Ouve lá ó Mister – Paços de Ferreira

Mister Paulo,

Bons dias, caríssimo. Parece que há jogo no Dragão hoje à tarde e tenho a certeza que vais estar lá, no banco onde tantos outros aspiram a estar, ao lado de jogadores que milhares de equipa por esse mundo fora matariam a avó e os cães para os terem nas suas formações, usando o fato oficial do clube que agora te paga o ordenado. E devo dizer-te que até agora, poucas têm sido as vezes em que olho para ti e vejo um treinador que de facto consegue fazer encher de orgulho o peito de muitos portistas, e incluo-me nesse lote. Começas a ter pouco tempo para te livrares deste que foi dos piores inícios de época que me lembro. Não sou propriamente um gajo de muita idade, mas do alto dos meus trinta e tais já acompanhei dezenas de arranques, muitos deles com treinadores novinhos em folha, e não me estás a dar grandes motivos para te bater palmas de pé. Nem sentado. Nem numa espreguiçadeira com meia-dúzia de mojitos e gajas com saias de palha a abanar gigantes folhas de palmeira enquanto suaves melodias polinésias ecoam no fundo, complementando o som do mar a galgar as delicadas areias de uma qualquer praia num paraíso distante. Nota-se que estou farto da chuva?

E já viste a cabrona da coincidência cósmica do jogo de hoje? É isso mesmo, hoje jogamos contra a tua antiga equipa, com quem terminaste o campeonato num honroso terceiro lugar…e vais defrontá-los ocupando exactamente esse mesmo terceiro lugar! É do caralho, não é, Paulo? E se não estivesses no FC Porto mas sim no Chaves ou no Belenenses, ou até mesmo numa outra equipa com o título oficial de “meh, who cares?”, isso seria um feito digno de telefonar para casa e contar à mãe para ela deixar de te comer a cabecinha por teres escolhido uma profissão tão desgastante. Mas não é. É trampa, Paulo. Estar em terceiro é equivalente a esterco no nosso clube desde há muito tempo e por isso espero que hoje recuperes pelo menos dois pontos em relação aos fulanos da capital que ao que parece vão jogar entre eles quarenta e cinco minutos antes de os teus entrarem em campo. Só espero que não se atrasem, seria uma forma de troçarem das instituições e blá blá blá verdade desportiva yadda yadda yadda os dentes da Thatcher e coisas do género. Entra para ganhar, arruma com os gajos e faz-nos acreditar que ainda podemos lá chegar. A minha esperança, como sabes, não anda nos seus melhores dias.

Dou-te duas opiniões tácticas para terminar: tira o Licá da ala, teve piada durante algum tempo, já todos nos rimos, mas já chega. E já que não tens o Carlos Eduardo, que tal experimentares o Quintero a titular? Nunca se sabe, pode ser uma boa surpresa!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Estoril

Mister Paulo,

O jogo da Madeira foi um belo naco de trampa. Uma equipa sem ideias, sem construção de jogo, com uma dinâmica digna de nove tetraplégicos, o Helton e o desgraçado do Quaresma que queria fazer tudo sozinho. Foi penoso de ver para qualquer pessoa e então para um gajo que vive o clube como eu e tantos outros vivemos…rapaz, estás no mau caminho. E não me parece que seja só do mercado e da forma como a SAD está a tratar dos casos pendentes, para lá dos negócios de milhões que afinal não aconteceram ou das vontade de A ou B em ficar ou sair. És tu, Paulo, que não estás a conseguir pôr os gajos a jogar um futebol em mínimas condições. És tu, Paulo, que falas com os gajos e eles ou não te ligam ou não percebem o que estás a dizer. E nós, a malta que fica de fora, não está a gostar nada.

Este jogo é mais uma prova que tens de atravessar para recuperares a imagem de um treinador que impõe uma ideia, um estilo de jogo, uma concepção de uma estratégia que seja visível, implementável e executável. Até agora não vi nada disso. Vi que convocaste o Mikel e tenho gostado muito de o ver na B, mas não acredito que o ponhas a jogar em vez do Fernando. O que acredito, e custa-me muito dizê-lo, é que vai ser mais um jogo “à Porto do Fonseca”. Lento, desinspirado, triste, com jogadores e sem equipa. Convence-me que estou enganado e mostra que ainda consegues acender fogo no rabo dos teus pupilos. Nós, cá fora, continuamos a ser portistas e a acreditar que é possível virmos a ver bom futebol este ano. Mas começamos a perder as esperanças…

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Marítimo

Mister Paulo,

Andei a acompanhar a janela de transferências como o resto da malta que gosta da bola e devo dizer que de ano para ano se torna mais fastidioso e menos interessante. Voam tweets, pseudo-notícias, comentários, falácias, rumores, histórias fantásticas e confirmações negadas durante um dia inteiro e um gajo chega ao fim e não tem nada com que entreter a tomateira sem ser a amável mão que a vai coçando. Ao que parece despachámos Marat, Lucho e Vion e ficamos com o resto. Seja. É com estes que vais chegar ao final da temporada, porque parece não haver dúvida que estás a navegar esses mares agitados com sabe-se lá que capacidade prá faina que mostras ter. As unhas são tuas e a guitarra está aí à tua frente, por isso toca, homem, toca!

E hoje, ao que parece, há jogo. E depois de apanhares uma espécie de Marítimo recauchutado no passado fim-de-semana, vais agora levar com toda a força dos ilhéus sem que se perceba muito bem se estás pronto ou não. A “vitória à Porto” de que falaste o sábado pode voltar para te morder no rabo se não conseguirmos ganhar a estes gajos no campo deles. Nunca é fácil ir lá jogar e como o tempo parece que não quer ajudar ninguém, encaro este jogo com alguma desconfiança. Lembra-te que estamos três pontos atrás da mourada e um atrás dos lagartos por isso não se pode perder nem uma pelezinha de contacto com eles. Não vais ter Fernando mas tens o Defour. Não tens Otamendi…mas também já não o ias pôr a jogar e não, certo? Certo.

Manda os gajos esquecer o mercado. O que interessa agora é jogar.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Marítimo

Mister Paulo,

Estamos todos até à tampa com esta tralha. Taças e mais taças atrás de nós e um gajo que só quer saber do campeonato e de jogos com a estranja já começa a ficar enfastiado com estas competições de brincadeira que só servem para os clubes mais pequenos darem histórias aos felizardos que lá conseguiram marcar um golinho por intervenção divina ou porque o nosso guarda-redes bebeu um fino a mais ao lanche. É cereal, também conta! Posso estar a ser um nadinha arrogante, mas cada um tem as suas prioridades e as minhas já sabes quais são: campeonato > europa > taças > amigáveis > treinos > concursos de karaoke no balneário. Mas compreendo que queiras continuar a ganhar coisinhas, como a Supertaça, por isso força nisso.

Já vi que encostaste o Licá para este jogo, o que francamente não me aquece os ânimos. Tendo em conta que convocaste no fundo aquelas que consideras as opções mais válidas ao teu dispôr, só posso concluir daí que estás a levar isto mais a sério que eu. E se queres ficar acima de Jesualdo, Villas-Boas ou Vitor Pereira (pelo menos nesta competição), tens de ganhar o jogo e com alguns golos para adicionar à conta. O Sporting vem a Penafiel com vontade de nos passar a perna e tu não podes deixar, por isso fiquei admirado quando não convocaste pelo menos mais um rapaz de ataque, mas como sempre tu é que escolhes, por isso deixo nas tuas mãos a nossa putativa passagem à próxima fase. Olha a responsabilidade, carago!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Setúbal

Mister Paulo,

Que puto de tempo que nos molha o corpo e infecta a alma com o ruído do trovão e a inclemente fúria da chuva persistente! Se o temporal que caiu no Dragão na passada quarta-feira lhe apetecer dar mais um salto a esse tão nobre recinto hoje pelo início da noite, vamos ter um espectáculo daqueles à antiga, dos que me lembro tão bem ter apanhado nas velhinhas Antas, com aguaceiros assassinos, saraivadas agressivas e noites em que só se via a Lua a partir dos topos das montanhas. O Norte é fodido, pá, até nisto.

Mas mais fodido que o Norte é o povo do Norte. Ui, Paulo, que esses, os meus, são piores que uma noite de trovoada e mais incisivos que um par de dentes da frente. E tu, meu caro, não estás a fazer amigos com muita facilidade cá pelo burgo. É verdade que o Presidente te veio defender e que acredita no teu trabalho (óspois falo sobre a entrevista do homem, que ainda não vi nem ouvi por completo), mas até ele vai começar a pensar duas vezes se o futebol não melhorar. Sim, melhorar, porque chegar a um nível condizente com o que a malta está à espera daquelas camisolas azuis-e-brancas…acho que é um pipe-dream, pelo menos este ano. Estou certo? Não achas? Ainda é possível?

Acredito em ti, Paulo. Não tenho tido grandes motivos para isso e tu certamente não me tens dado a moral que precisava para chegar a esse ponto, mas hoje, no início da segunda volta, podes começar a mostrar que estamos no caminho certo. Atrasado, é verdade, mas ainda a tempo de fazer boa figura. Mais ou menos. Ganha lá o jogo, dá uma boa prenda de aniversário ao Lucho e deixa-nos sonhar um bocadinho.

Sou quem sabes,
Jorge