Baías e Baronis – FC Porto 2 vs 0 Vitória Setúbal

foto retirada de desporto.sapo.pt

Parecia feito por encomenda. Os dois reforços que jogaram num onze bastante diferente do habitual (mas provavelmente idêntico ao que vamos ver no próximo Domingo contra o Leiria) acabam por marcar os golos da equipa, com o médio criativo a marcar de longe e o ponta-de-lança a fazê-lo quase em cima da baliza. Conto de fadas futebolístico no Dragão, povo animado, união entre adeptos e jogadores, aplausos, sorrisos, alegria. Alguém se lembra que aqui há quinze dias passamos um momento humilhante a 60 km deste mesmo estádio? No pasa nada e é surpreendente a forma como a chegada de Lucho foi suficiente para animar o povo portista. Ou pelo menos o povo portista que hoje foi ao estádio, uma amálgama de dragões indefectíveis, famílias completas com miúdos, pipocas e hamburgers e jovens casais que aproveitaram os preços baixos para irem ao futebol. Foi uma boa noite no Dragão. Sigam as notas:

 

(+) João Moutinho Enquadrou-se perfeitamente com o novo colega do lado, tanto o esquerdo como o direito tal foi a rotatividade que impôs ao meio-campo. Sempre o primeiro a criar lances ofensivos, a recuar para vir buscar a bola, foi o Moutinho que gosto de ver. O Xavi português, com o devido respeito ao catalão. E foi notória a preocupação de muitos adeptos em manter o apoio, o carinho, o respeito que todos já temos por Moutinho, especialmente numa altura em que a chegada de Lucho faz com que a atenção dos adeptos mude do 8 para o 3 como já se viu. Gostei de ver e Moutinho também deve ter gostado.

(+) Lucho Quem tivesse sido enfiado num bunker durante dois anos e meio e voltasse ao mundo nesta noite não estranharia em nada ver Lucho a jogar com os outros de azul-e-branco e pensaria que não tinha sequer saído. Jogou fácil, de cabeça levantada e a ver o jogo como sempre fez e tão poucos fazem. Se tiver forma física suficiente e se os colegas Moutinho (ao lado) e Fernando (mais atrás) se entenderem bem, este trio vai ser o melhor meio-campo da Liga a vários kms de distância de qualquer outro porque conjugam a técnica do argentino, a raça do brasileiro e a inteligência do luso. Lucho encaixa como uma luva, alterando o esquema de troca de bola a meio-campo mas sem criar clivagens na estrutura construtiva do ataque portista. Ah, e se continua a marcar golos daqueles…ainda ajuda a levar mais gente ao estádio.

(+) Danilo Se alguém imagina que Danilo vai ser a versão brasileira de Bosingwa nesta nova encarnação de Lucho, tire daí o pensamento. O nosso novo defesa-direito (porque imagino que não perca a titularidade) não tem a mesma velocidade mas anda lá perto e o que salta imediatamente à vista é a forma como descai permanentemente para o centro quando se lança em jogadas ofensivas. Várias vezes o vi a driblar num primeiro momento de construção e a avançar no terreno em tabelas com Lucho ou Varela, criando um desequilíbrio importante na defesa adversária, o que continua a ser um factor muito forte para a afirmação de um lateral no panorama europeu. Danilo tem todas as condições para o fazer e precisa de continuar a mostrar em campo para melhorar alguns pontos que foco em baixo. Vitor, não deixes este moço de fora.

 

(-) As ingenuidades dos laterais Qualquer um dos dois foi caro. Ao todo 23 milhões de euros + comissões que hoje jogaram nas laterais do FC Porto e nota-se que há ali talento. Talvez mais em Danilo que Alex Sandro pela versatilidade e capacidade ofensiva em força e em direcção porque tanto sobe pela ala como rompe para o centro. Ainda assim foram evidentes muitas falhas de concentração e houve um número excessivo de vezes em que foram, como dizem os ingleses, “caught in possession”, que é como quem diz “perderam a bola para o adversário porque se esqueceram que há alguns mânfios que gostam muito de aparecer pela socapa e sacar-lhes o esférico de couro”. Têm de melhorar nesse aspecto porque o Brasil já é passado e na Europa as coisas são mais rápidas.

(-) O trabalho inócuo de Rodriguez O tipo corre, desliza, patina, acelera, tackla, salta, foge, pincha, passa e corta. Mas a produção é curta e raramente consegue mais que um ou dois lances de real perigo para o adversário. É pouco para um extremo numa equipa como o FC Porto e começo a pensar que a expressão “bom esforço!”, tanta vez ouvida quando Rodriguez está envolvido no lance, foi criada especificamente para ele. A questão é que não chega ser esforçado, é preciso criar estatísticas positivas. Cruzamentos, passes perigosos, remates, coisas que dêem golos. E Cebola não está a fazer nenhum deles em condições, por muito que corra.

 

Vi o jogo num lugar diferente do normal. No meio da bancada central inferior, mesmo na linha do meio-campo. Não gostei. Já me apercebi que apesar da emoção que está invariavelmente contida numa partida de futebol, a minha forma de ver o jogo tornou-se gradualmente mais analítica e fria. As diatribes continuam a sair da minha boca como um estivador bêbado, é um facto, mas ver o jogo a partir do meu sector lá em cima é totalmente diferente e dá uma noção bem mais concreta da estratégia e da movimentação dos jogadores em campo. Dali, só mudo para um camarote porque às vezes tenho sede e não admito levantar-me do lugar para ir beber seja lá o que fôr. Ponto.

16 comentários

  1. Hoje tive oportunidade de ir ao Dragão, na vizinha porta 18, o mais curioso é que já não ia ao estádio desde o ultimo jogo do Lucho (contra o Man. United), foi de certa forma curioso, porque parecia que ele nunca tinha saído daquela “caixa”. Foi bom, muito bom ver alguém a levar jogo para a frente facilmente, sem ter de ser o Moutinho a esticar tudo e a crucificar-se. E os dois já se entendem, tal como Lucho se entendia com o Meireles!
    Tenho que referir também o jogo do Danilo, primeiro jogo a titular, e bastou para se perceber que ele vai ser titular até ao fim da época, que jogador, sabe romper, sabe segurar, sabe defender… Sabe jogar!
    O Janko, gostei no sentido que esteve lá e mostrou-se. Falhou 2 lances, um na primeira parte logo ao inicio a passe de Varela, mas o que não gostei foi a perda na segunda parte depois de fintar o redes, redimiu-se e além do golo fez cabeceamentos e passes.
    Por fim, tenho que criticar novamente o “pino” que temos a treinar o nosso clube. Epah, Alex Sandro por Alvaro?? Para quê? É melhor deixar o Varela que fartou-se de perder bolas, e que têm tido muitas mais chances que o lateral brasileiro?
    Vamos lá cerrar o punho e fazer uma recta final de época à Porto!!!

  2. Boas Jorge,

    O jogo teve alguns momentos interessantes. Eu tinha as minhas duvidas com o Lucho, mas confesso que adorei ve-lo jogar e com que golo!!!

    O Janko falhou alguns lances q tinha q marcar, mas ja mostrou mais q o cepo do Kleber.

    Deu para ver q o Danilo tem mtaaaaa classe. Bom a sair no ataque, bons cruzamentos e qualidade de passe. E reforco! Ja o Alex Sandro n me convence.

    Continua a faltar velocidade. Jogamos mto lento e a fazer jogo previsivel em mtas partes do jogo. Continuo a n entender o VP e as suas substituicoes… O Iturbe estava lesionado? Se n estava, pq nao arriscar a titularidade para lhe tirar a ansiedade? Tb ficava lixao se fosse ele…

    Abraco,
    Joao

  3. Melhor que o Henry voltar ao Arsenal e marcar o golo da vitória no primeiro jogo só mesmo o Lucho marcar aquele golo juntamente com uma exibição como nos tinha habituado. Tive alguns receios quando o contrataram, mas não há dúvida, continua o craque que era. E que meio-campo de lucho…

    Quanto ao Cebola, comecei a pensar no bem que ele tinha jogado quando chegou ao Porto e o que se terá passado para de repente baixar de forma mais rápido que um remate do Hulk. Para dizer a verdade já não me lembro exactamente de como jogava quando chegou, mas depois de ver uns vídeos na net reparei que dantes tinha mais arrancadas pelo centro, levando a defesa toda à frente (e ganhando uma série de ressaltos), liderando o contra-ataque em vez de se agarrar à linha e correr sem levantar a cabeça, como tanto gosta de fazer agora. Será que se pode aproveitar o rapaz de maneira diferente? Recuso-me a acreditar que o talento dele desapareça assim dum momento para o outro, talvez noutra posição possa render mais. E não acho que esteja mais gordo, sempre foi um bocado para o forte e a agilidade nunca me pareceu o forte dele. Pergunto-me se não rende mais a jogar na direita e a vir para o centro sempre que puder, tal como o Hulk?

  4. Antecipei o meu regresso de terras galegas para poder ir ver o jogo e aplaudir de pé o senhor Lucho González.De facto,melhor que a encomenda,e eu só que pedia que ele entrasse a meio do jogo para ser ovacionado…

    Gostei,jogo entretido,excelente ambiente*,como se o jogo de Barcelos nunca tivesse existido,mas existiu.E cada vez me dá mais raiva,porra.
    Mas enfim,tal como El Comandante,cabeça levantada e bola para a frente,deliciosa classe.

    * compreendo que não te agrade muito esta decisão de fechar as bancadas superiores,mas que dá um outro ambiente,lá isso dá.
    Já vi um jogo na superior e gostei muito,de facto.

  5. “Se tiver forma física suficiente e se os colegas Moutinho (ao lado) e Fernando (mais atrás) se entenderem bem, este trio vai ser o melhor meio-campo da Liga a vários kms de distância de qualquer outro porque conjugam a técnica do argentino, a raça do brasileiro e a inteligência do luso”

    Percebo…várias vezes comentei que para o FCP ter um meio campo de luxo, só falta juntar ao Moutinho e ao Fernando..o Lucho!
    Também percebo que aches que este trio possa ser, na tua opinião, o melhor da Liga, eu não concordo e podia haver saudável debate…agora o melhor da liga E a vários km’s…isso já soa a exagero.

    O teu triângulo é tão bom quanto o meu, precisamente pelas mesmas razões…e eu gosto mais do meu, como tu gostas mais do teu!

    Abraço!

    1. lógico, cada qual defende a sua dama. se estás a falar de Javi/Witsel/Aimar, concordo que podem estar perto. mas não se comparam com Rinaudo/Elias/Schaars ou Custódio/Mossoró/Viana. ainda assim creio que com um jogo mais calmo e estruturado acabam por depender menos da criatividade estupidamente inteligente do Aimar e da força do Witsel. espero que sim e se chegarmos a 2 de Março a bom nível…ah foda-se que vamos ganhar na Luz outra vez!!! ou não, sei lá eu :)

      abraço,
      Jorge

      1. eu acho que nossos triângulos estão parecidos, parecidos…ainda Sábado estava à mesa num restaurante da Invicta, a apreciar nossos familiares de Barcelos a cascar no Sportém e a mamar francesinhas e SB geladita, com 3 portistas a debater isso mesmo!

        é se torna completamente imprevisível o modo como irão encaixar nos embates que se avizinham e isso é apaixonante!

        ganhar na Luz…troco pelo campeonato, pode ser?

        Abraço

        ps: estive no Dragao Caixa (é assim?) este fds…não gostei do resultado, mas gostei do Pavilhão, pena não ser maior…parabéns pela vitória, o empate seria mais justo (maneira simpática de dizer que quem tem Edo Bosch, tem quase tudo!)

        1. gostava de ter ido. Edo rules, não há dúvida!

          quanto aos triângulos concordo contigo. mas não aceito a troca. e se não ganharmos na Luz, não estou a ver hipótese de recuperar os cinco pontos em derrotas/empates do teu clube, sinceramente. haja fé, carago! e SB gelada, obviamente :)

          abraço,
          Jorge

  6. Olá Jorge,

    estive fora e gostaria de saber se foi divulgada a nota do árbitro de Barcelos.

    Achas que o FC Porto pediu o relatório do observador do árbitro ou são os jornais que têm acesso directo a essas minudências?

    Grande golo do Lucho, proeza balística. Golo do meco em fora-de-jogo que passa bem. Noutros jogos é que não temos essa benesse, não sei porquê…

    1. que se saiba, ainda não. mas não me parece que vá ter cobertura mediática, como sabes bem melhor que eu. não creio que o FC Porto tenha pedido o relatório do árbitro, pelo menos não o fez saber em vox pop. já conheço o teu approach ao caso Caixão, por isso espero ansiosamente pelos próximos capítulos…

      o golo do Lucho é perfeito no timing e na execução. só falta saber se o homem aguenta o ritmo em jogos mais intensos e o mesmo vale para a torre austríaca.

      abraço,
      Jorge

  7. De mim não esperes nada, quando muito devias perguntar-te porque razão o clube não pede o relatório. E se o pediu e não o fez saber convém perguntar também porquê? O Mourinho até quando não tem razão pergunta: Por qué?…

    Se o FCP divulgar a nota, boa ou má terá cobertura mediática. Porque a notícia é de per si. Já quanto a fazer conferências de Imprensa todos os dias também teria cobertura mediática, mas não há comunicação nem estratégia nem valentia para ir à luta.

    Os jornais não podem pedir ao vi-te ó Pereira o relatório. Quando muito, se quiserem, sabem de boca a nota e um ou outro pormenor: quantos penaltis ficaram por marcar e uma ou outra coisa disciplinar se houver.

    Devem estar à espera de divulgar no Torto Canal. Vai ser uma bomba, como diz o Jorge Nuno.

    Os basbaques vão aplaudir a (en)comenda e dizer que estamos mais fortes que nunca.

    Do jogo, com uma das mais fracas equipas da I Liga eu não tiraria grandes conclusões. Mas quando se anda mesmo mal qualquer coisa é para embandeirar em arco. E disfarça o facto de o austríaco ser mesmo tecnicamente manco. Mas isso agora não interessa nada.

    p.s. – de mim não deves saber nada, até porque, também, há um problema no blogger e como não me chateio muito com isto pode ser que feche a loja de vez.

    1. já sabes que prefiro abstrair-me um pouco do jogo por detrás dos panos e focar-me mais no que se passa no relvado. pode ser uma perspectiva redutora mas é a que me sinto mais confortável. to each his own, i suppose :)

      e quanto ao blogger, já te ofereci a minha ajuda. a oferta continua válida.

      um abraço,
      Jorge

  8. Boa tarde,

    Ontem sem assistirmos a uma exibição do outro mundo, tivemos um FC Porto sério, que encarou o jogo com a atitude que não tinha tido no jogo anterior.
    Fomos um justos vencedores.

    De salientar o melhor jogo produzido pelo nosso meio campo. Menos toques na bola para construção.
    Lucho é um elemento valioso na temporização do jogo.
    Bom jogo de Danilo.
    Janko muito inteligente nas movimentações, fez um excelente golo. Este austríaco não é um fora de série, mas trata-se de um ponta de lança com escola, que sabe ocupar a posição. Irá ser muito útil até final de época.

    Agora segue-se o Benfica, e acredito que vamos vencer.

    Abraço e boa semana

    Paulo

  9. Falta talvez um Baía para o menino “hoje jogo na lateral, amanhã a central” Maicon que esteve impecável.
    E, um Baroni para o senhor que ocupou a baliza que esteve desatento quanto baste, e parece que esqueceu como se faz…
    De resto, muitos e bons pormenores, e um futebol que voltou a ter qualquer coisa diferente…classe. Deve dar muito gosto jogar com ele.

    1. quase que concordo com o Baía ao Maicon…não fosse a enormidade de vezes que deixou que o Meyong usasse a esperteza para controlar bolas a mais de costas para a baliza. fez pouco com elas mas ganhou muitas.

      já o Bracali…o rapaz não é o Helton, longe disso…com os pés então…chiça…

Deixar uma resposta