Dragão escondido – Nº34 (RESPOSTA)

A resposta está aqui em baixo:

dragao_escondido_34_who

Um dos jogadores mais raçudos e reconhecíveis do FC Porto do final dos anos 90, Sérgio Paulo Marceneiro Conceição veio para o clube ainda com idade de júnior depois de ter sido formado na Académica. Depois de alguns anos emprestado, regressou pela mão de António Oliveira e fez parte da equipa que venceu o tri e o tetra em 1996/97 e 1997/98. Extremo-direito agressivo, lutador, que nunca desistia de um lance e usava bem o corpo e a velocidade de drible para passar pelos laterais que apareciam à sua frente. Regressou ao clube em 2004 depois de sete anos no futebol italiano, onde jogou pela Lazio, Parma e Inter, para voltar a sair em direcção à Bélgica e depois para a Grécia, onde terminou a carreira como jogador. Podemos agora vê-lo a protestar contra arbitragens e a fazer mini-maratonas entre Vila do Conde e Braga, cidade onde trabalha e treina.

Na imagem podemos ver o então “nosso” Sérgio em luta contra um dos laterais de renome no nosso panorama futebolístico dos anos 90, o pequeno grande Quim Berto, na altura no Vitória de Guimarães, no jogo que daria a confirmação da vitória do FC Porto no campeonato 1996/97 com uma vitória fora por 4-0, jogo em que o Neno tentou arrancar a cabeça do Jardel ao pontapé. Falhou. Azar, rapaz.

Entre as tentativas falhadas:

  • Artur – A constituição física do rapaz não parece nada a do brasileiro que era bem mais elegante…
  • Barroso – Se alguém se lembrar do homem a tentar um 1×1 perto da linha, que me mande o video.
  • Domingos – Mais um rapaz com pouca coxa para estar nesta imagem…
  • Drulovic – Titularíssimo durante a época…mas tinha de ser uma foto flipada na horizontal, olha agora o Drulovic a avançar com o pé direito, tem algum jeito?!.
  • Fredrik – Curiosamente estava do outro lado (Guimarães), entrou aos 86 minutos para lugar de…Capucho.
  • João Pinto – A melhor alternativa, sem dúvida. Titular durante a época e naquele jogo em particular. Faltava a braçadeira!
  • Kostadinov – Andava por terras turcas a defender as cores do Fenerbahce.
  • Kulkov – Já não fazia parte do plantel, saiu em 1995 para o Spartak de Moscovo.
  • Rui Barros – O Quim Berto não era alto, mas que diabo, o homem na imagem é mais alto que ele!
  • Secretário – Tendo em conta que nesta altura estava em Madrid a aquecer banco…
  • Zahovic – Esteve presente neste jogo e marcou dois golos, mas não era o esloveno na imagem.

O vencedor foi D.Silva às 7h21 da manhã, batendo Nuno Moreira por 7 minutos!!!

Dragão escondido – Nº34

Woody Woodpecker, o pica-pau com um dos risos mais facilmente reconhecíveis para a malta da minha idade que via desenhos-animados nas manhãs de sábado, está com a cabeça na frente de que jogador do FC Porto?

Eu sei, é fácil demais. Mesmo. No kidding.

Dragão escondido – Nº33 (RESPOSTA)

Ora depois de múltiplas tentativas, cá está a resposta:

dragao_escondido_33_who

Um polaco com um apelido que arranca com “M” será sempre presença de nota nos plantéis do FC Porto depois do grande Mly, e Grzegorz Mielcarski (ou Miguel Castro para muito boa gente que ainda se lembra do rapaz e que tem dificuldade em pronunciar nomes estranhos, talvez por isso o conterrâneo que se lhe seguiu, com nome muito maior, tivesse de ser reduzido para Kaz…) chegou com nome e com vontade de ser o target-man na área que Domingos e Edmilson não conseguiam ser por falta de atributos físicos. Acabou por não ter grande sorte, fazendo apenas 55 jogos oficiais nos quais marcou 10 golos e nunca conseguiu impôr-se na equipa depois de uma lesão muito grave no joelho e pela presença daquele verdadeiro eucalipto de avançados de nome Mário Jardel. Rapaz simpático, trabalhador e esforçado, foi uma aposta que saiu furada mas que gravou o seu nome nas mentes dos adeptos que o viram a jogar e que ainda se lembram do rapaz que afinal de contas acabou por ser tetra-campeão quase sem jogar…

A imagem diz respeito a uma eliminatória da Taça contra o Famalicão na época 1998/1999, em que o FC Porto venceu por 4-2 depois de prolongamento. Mielcarski jogou até aos 73 minutos, substituído por Miki Féher. Deliciem-se com uma viagem às vossas memórias:

Deixo-vos a responsabilidade de comentarem o video. Some truly epic stuff there.

Os palpites errados, numa das edições com mais tiros ao lado:

  • Doriva – Fazia parte do plantel mas não esteve presente neste jogo. Also, com aquelas pernas?!
  • Drulovic – Titularíssimo durante a temporada, ficou ao banco neste jogo e entrou ao intervalo.
  • Edmilson – Tinha saído no início da época anterior para experimentar ares da Cidade Luz. Paris, não o Colombo…
  • Féher – Entrou a substituir o polaco e marcou um dos golos no prolongamento, como se viu no video.
  • Fernando Mendes – Titular durante grande parte da época, foi-o também neste jogo.
  • Panduru – Num dos cinco jogos em que foi titular, foi substituído ao intervalo por Drulovic. Pois.
  • Paulinho Santos – Mais um dos habituais titulares que ficou a descansar.
  • Sérgio Conceição – Arrancou em Julho para começar a aventura italiana na Lazio de Roma.
  • Timofte – Ui. Saiu SEIS anos antes e nesta altura estava na Invicta…mas com uma camisola de xadrez.
  • Zahovic – Mais um titular deixado de fora neste jogo da Taça. E o Engenheiro do Penta ia-se lixando…

O vencedor foi o Hugo Cardoso, com um twist (vejam aqui a primeira quase-opção do rapaz…tsc tsc) às 9h28 da manhã! Kudos!

Dragão escondido – Nº33

Este mítico equipamento (amado por uns, odiado por outros), aliado à muy conhecida face de Bart Simpson, estão a ser usadas por que jogador da nossa história?

Respostas para a caixa de comentários, deem lá um salto pelas vossas memórias!

Dragão escondido – Nº32 (RESPOSTA)

O senhor na foto abaixo é, portanto…

dragao_escondido_32_who

…fácil de adivinhar, não? Rui Gil Soares de Barros, uma figura histórica do FC Porto que ultrapassou várias vezes na sua estatura moral o equivalente físico que nunca teria. E é também uma das mostras mais evidentes que um jogador de futebol não precisa de ser alto e forte, com ombros largos e capacidade física para saltar com torres adversárias e marcar golos de cabeça na área…porque o pequeno grande Rui Barros fê-lo por várias vezes do alto dos seus 159 centímetros!!! Um dos emigrantes de luxo do nosso futebol, saindo do FC Porto depois de uma única temporada em que venceu tudo que havia para vencer e seguiu para Turim onde passou duas boas temporadas antes de seguir para França onde esteve três épocas no Mónaco e outra no Marselha, antes de regressar ao FC Porto, onde terminou a carreira em 1999/2000, aos 35 anos. Lutador como poucos, foi uma das imagens de marca do clube durante a segunda metade dos anos 90 e um exemplo para todos que pensam: “nah, não vale a pena saltar para ganhar a bola”. Neste jogo luta contra um jogador do Tirsense, na 31ª jornada do Campeonato Nacional de 1995/1996. Outros tempos, sem dúvida.

Os palpites errados, numa das edições com mais tiros ao lado:

  • André – Tinha abandonado o FC Porto (e o futebol) no final da temporada anterior.
  • Bandeirinha – O eterno suplente esteve fora dos convocados num dos últimos jogos da última época que iria fazer pelo FC Porto.
  • Bino – Na penúltima temporada em que fez parte activa do plantel do FC Porto (esta e a próxima), foi mesmo titular neste jogo. Seria uma excelente hipótese!
  • Domingos – Foi o melhor marcador da equipa (e do campeonato) com 25 golos, mas não esteve presente neste jogo.
  • Drulovic – Titularíssimo na equipa principal, foi poupado para este jogo por motivos que francamente não me consigo recordar. Vamos assumir que com a meia-final da Taça quatro dias depois deste jogo, terá ficado a descansar…
  • Edmilson – Outro titular absoluto da equipa durante a época, jogou de início também neste jogo como em muitos outros.
  • Folha – Quase totalista no campeonato, teve papel activo nesta partida marcando o terceiro golo da equipa.
  • Jaime Magalhães – O grande médio direito tinha saído no final da época passada para o Leça, onde viria a terminar a sua carreira.
  • João Manuel Pinto – Não era habitual titular (Aloísio e Jorge Costa ocupavam posições de respeito…) mas foi-o neste jogo, onde até acabou por marcar o primeiro golo do FC Porto na partida.
  • João Pinto – O eterno capitão foi titular na partida contra o Tirsense, naquela que foi a sua penúltima temporada no FC Porto e quando já tinha perdido o estatuto de titular para Secretário.
  • Jorge Couto – Com apenas 17 jogos durante a temporada, foi suplente utilizado nesta partida, entrando aos 76 minutos para render…aham…Rui Barros.
  • Kostadinov – Tinha saído dois anos antes para o Deportivo da Coruña e nesta altura andava por terras bávaras com a camisola do Bayern München.
  • Lipcsei – Muito utilizado por Robson no início da época, foi perdendo lugar na equipa e deixou sequer de ser convocado a partir da 27ª jornada.
  • Paulinho Santos – Entrou para o lugar do lesionado Rui Jorge aos 24 minutos e levou um amarelo aos 59. Titularíssimo durante a época, também ficou no banco neste jogo para descansar…supõe-se…
  • Rui Filipe – Considerando que Rui Filipe tinha falecido em 1994…é que nem acho uma piada de mau gosto, apenas desconhecimento das datas…
  • Rui Jorge – Tendo em conta que tinha sido o dragão escondido da edição anterior…era pouco provável que fosse agora novamente, não acham!?
  • Timofte – Por esta altura, na época 1995/1996, andava pelo outro lado da cidade, no clube que tem nome de rotunda.
  • Wetl – A única temporada que o austríaco passou em Portugal (e fora do seu país, já agora) foi a seguinte, 1996/1997…

O vencedor foi o Adão, com um palpite 100% correcto às 9h25 da manhã! Parabéns, primeiro homem!