Ouve lá ó Mister – Académica

Camarada José,

Um jogo às quatro da tarde. Senhor da Pedra me perdoe e me unte todo com manteiga de amendoim se eu me lembro de um jogo do campeonato do nosso FC Porto a essas horas. E já sei que alguém me vai dizer: “Ó parolo, então não te lembras do jogo contra o Atlético dos Coveiros, quando jogámos com 10 durante três minutos e meio enquanto o Tarik era assistido?! Começou às 15h12!!! ÉS UMA VERGONHA!!!”, mas já estou habituado a hipérboles deste género, que se lixe, continuo o meu caminho.

E esta partida é só mais uma neste degredo de época que nunca mais acaba. Ainda deve haver meia-dúzia de portistas com o proverbial pito aos saltos depois do jogo contra o Nacional, mas eu mantenho-me com níveis de infelicidade de um gajo que perdeu a lotaria por um algarismo. Estou em negação, pá, tantas vezes dou comigo a pensar que se calhar estou a sonhar e daqui a um bocadinho vai aparecer o vigilante do cemitério a dizer-me “oh amigo, ponha-se a andar que aqui não é sítio para andar a mijar em cima das begónias”. e a única coisa que me pode fazer despertar deste pesadelo é pensar que vamos ganhar à Académica. E depois ao Sporting. E o Rio Ave. E aquele clube medonho dos tigres paneleiros. E ao Braga no Jamor. E aí, depois desses jogos todos ganhos, talvez não sue tanto de noite até Agosto. E daí, para te ser sincero, se calhar vou suar na mesma.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Nacional da Madeira

Camarada José,

Hoje é dia grande, rapaz. Ou melhor, seria um dia estupendo, recheado de pequenas conquistas e onde o povo poderia escolher quem lhe tocasse mais profundo na psique e na alma. Em dia de eleições, o FC Porto raramente se agiganta em relação a outros emblemas, mas hoje pode ser um dia ligeiramente diferente dos treze que se antecederam nestes moldes. Não sei ainda o que vai acontecer, mas algo está no ar e claramente não são pólens.

Por falar em sinais de primavera, a chuva que tem caído inclemente por estas bandas (ainda ontem houve uma tromba de água apocalíptica que vislumbrei mesmo quando estava a sair de um parque subterrâneo) pode estragar um bocado o espectáculo. O jogo no relvado, não o que se vai desenrolar na Porta 16, entenda-se. Nada que se compare ao nevoeiro enviado pelo Deus da Choupana, que não perde uma oportunidade para nos tentar lixar naquele campo de onde este ano saímos com uma vitória bem gostosa, com penalties por marcar contra nós e tudo, à grande. Mas hoje era engraçado mostrarem um bocadinho mais do que têm vindo a fazer nos dois últimos jogos, não achas? Repara que estes não jogam de amarelo e por isso serão um adversário teoricamente abatível, ao contrário de Paços e Tondela, esses titãs do futebol nacional. Estes, o Nacional, também serão um titã que cospe setas de ferro e mata percevejos com o olhar? Não creio. E vocês também não. Por isso dêem lá uma prendinha aos sócios que vão votar e a todos que puxamos para o mesmo lado ainda que de forma diferente…e ganhem o jogo. Não vos custa nada, aposto.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Paços de Ferreira

Camarada José,

Depois do jogo da semana passada, fiquei sem conseguir acreditar muito bem na nossa capacidade de jogar futebol. E quando ia saindo do Dragão, a caminho do carro, só pensava: “juro que se fosse comigo, a lista de convocados mudava quase toda para Paços e levava os Bês!”, opinião partilhada por muitos portistas nas mesmas circunstâncias. E chamava-os todos, do José Sá ao André Silva, passando pelo Garcia e pelo Chico e pelo Tomás, o Ruben Macedo e o Graça, o Chikhaoui e o Palmer-Brown, o Omar e o Gleison…até o Cláudio e o Rodrigo era capaz de lá espetar na lista, só para veres o quão lixado estava. E ao ver a lista de convocados, acho que pecaste por defeito, mais uma vez. Se os As não querem, os Bs agradeciam a oportunidade. Mas se calhar sou eu que sou um lírico e pessimista ao mesmo tempo, combinação que não funciona muito bem mas são as linhas com que me coso. Más, mas minhas.

Podes achar que sou um parolo mas a última memória de um jogo nosso em Paços é da vitória lá por dois-zero num proto-penalty sobre o James e uma expulsão do Danilo que me enervou até ao final da partida, que se disputou uma semana depois da Kelvinadela no Dragão. E antes disso lembro-me do jogo de abertura da época 2009/2010, onde empatámos com um golo do Falcao depois de um jogo em que falhámos tantos golos que a temporada começou logo mal para acabar ainda pior. Gostava imenso de ficar com este jogo como uma memória positiva mas os últimos jogos da nossa equipa fazem-me temer que consiga esse objectivo mas pelos piores motivos. Já nem sei o que te possa dizer mais, rapaz. Só espero estar bem enganado.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Tondela

Camarada José,

Nem sei muito bem por onde começar. Talvez uma prosa curta e com vernáculo controlado acerca da hora a que o jogo de hoje se realizar a uma hora que serve tanto para aquecer o espectáculo como uma gota de água morna no meio do Ártico. Podes agradecer aos teus chefes e aos fulanos da Liga e da Sport TV e sei lá a mais quem é que podes enviar fezes num envelope, porque se o obejctivo final é ter a menor assistência possível, acho que estamos no bom caminho. Se eu conseguisse perceber isso era menino para tentar ensinar o Varela a controlar uma bola de primeira e ambas as tarefas me parecem roçar o impossível.

Mas o que interessa mesmo para a equipa é que vamos aparecer de novo em frente à previsível meia-dúzia de milhares de adeptos com algumas ausências e a moral que está quase a descobrir petróleo. Vi que convocaste o Tomás e não creio que tenha sido apenas pelo golaço que marcou no sábado, mas será uma recompensa pelo trabalho feito nos Bs. Sempre gostei muito deste puto e apesar de ter jogado muitas vezes a central, vejo ali um futuro Moutinho como já disse algures no passado. Não creio que o ponhas a jogar mas fica com o rapaz debaixo de olho, há ali talento.

Vou estar lá, como de costume, a apanhar chuva e a torcer pelos nossos. E como nunca vi o Tondela a jogar ao vivo, ajuda a que a minha estreia seja simpática. Uma vitória era giro, uma vitória com vários golos marcados e nenhum sofrido ainda era melhor. Não me digas que não está ao nosso alcance, por favor!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Setúbal

Camarada José,

Já não sei o que esperar, sou-te sincero. Podemos ter um belo jogo com futebol ofensivo e alguma segurança defensiva para tapar os enormes buracos que vão aparecendo durante o jogo…ou então podemos ter uma caquinha de jogo com futebol assim-mais-pro-sei-la-mas-ninguém-remata-nesta-equipa e nenhuma segurança defensiva para tapar as crateras que vão com toda a certeza aparecer durante o jogo. Uma coisa é quase certa: não vai ser um jogo normal. E a culpa é de quem? Francamente, também não sei.

Não consigo ficar entusiasmado com este FC Porto, pelo menos no que tenho visto nos últimos jogos. É tudo “pouco”. Poucos remates, poucos jogadores a correr na frente, poucas jogadas de envolvimento, pouca agressividade. Também há “muitos”, atenção! Muitos passes falhados, muita falta de pernas, muitas jogadas perdidas, muita parvoíce. *suspiro* Este FC Porto, esta equipa que tu tens nas mãos sem que a tenhas criado ou ajudado a gerar, é uma manta de retalhos estranhos que não combinam bem, uma mescla de homens sem moral e sem fibra para combates a sério. E se não os conseguiste motivar para um dos jogos mais importantes do ano, em Braga, não vejo como é que o vais conseguir em Setúbal. Tenho fé, mas pouca.

Sou quem sabes,
Jorge