Ouve lá ó Mister – Bayern Munique

Señor Lopetegui,

Se Dexter Morgan (ou Michael C.Hall, como te servir melhor) se encontrasse hoje nas imediações da Invicta, a icónica frase com que arranca a sua série epónima estaria adequada ao momento em questão. Tonight is the night. *Tonight* is the night. Tonight *is* the night. Tonight is *the* night. Coloca a tónica onde quiseres porque este é daqueles jogos que coloca todos os outros em perspectiva e nos faz sentir mais integrados num mundo que parece tão ligeiramente longínquo e inacessível que qualquer chegada a esta plateau deve ser tratada com a importância que ele merece. Não adianta fingirmos que estamos habituados a estas andanças porque a verdade é que não andamos e o facto de termos já vencido esta prova por duas vezes não retira a vital importância de uma noite que marca a história do clube com mais uma página de ouro. Sim, chegar cá já foi bom.

E continuar? E agora? O que vem por aí?

Nem tudo depende de ti, Julen. Os rapazes do outro lado consta que são jeitosinhos e até sabem um bocadinho do que é isto de andar a correr atrás de uma bola em cima da relva. E vieram sem alguns dos titulares mas não quer dizer que estejam mais fracos, não entres nessa ladaínha. São onze matulões (vá, dez mais o Bernat e o Götze) que sabem bem o que querem e o que querem é ganhar. E se entrares para o jogo a pensar que eles são mais fortes e com medo deles vais levar no toutiço. O que importa nestes jogos não é o futebol bonito, é ganhar. E nesta fase temos de tentar ganhar, de fazer tudo para que seja qual for o resultado possas sair do campo a caminho do balneário, mamar uma ou duas pastilhas de mentol e dizer ainda rouco aos microfones da imprensa: “Fizemos tudo o que podíamos. Não sobrou nada.” Caso contrário é como dar água das pedras a uma gata com o cio: engraçado para contar aos amigos, mas com poucos resultados práticos.

Estarei lá a ajudar a encher o estádio. Vence por ti e por nós. Repete 1987!!! (mas sem o golo sofrido que francamente não dá jeito nenhum)

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Rio Ave

Señor Lopetegui,

Belo fartote de golos semana passada, caro Julen! A malta até ficou satisfeita mas não posso deixar de pensar que as coisas ainda estão bastante tremidas no campeonato porque apesar de dependermos de nós, a tarefa não vai ser fácil. Gostava de te dizer que estou completamente confiante e que vamos enfiar três dildos do tamanho da Torre dos Clérigos nos esfíncteres da vermelhagem mas não consigo. Falta-me a convicção, a força mental que me força a elevar o espírito e a acreditar em ti e nos teus com a garra com que acreditei, por exemplo, nos putos do Villas-Boas aqui há uns anos ou na maturidade dos homens do Mourinho. Fui perdendo essa confiança nos últimos jogos porque sinto os teus rapazes lentos, com poucas pernas, sem aquela fibra que é preciso ter nestes e em todos os momentos em que não chegam os 100% do suor e do empenho, é preciso subir a fasquia para níveis Robsónicos e além! É preciso entrar em campo com a intensidade de mil Andrés (ou quinhentos filhos dele, se o rapaz sempre vier para cá no próximo ano) e a pujança física de quarenta Maniches magros, degolando inocentes e apontando os nomes para mais tarde questionar os motivos de colocarem o escalpe perante a lâmina. E todos os jogos têm de ser assim até ao fim, Julen, todos, porque os outros podem não dar margem nenhuma e obrigar-nos a ir lá ganhar por três. Era bonito, mas não vamos contar com isso.

Assim sendo, hoje tens mais uma oportunidade de mostrar ao povo que os teus pupilos estão com ganas de ganhar o campeonato e não estão já com a cabeça na próxima quarta-feira. Desde o momento em que a bola comece a rolar em Vila do Conde, ficam a faltar 5865 minutos até o jogo contra o Bayern. E os mais importantes são os primeiros noventa.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Estoril

Señor Lopetegui,

Espero que a semana santa tenha corrido bem para si e para os que lhe estão próximos e que a enxurrada dos seus conterrâneos que invadiu pacificamente a Invicta e arredores nos últimos dias esteja bem de saúde e mais leve nas respectivas carteiras. Voltem sempre, malta, gastem aqui os vossos érios!

Hoje lá estarei, no sítio do costume (este ano) a berrar sempre que puder para o Danilo e para o Alex, para os centrais cobrirem as zonas defensivas e apoiarem no terreno ofensivo. Vou ganir como um louco para o Aboubakar correr atrás da bola, para o Herrera não se distrair e para o Casemiro não travar a cabeça. Vou apoiar o Óliver e incentrivelar (get it?) o Quaresma. Até vou dar as instruções certas para o Brahimi não se perder em fintas inconsequentes e afinar o drible e o arranque para passar pelos gajos e assistir para golo. Não me sobra nada, Julen, não me pode sobrar nada de apoio e de incentivo a uma equipa em que ainda acredito que possa fazer um brilharete daqui até ao final da época seja em que competição for. Campeonato e Champions são os dois canecos que se nos apresentam pela frente e tem de ser suor de início a fim para que consigamos chegar longe em duas ligas onde já temos história e que nos faltam há anos. O campeonato continua a ser mais importante e este jogo é só mais um em que os teus rapazes têm de voltar a limpar a imagem depois de um resultado fraco alguns dias atrás. Faz com que eles percebam a importância de se manterem lá na frente e a pressionar o Benfas, hoje e em Vila do Conde. O resto, deixo para a Luz.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Marítimo

Señor Lopetegui,

Este é o primeiro jogo do resto da tua vida, Julen. Da tua vida este ano. Esta época, pronto. Talvez esteja a exagerar. Não? Vamos ver. Esta é a primeira possibilidade que tens de acesso a uma final que te pode dar um troféu. É certo que é um troféu menor, com tanta importância como o aniversário do próximo jogador do Benfica que apareça na capa da Bola, mas ainda assim é um naco de aço ou ferro ou uma liga metálica qualquer, chapeado a ouro com uma placa a dizer: “ESPAÇO PARA O PATROCINADOR. POR FAVOR, ESTAMOS DESESPERADOS!” no topo. Formoso, elegante e uma bela adição a qualquer Museu.

Balelas. Ninguém quer saber da Taça da Liga a não ser que a ganhemos e mesmo assim não acredito que haja festa na Alameda até mais que a uma da manhã. Mas se perdes, é mais uma competição que desperdiças, mais uma prova que o plantel não é assim tão valioso, que o Danilo afinal já tem a cabeça em Madrid porque já não mete o pé e que o Aboubakar não serve para substituir o Jackson e mais uma enxurrada de “jás” que enoja a verruga do Maxi. A verdade é que é uma borrada que só nos serviu para criar ainda mais antipatia pelo Marítimo, atravessar meio oceano a meio da semana depois de jogos internacionais e cansar os rapazes antes de segunda-feira jogarmos com o Estoril. Pff.

Usa quem quiseres. Dá minutos ao Ricardo, ao Hernâni, ao Evandro e ao Indi, raios, dá a todos os que te apetecer. Por muito que não estejam habituados a jogar juntos, aposto que não fazem pior que a Selecção contra Cabo Verde.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Nacional

Señor Lopetegui,

Já passou a fezada depois do sorteio? Já estamos todos mais calmos depois de percebermos que vamos jogar contra um tubarão que faz o do Spielberg parecer um carapau que nem é de corrida? Já falaste com os teus muchachos e disseste-lhes que isto da Champions é para homens e se estão com medo é melhor começarem a telefonar aos agentes porque aqui não temos medo de nada nem de ninguém? Bueno. Vamos ao próximo adversário que esse ainda vem longe.

Na altura em que o árbitro apitar para o início do jogo, já vais saber como ficou o benfas em Vila do Conde. Não me parece que estejam ventos ciclónicos, por isso podemos prever que os gajos até nem se vão safar mal e que vamos arrancar para a jornada com sete pontos de atraso. Podem ser quatro ou cinco, é verdade, mas o mais provável é serem sete. E não faz mal nenhum, porque continuamos com a mesma missão que tínhamos há duas ou três ou mais semanas: ganhar. E tens de continuar a ganhar, independemente do adversário, do estádio ou do relvado. Temos de manter o sonho aceso, Julen, especialmente numa altura em que lá em baixo estão todos a torcer para que percas pontos, eles que já começam a sentir a pressãozinha a morder-lhes os tornozelos e a cravarem as unhas nos gémeos. Continua a ganhar e vais ver que os gajos vão ceder, mais tarde ou mais cedo vão ceder!

Não sei quem é que vais colocar a jogar mas pensa que vais ter duas semanas para trabalhar os rapazes de maneira a que estejam em forma para um Abril que vai ser uma parvoíce de jogos. Mas tudo começa hoje na Madeira e nesta segunda vez que botas as perninhas na ilha, faz lá o favor e ganha pela primeira vez. Estamos contigo, hombre!

Sou quem sabes,
Jorge