Mas que besta!

“Jogámos contra uma equipa que recusou jogar futebol. Deu-nos a bola, tivemos muita posse de bola, mas não conseguimos criar oportunidades, porque eles defenderam bem. Ainda assim tivemos uma oportunidade clara, quando deveria ter sido marcado penalty sobre o Carlos Vela. Já se viu que 5 árbitros não é a resposta para estes problemas. Foi muito desapontante para nós, claro.”

“O futebol é assim. Se jogarmos dez vezes com o Sp. Braga ganhamos oito ou nove. Mas hoje foi essa décima vez.”

“Eles venceram, venceram. Nada mais. Mas o momento do jogo é o penalty que não é assinalado. O árbitro teve algumas decisões surpreendentes.”

É já um hábito lermos louvores na imprensa a este anormal pela sua capacidade de liderança, blá blá lança os jovens blá blá e o Arsenal joga muito, entre outras semi-verdades. O que também é verdade é que sempre que põe as patas em território luso, o pseudo-intelectual francês rebaixa o nosso futebol, minimiza as nossas vitórias e culpa o árbitro pelas suas decisões arrogantes.

Nada me daria mais prazer que ver Arséne Wenger a ser pendurado da Torre de Londres pelos tomates. É do tipo de gajo que se calhasse de o ver envolto em chamas, não urinava para cima dele para as apagar.

Nojo.

PS: Parabéns ao Braga. Lutaram, foram rijos e eficazes. Tivessem-no feito em Londres e a história agora era diferente…

7 comentários

  1. Boas !

    ainda me lembro da raiva que senti quando ele sorria com os falhanços que os seus jogadores iam tendo num massacre (julgo que foram 4 mas podiam ter sido muitos mas mesmo muitos) que o FCP teve em londres…era a raiva por ver o meu clube a ser humilhado em campo(obrigado inventor Jesualdo e ainda infelizmente conseguiu a "proeza" em dois anos consecutivos)e fora dele por este francês…em 28 anos de portismo, nunca saí mais cedo do estádio e pela TV nunca deixei de assistir a um jogo até ao fim, mas naquele "célebre" jogo do sorriso, após esse instante fiquei num tal estado que tive de desligar o aparelho :-(

    ontem o monsieur esqueceu-se que antes do penalti era fora de jogo…infelizmente, em termos de mau perder e análise aos jogos, o wenger mais parece um treinador do campeonato tuga que do campeonato inglês…

    bom resultado para o braga…depois da "minha equipa inglesa" (os Spurs) ter calado o Wenger no fim-de-semana, ver agora o grande Domingos a enervar o francês é priceless…considero que são dois bons augúrios para o jogo de sábado e para assistir ao 1º golo do moutinho com a camisola mais bonita do mundo :-)

    quanto ao braga,as hipóteses de qualificação são poucas mas era do outro mundo assistir à vitória do partizan em londres e a um empate do braga da ucrânia…tirava de vez o sorriso ao wenger :-p

    abraço

  2. Bom Post, sem dúvida.
    Bem realçado o facto de o Wenger ser sempre descrito como uma espécie de gentleman, quando o que vimos foi o homem 90 minutos a fazer queixinhas ao 4º arbitro.

  3. culpar o árbitro (com ou sem razão) é mau perder.
    culpar a outra equipa por ter escolhido tentar ganhar o jogo, não fazendo, por isso, o que eles queriam – que era dar-lhes espaço para jogarem e marcarem à vontade – é não saber perder, mas de um modo infantil, do género: se não me deixam ganhar, pego na bola e vou para casa, que ela é minha, e ainda vou fazer queixa ao meu pai, porque vocês são maus e ele depois vem aqui mais os meus tios para vos bater a todos!
    triste…

  4. O engraçado do resumo feito pelo René Artois* do futebol inglês é que ele próprio, e pelas suas próprias palavras, admitiu ser fraco treinador e não ter conseguido engendrar uma táctica que suplantasse a fraca táctica do fraco adversário.
    É o perfeito exemplo do chamado "tiro no pé".

    Depois as desculpas da arbitragem, por amor de Deus e de Alá e de todos os deuses. Pior que ele só os palermas da rtp que tinham dúvidas que Vela deixa a perna "ficar" para cair em cima de Felipe dando ideia que seria por culpa do guardião "português".
    O arbitro que nos pequenos erros que cometeu até pendeu sempre mais para o Arsenal, nesse lance esteve muito bem e não se deixou "comer por parvo", felizmente. Felizmente pois se tivesse caído na esparrela e o penalti fosse marcado e convertido o Braga baixava os braços e o resultado nunca seria o que foi.

    Até me admira é que este tipo ainda seja treinador e não tenha sido enveredado por comentador de tv num programa daqueles em que a especialidade é distorcer a realidade para fazerem crer aos "rebanhos" que a culpa é sempre dos outros, ou até mesmo para fazer uma sitcom de comédia.
    Fica aqui o conselho ao próprio, que ele é capaz de vir a ler isto.

    *René Artois era a personagem de um francês, dono do café, interpretada por Gorden Kaye, na série Allô Allô.

  5. Adoro quando este porco chauvinista francês vem cá, a Portugal, e leva na tromba. É um gajo arrogante e tinhoso. As equipas dele praticam um futebol espectacular, é certo.

    Tem o hábito de trazer os jogadores menos rotinados para cá e ver se ganha. O penalty não existe, só na cabeça dele e de alguns bremeilhos que já vi a achar isso. O vela atira-se assim que se apercebe da proximidade do defesa. Amarelo bem mostrado.

    E depois, sofrer dois golos nos últimos minutos foi excelente!

    Resta-me dar os parabéns ao Domingos que soube interpretar a melhor forma de contornar o ataque do arsenal: encostou a linha média à defensiva e assim deixaram de ter os espaços habituais entre linhas.

Deixar uma resposta