Dragão escondido – Nº39 (RESPOSTA)

Uma edição histórica do Escondido teve o seguinte protagonista:

dragao_escondido_39_who

Um dos últimos húngaros a jogar pelo FC Porto, Péter Lipcsei chegou do Ferencvaros em 1995 e passou apenas uma temporada no clube, sendo emprestado ao Espinho na época seguinte (quando o Espinho ainda andava pelas divisões decentes e onde passei bons verões e acabei por ver alguns jogos no Campo Comendador Manuel Violas) para regressar ao clube que o formou, seguindo-se uma passagem pelo Casino Salzburg antes de voltar de vez para o Ferencvaros, clube onde terminou a carreira em 2010. Era um médio inteligente e criativo, mas acabou por não ter a preponderância que todos esperavam no onze-base da segunda época completa de Sir Bobby Robson ao comando da nossa equipa (1995/96), especialmente num meio-campo que tinha Emerson e Paulinho Santos como elementos permanentes, para lá de Rui Barros e Latapy, que se tornaram mais importantes à medida que a temporada foi avançando. O jogo a que a fotografia se refere é o FC Porto vs Estrela Amadora que terminou com uma vitória gorda por 6-0, onde Lipcsei marcou duas vezes.

Entre as diversas tentativas falhadas:

  • Artur – Ainda estava pelos lados do Bessa nesta época.
  • Domingos – Titular indiscutível, terminou a época com 31 golos marcados em 45 jogos, incluindo um neste jogo.
  • Drulovic – Titularíssimo, acabou a época com 45 jogos e 12 golos marcados. Esteve presente neste jogo mas não marcou.
  • Edmilson – Mais um titular sem contestação, esteve neste jogo e marcou um golo.
  • Folha – Apesar de apenas ter sido titular por 19 vezes, foi o jogador com mais jogos disputados durante a época. Entrou aos 71 minutos neste jogo.
  • Kostadinov – Tinha saído no final da época anterior para o Bayern.
  • Semedo – Apenas fez três jogos nesta que foi a última época que fez pelo FC Porto.
  • Yuran – Só cá esteve uma época (a anterior) e saiu para o Spartak Moscovo.

Pela primeira vez, ao fim de trinta e nove edições, não há vencedor!!! Shame!!! A referência ao homem do Estrela…fui mauzinho, era uma rasteira. Apostei que haveria malta que iria atirar o nome de Paulo Fonseca. Não era. Eliseu Erhart, brasileiro, era o número 3 na foto.

Dragão escondido – Nº39

O Noddy está a sorrir imenso enquanto que o jogador do FC Porto tenta fintar o adversário. Quem é? (o nosso…mas se adivinharem o adversário, receberão um belo dum elogio!)

 

Força na caixa de comentários! E não vale andar a procurar a imagem na internet, todos o podem fazer e tira a pica à brincadeira toda…torna-se fácil demais, não acham? Batota não entra!

Dragão escondido – Nº38 (RESPOSTA)

Cá está o moço:

dragao_escondido_38_who

 

Russell Nigel Latapy , tobaguenho de origem, aqui em confronto contra o grande Tanta do Guimarães (depois de passar também pelo Famalicão) durante a época 1994/1995. Latapy é um nome que ficará eternamente associado aquele penalty falhado em pleno Estádio das Antas contra a Sampdoria, em jogo a contar para a segunda mão dos quartos de final da Taça das Taças (para os mais pequenos que nunca ouviram falar disto, era uma competição europeia entre os vencedores das Taças de cada país, que quase ganhávamos na final de Basileia onde fomos roubados pela Juventus), falhanço esse que inclinou o FC Porto para a eliminação depois de uma vitória na primeira mão com golo de Yuran e da derrota na segunda, em casa, num jogo quase perfeito da Samp que acabou aplaudida pelos adeptos do FC Porto. Latapy era um criativo, um “10” que vagueava pela linha de ataque à procura no momento certo para as assistências mortais para os avançados. Levou também a que eu fosse gozado durante meses pelo meu então professor de Biologia que sempre que me via a entrar na sala dizia: “Então, o Latapy já marcou o penalty?”. Era engraçado, o mouro. Cabrão.

Entre as diversas tentativas falhadas:

  • Aloísio – Esteve presente em Guimarães nesta partida e o tom de pele assemelhava-se, seria uma boa hipótese.
  • Artur – Já trabalhava na Invicta, mas do outro lado da cidade, com aquela camisola horrorosa preta e branca.
  • Emerson – Também esteve presente em Guimarães nesta partida e o tom de pele também era parecido, seria igualmente uma boa hipótese.
  • Esquerdinha – Só chegou ao FC Porto quatro épocas mais tarde…
  • Jardel – Estava por terras de Porto Alegre a criar nome para dois anos mais tarde chegar ao FC Porto e brilhar.
  • Semedo – Fazia parte do plantel mas não esteve neste jogo.
  • Vítor Baía – lol.

O primeiro homem a acertar foi o Adão Gomes Pinto que deu a resposta certa num comentário ao post às 8h43. Parabéns, primeiro homem com nome de primeiro homem!

Dragão escondido – Nº38

O Calvin (da famosa série Calvin & Hobbes) parece chateado com qualquer coisa…e o jogador que está por detrás, como estará? E já agora, quem é?

Força aí com as hipóteses maradas para a caixa de comentários!

Dragão escondido – Nº37 (RESPOSTA)

Cá está o rapaz:

dragao_escondido_37_who

Carlos Narciso Chaínho, aqui numa fotografia que diz respeito à época 1998/99, foi um jogador que nunca recolheu grande simpatia dos adeptos do FC Porto durante os três anos que usou as nossas cores. Apesar de ter sido campeão no primeiro ano (o Penta de Fernando Santos) e de “dar o litro” em todos os jogos que fazia, nunca perdeu a aura de tosco e trapalhão, nunca conseguindo ser um jogador que se afirmasse no coração dos adeptos como o fez na equipa-base. O facto de termos perdido dois campeonatos seguidos (para Sporting e Boavista, respectivamente) não ajudou e acabou por sair para Espanha. Regressou depois a Portugal para jogar na Madeira por Marítimo e Nacional e acabava sempre por ser aplaudido quando entrava no Dragão. Há coisas engraçadas, não há?

Entre as diversas tentativas falhadas:

  • Aloísio – O decano do plantel ainda por cá andava, a passear classe pelos relvados. Que saudades, pá!
  • Artur – Colega de equipa…mas o tom de pele deveria ter eliminado o brasileiro logo à partida.
  • Celso – Ganha o prémio do maior anacronismo, porque Celso e Chaínho desencontraram-se por DOZE ANOS!!!
  • Chippo – Mais um mal-amado, o marroquino também foi colega de Chaínho.
  • Clayton – Foram colegas…mas não neste ano, porque Clayton ainda não andava por cá quando Chaínho chegou ao FC Porto.
  • Edmilson – Atirar nomes ao ar não vale. Se tentarem “Lisandro” também não funciona.
  • Emerson – Mais um desencontro, desta vez por apenas dois anos…
  • Esquerdinha – Colegas de equipa, seguiram juntos para o Zaragoza em 2001/2002.
  • Jardel – Companheiros de plantel, ainda lhe deve ter feito alguns passes para golo…mas poucos.
  • Kenedy – Os desfasamentos continuam mas são cada vez mais curto, aqui só houve diferença de um ano!
  • Lula – Exactamente a mesma coisa do Kenedy, falhou por um ano a convivência com o rapaz.
  • Madjer – WHAT?! Como?! WHAT?!

O vencedor foi Carlos Martinho que deu a resposta certa via Twitter às 10h47. Parabéns, jovem!