Ouve lá ó Mister – Lille

Señor Lopetegui,

Parece que ainda aqui estivemos, neste mesmo sítio, a dizer as mesmas palavras, aqui há uma semana. O título era idêntico e tudo, já viste?! Mas a disposição, essa está um bocadinho diferente. Não para pior, não penses isso, apenas mais confortável do que estava na semana passada, porque aquele golinho do Herrera pode ter ajudado e muito a colocar a malta na fase de grupo da Champions e limpou-te a primeira gota de suor “à animé” que podias pensar em verter da tua testa. Mas o trabalho ainda não está terminado, meu caro, por isso mãos à obra e vamos perceber o que temos de enfrentar hoje.

Os gajos são rijos. Já viste isso na semana passada, gostam muito da pisadela e do empurrão, são daqueles que a malta gosta de mandar abaixo com estrondo, se percebes o que quero dizer. E vi os teus moços com calma suficiente para perceberem que era essa a táctica do adversário e que não precisavam de baixar a esse nível. Continuaram a jogar o que sabem e lá marcaram e lá ganhámos e isso é que importa. Não interessa nada se os gajos são melhores que nós – neste caso, não são mesmo – mas mesmo que sejam, a mentalidade é que é preciso estar sempre em modo-vencedor. Hoje, quando entrarem em campo, lembrem-se dos jogos contra franceses no nosso passado. Da vitória em Lyon, a outra nas Antas contra o Marselha, naquele jogo sofrido com o Drogba a ganhar tudo que era bola aérea nos últimos vinte minutos. Mas lembrem-se do Nantes, que nos deu água p’la barba, e do Paris Saint-Germain, esses estupores que já nos lixaram várias vezes. Já sei que a malta não tem grande experiência (afinal, quando vi o primeiro jogo do FC Porto ao vivo contra uma equipa francesa, o Nantes, em 1995, o Ruben Neves era um brilho nos olhos do pai e o Óliver ainda andava de fraldas…), mas é preciso começar a meter-lhes na cabeça que aqui não há empatanços. É sempre, mas sempre para ganhar.

Tenham noção da nossa história e foquem-se em ganhar o jogo. Porque as minhas 3ªs e 4ªs têm de levar hino de Champions e o FC Porto tem de lá estar. E eu. E todos nós. E vocês também.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Paços de Ferreira

Señor Lopetegui,

Vai aí um rebaubau-pardais-ao-ninho que mais parece que anda tudo numa alcovitice doida. Bocas sobre avançados, porque o Jimenez afinal não vale os dez milhões e o Clasie se calhar já não vem ou até já o vi a comprar uma casa em Valadares mas o Aboubakar chumbou nos testes porque lhe fizeram o carbono-14 e afinal tem a idade de uma sequóia adulta, mais o Quaresma que chamou anão estúpido ao Rui Barros ou afinal não foi nada disso mas parece que até foi e nem sei se houve cena ui parece que andaram todos ao molho como é que sabes isso sei lá não vi o que se passou mas disseram-me e olha que é um gajo que até sabe das coisas…e por aí fora.

Don’t care. O que me interessa é a bola e devo-te dizer que gostei do jogo com o Lille. Gostei da organização e da mentalidade, apesar do futebol ter sido fraquinho e com poucas oportunidades, mas ainda assim o que interessa nestes jogos é mesmo um gajo chegar-se à frente e entrar em campo com a cabeça no sítio e focada no resultado. E hoje tem de ser a mesma coisa, porque começar a perder pontos tão cedo no campeonato é uma atitude de sportinguização que não me assenta mesmo nada bem. E independentemente da convocatória e das tuas escolhas, acredito que estamos todos convencidos que o resultado vai cair para o nosso lado. Mas deixa-me que te diga (comecei a tratar-te por tu, espero que não leves a mal) que a ausência do Quaresma, seja lá por que motivo possa ter sido, não me incomoda muito. A do Danilo, sim, essa acho estranha. Já está cansado, o rapaz? É que usar o Ricardo a defesa direito devia ser uma solução alternativa de última hora, daquelas que se fazem a meio da época quando o titular está de rastos e o suplente lesionado ou castigado ou parecido…fazer isso no segundo jogo do campeonato parece-me exagerado, mas tu é que sabes.

Acima de tudo, como disse, é preciso entrar com a cabeça no sítio. E depois meter a bola no Jackson. O Jackson resolve. Acredita.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Lille

Señor Lopetegui,

Isto é que está a ser uma semana de estreias, heim? Foi o primeiro jogo competitivo, o primeiro para o campeonato, o primeiro no Dragão…e agora segue-se o primeiro na Champions! Se houvesse uma praxe por cada um desses eventos, o meu caro amigo já estava mais carimbado que um passaporte de espião! Mas esta é diferente, oh se é. É uma daquelas sensações que se passa pela primeira vez e nunca mais o deixa, por muito que seja “apenas” uma pré-eliminatória, lá no fundo já vai ter a noção que está numa das provas mais importantes do Mundo, a jogar com os grandes, ombro-a-ombro com os Chelseas, os Bayernes e os Barcelonas desta vida. E está a 180 minutos de deixar de os ver ao longe, amarrados por um nagalho que quase não se distingue no meio da névoa de uma noite de quarta-feira com bola, onde só precisa de puxar com força suficiente para que entrem todos pela mesma porta, para as mesmas salas, com as mesmas armas.

O jogo não vai ser fácil, tire daí a cabeça. Afinal, o Lille ficou em terceiro no campeonato e tendo em conta que os primeiro foram PSG e Mónaco, não foi feito pequeno. Os gajos são lutadores, esforçam-se imenso e não dão uma bola por perdida, por isso é preciso ter cuidado nesse seu novo meio-campo, que não parece feito para combates rijos, de modo a tapar os buracos certos na altura certa. Não sei se a aposta em Ruben Neves vai continuar mas espero que o puto esteja pronto para isto. É outro nível, como sabe, por isso não convém deixar nada ao acaso especialmente neste arranque, onde não há espaço para falhas. Os extremos que ajudem a defender, os laterais que se acalmem nas linhas e os centrais que não hesitem quando receberem a bola. E tu, Fabiano, é bola para o quintal se for preciso!

Não querendo fazer do Lille um Real Madrid, o que me bate cá dentro é que vai ser complicado. Cabe-vos a vocês deixar a minha cabecinha descansada e tranquila, para poder passar um Outono agradável enquanto que vocês se preparam para várias semanas com jogos de três em três dias. Ah, que bom que é estar na Europa…

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Marítimo

Señor Lopetegui,

Se Dexter Morgan estivesse hoje pelos lados da Invicta, diria, no taciturno e frio modo de falar que o caracterizava (caracteriza? vejam o series finale e depois falamos *SPOILER ALERT!*): “Tonight’s the night”. E é mesmo. É esta noite que todos vamos acabar de pôr a pré-época para trás das costas, esquecer os estágios na Holanda e em Inglaterra, os jogos amigáveis e as torres no centro de treinos. Hoje, meu caro Julen, é que começa a doer.

Com toda a certeza que sabe o que esperar. Não somos adeptos fervorosos como os bizantinos ou os das ilhas gregas, cipriotas incluídos, para o bem ou para o mal. Somos gajos mais relaxados e na maioria das vezes vai ver que não havendo silêncio no estádio, grande parte do povo vai estar sentado nas suas cadeiras a apreciar o espectáculo, reclamando de vez em quando com um passe mal feito e sempre, mas sempre com a piadinha pronta a mandar para os companheiros de sector e, em não raras ocasiões, a proferir a versão própria do “I told you so” quando as coisas não correrem bem. É assim em todo o mundo, presumo, e nós não queremos ser excepções. Mas esta é a vida de um grande clube e se estava habituado a isso enquanto jogador, também o saberá quando estiver sentado no banco, ou de pé a ganir para o relvado como o tenho visto a fazer. Vença e terá um grupo de camaradas todos contentes e dispostos a pagar-lhe cañas sem fim. Perca e as forquilhas serão colocadas em riste e o espeto pronto para o tostar.

Não tenho expectativas altas para hoje. Quero uma vitória porque todos queremos arrancar bem e isso é que é o mais importante. Quanto aos jogadores que vai escolher, admito que sou parcial em relação ao Brahimi mas quanto ao resto deixo nas suas mãos. Afinal, são elas que nos vão guiar ao título. Ou pelo menos assim o espero. Bom jogo, bom arranque…e boa época!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – West Bromwich Albion

Señor Lopetegui,

Chegamos ao último jogo de preparação, caríssimo. A partir daqui não há mais brincadeiras em campo, acabaram os treinos no relvado com público a assistir, terminaram as opções rotativas de jogadores atrás de jogadores lançados a feras amansadas para mostrarem o que valem. A partir da próxima segunda-feira as conversas serão outras, os adversários também e a exigência, oh, a exigência sobe para níveis que o Julen ainda não provou por terras lusas.

Se é desta experiência que estava à procura depois de sofrer essa pressão durante um mês de cada dois em dois anos, bem vindo às trincheiras. O jogo de hoje serve como um copinho de shot de sobremesa após alguns meses simpáticos de inovações nos treinos, de baralhar e torna a baralhar nos nomes dos moços que lhe apareceram na frente nos treinos, de diálogos calmos e testes mais ou menos complicados. Hoje é que se decidem os nomes, é que se fazem as últimas análises e se escolhem as estratégias a aplicar.

Por isso tem carta branca, mister. Invente lá o que lhe apetecer, ponha o Fabiano na lateral esquerda e o Maicon a ponta-de-lança. Experimente o Quaresma como terceiro central e o Sami à baliza. Faça o que lhe apetecer. Mas ponha os rapazes em condições para sexta-feira.

Sou quem sabes,
Jorge