovens. Portanto apesar da ideia que se passa a mística da Académica ainda não está banalizada. Quanto à pergunta em si ainda assim penso que é possível aumentar este número. Hoje um jogador profissional de futebol treina duas horas por dia, fica com o tempo restante livre para descansar e fazer a sua vida. Se eu conheço tanta gente que trabalha 7 ou 8 horas e estuda porque é que um jogador de futebol não pode fazer o mesmo ainda para mais sem problemas financeiros que o impeçam se demorar 6 ou 7 anos para tirar um curso de 3? E acho que na crise que estamos esse cenário é bem possível, hoje um jogador na Académica pode ganhar 1500€ durante muito tempo, e são vários nessa situação pelo que para uma carreira curta esse ordenado não garante nada e podemos ter de voltar ao tempo onde é vital ter uma profissão depois do futebol.

 

Porta19: Com a imprensa tão tri-polarizada em Portugal, como é que vês o desprezo a que são votadas as equipas de dimensão mais pequena?

Gonçalo Cabral: Com naturalidade. Sou um total defensor do capitalismo (não da maneira que hoje se diz mas no seu principio) e a imprensa são negócios. O Benfica vende mais tem mais espaço, o Porto e o Sporting vendem muito têm muito espaço, os mais pequenos vendem menos têm menos espaço, o Cascalheira não vende não tem espaço. Claro que o fácil e à moda do tuga é queixarmo-nos da imprensa em vez de olharmos para nossa casa e perguntar “Como raio é que eu posso ser um produto mais atractivo para as pessoas e para os media? Como posso aumentar assistências, fortalecer a imagem da marca (Académica neste caso) e consequentemente aumentar o espaço disponível? Precisamos de vender mais e este é um principio que se aplica a um clube tal como a uma empresa. Se uma empresa não aparece nos jornais não se vai queixar, vai dar a volta à questão mas o dirigismo português prefere chorar-se em vez de baixar preço dos bilhetes, cativar pessoas… fazer marketing! Já chega de queixumes.

 

Porta19: O Simplesmente Briosa é um dos maiores blogs afectos à Académica, focando-se não só no futebol mas também nas outras modalidades do clube. Como é que se conjuga o amor pelo clube com a vida do dia-a-dia?

Gonçalo Cabral: Modéstia à parte não é dos maiores, é neste momento o maior quer em comentários quer em visitas e nem vou mais longe que isto (bolas, não podia estar a “impingir” a venda da marca na pergunta anterior e agora fazer-me de coitadinho). Quanto a conjugar é simples, assume-se como se fosse a conta da TV Cabo ou de outra coisa que paguemos para usar. Neste caso não costumo pagar só em dinheiro, é principalmente em tempo gasto, mas é do tempo mais bem gasto que passo e tenho a certeza que os meus companheiros pensam o mesmo.

 

Porta19: Ainda há esperança para a maioria dos blogs Portugueses de futebol ou a inspiração está a definhar em função das redes sociais e dos fóruns de discussão?

Gonçalo Cabral: Completamente. Voltamos à conversa do coitadinho e que assim é difícil e não sei o que mais. Os blogs permitem ter uma qualidade que as redes sociais não permitem, sobretudo ao nível de opinião. O blog que se limitar a copiar notícias dos jornais vai morrer, mas o que fizer uma selecção das notícias, as que conseguir resumir bem e ainda acrescentar espaços de opinião com pessoas minimamente consensuais arrisca-se até a roubar espaço a alguma imprensa. Venda-se neste caso o produto “Blog/site” com os atributos da qualidade e use-se as redes sociais para a potencialização disso mesmo. Hoje é até possível conjugador comentários nas redes sociais e num post, porque é que elas hão-de ser as assassinas dos blogs e não as difusoras que os aproximam das pessoas? Trabalhemos com qualidade e sem medos, modéstia à parte, o Simplesmente Briosa tem uma média de 700 visitas com picos de 2000 num só dia. Num clube com a dimensão da Académica (tem 4 mil sócios pagantes) e que tem mais de 8 ou 9 blogs concorrentes, conseguimos ter isto, enche-me as medidas obviamente. Sabe de onde vêm os picos de 2000 pessoas? Quando a notícia/opinião que publicamos se começa a espalhar nas redes sociais. Afinal são amigas…

 


De notar que o Gonçalo deu outra entrevista a um blog do FC Porto, o Dragão de Ouro, em que o Daniel, gestor do estaminé, se antecipou a mim e teve o bom gosto de escolher o mesmo interlocutor. Para terminar, um agradecimento ao Gonçalo pela forma descomplexada com que respondeu às perguntas e pela disponibilidade em tirar um pouco de tempo da sua agenda para me aturar. Um clube da dimensão da Académica merece adeptos como ele e muitos outros que abdicam de algum do seu tempo para escrever e trabalhar em prol do seu amor clubístico. Os meus parabéns. E um pedido de desculpas antecipadas pela derrota na Supertaça. Ai deles.

Outras entrevistas publicadas a bloggers adversários no passado: