Ouve lá ó Mister – Liverpool

Camarada Sérgio,

Ora então seja muito bem vindo de volta ao troféu que todos gostaríamos de voltar a conquistar! Não estou com isto a colocar já o pé na linha de arranque, pronto para zarpar a caminho de Kiev (Kyiv, Kyev, Kiyev, decidam lá a forma de dizer isto antes que o meu rebranding pessoal comece a chamar aquilo “cidade onde o Chanov mamou um do Celso e outro do Gomes”) e conquistar tudo o que nos apareça pela frente, atenção. Mas que estamos nos dezasseis melhores, lá disso ninguém tenha dúvidas, portanto há que começar a trabalhar para chegar aos oito melhores e por aí fora.

O Liverpool não mete medo a ninguém. Pá, desculpa mas não mete. E até podemos sair da eliminatória vergadíssimos a um resultado gordo ou até frustrados pela eliminação tangencial, mas também podemos fazer o mesmo aos gajos! Podemos, pois! Tenho confiança em ti, tenho confiança nos teus rapazes e tenho acima de tudo confiança que vão estar em campo com a mesma mentalidade e querer que têm vindo a mostrar até agora. E não tenho motivo nenhum para não pensar que hoje aí por volta das 21h30 vou estar a sair do Dragão com um sorriso enorme e a pensar: “arre, que não esperava isto! ganda vitória!”.

Oupa. Quando mais não seja…são vermelhos, pá!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Chaves

Camarada Sérgio,

Uma Taça já foi. A outra ainda vamos ver se vai ou se vamos. E ainda há mais uma Taça a disputar e essa é daquelas grandinhas que é tão mas tão grandinha que só nos pode preocupar é se não lá estivemos para a jogar. E como estamos e vamos estar daqui a uns dias, esquece isso e foca-te neste jogo. Porque não tenhas a menor das dúvidas, meu caríssimo berrador: nós estamos na luta a três. Não vale a pena pensar que estamos em primeiro e temos um jogo a menos. Nhac nhac, nada disso. Estamos sempre com outros atrás de nós a morderem (esperemos) o pó que a tua equipa levanta e se deixares de levantar pó…lá está, passas a ser tu a mordê-lo e garanto que nenhum de nós quer ter dentes para isso.

Descanso é para os fracos e como tu não tens fracos (tens mas não admites ter, o que até é fofo da tua parte), toca lá de meter os melhores. Eu aposto, como fiz no último Cavani, no seguinte onze: Iker, Ricardo, Felipe, Reyes, Telles, Herrera, Sérgio Oliveira, Corona, Paulinho, Soares e Moussa. Só para descansares o Brahimi e evitar que o gajo entre na espiral de parvoíce e fique desiludido por não ter pernas para tudo. Só por isso. Se for preciso entra na segunda parte para ganhar ritmo. Ou o jogo, nunca se sabe.

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Sporting

Camarada Sérgio,

Alvalade, Outubro de 2017, calções brancos:

Já não me lembrava de ver um FC Porto assim. Há vários anos que não via o FC Porto a entrar num estádio difícil contra um dos adversários mais fortes no campeonato, de uma forma tão rija, voluntariosa e audaz, com vontade de vencer e de mostrar que estamos aqui para ganhar.

Braga, Janeiro de 2018, calções brancos:

o meio-campo esteve impecável a defender, forçando o Sporting a um jogo à Stoke, com Bas Crouch e Rory Coentrão a servirem como únicas forças de médio-micro-perigo que nos poderia causar alguma chatice.

Só vejo uma coisa que falta para conseguirmos marcar golos a estes gajos e quebrar esta miserável saga de cento e oitenta minutos sem marcar: mudar a cor dos calções. Porque fizemos tudo que podíamos para marcar e apenas o azar (e o árbitro) nos roubou a vitória. Hoje, será diferente. É só mudar os calções. E caso não seja preciso, é só fazer o mesmo. À terceira vai ser de vez, Sérgio!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Braga

Camarada Sérgio,

God fucking damnit, homem. God. Fucking. Damnit. És capaz, pela tua saudinha, de convencer os gajos que não vão conseguir ganhar jogos se não marcarem um golo? Ou melhor, eu já sei que marcamos golos em vários jogos e que não foram validados como deviam, mas essa treta de estarmos à espera que os árbitros tenham de…eh pá, sei lá, fazerem o trabalho deles, começa a cansar porque eles…eh pá, nao fazem. E nós não podemos ser obrigados a marcar n+1 golos para ganhar um jogo onde n golos deveriam chegar. Certo? Certo.

Hoje vai ser mais uma boa maneira de provares aquilo que disseste na conferência de imprensa. Ou seja, que os teus rapazes estão tão viçosos como os legumes de um hipermercado. Mas tu sabes que é mais uma questão estética que outra coisa, porque se apertares os gajos vais perceber que a imagem está porreira mas por dentro…espremes e o sumo que brota é pouco, custa a sentir o sabor e acaba por não saciar nadinha. Metáforas aparte, escolhe os que aguentarem um jogo em condições e não penses no jogo de 4a com o Sporting. Já perdemos pontos suficientes no campeonato e continua a ser a competição mais importante. Certo? Certo.

E depois deixa-me ir jantar descansado que só vou poder escrever a crónica mais tarde do que é normal. Que é, não mereço beber uns finos depois da partida? Estás convidado se quiseres aparecer! Mas ganha lá o jogo primeiro para vires bem disposto ao repasto!!!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – Moreirense

Camarada Sérgio,

A última vez que jogámos contra esta juventude de xadrez verde foi um dos jogos mais tranquilos que tenho memória este ano e não há motivo que encontre para que não tenhamos o mesmo nível de facilidade para vencer a partida. Aliás, começo a achar que o maior inimigo da equipa é ela própria, especialmente quando começa a complicar o que devia ser mais fácil, porque não tenhas dúvida: neste momento somos a equipa que melhor joga em Portugal. Mas…e nestas coisas da bola parece que há sempre um “mas” ao barulho…

…mas precisámos de o mostrar não só nos cento e poucos metros que vão entre as duas linhas de golo mas para lá disso. Não é uma referência ao lodo em que vivemos nos gabinetes das estruturas dos clubes, falo mesmo de meter os cojones no cepo e de enfiar a bola lá dentro da baliza. A fome que tenho de golos é directamente proporcional à necessidade que tenho que eles entrem para a equipa poder descansar e ganhar confiança de novo. Só espero que hoje seja mais fácil do que tem vindo a ser nos últimos dois/três joguitos…

Uma sugestão para o onze: descansa o Telles. Viste o Danilo? Ah e tal foi azar…e foi, mas se criares todas as condições para que a sorte seja dona disto é mais fácil, né? Vê lá isso, homem.

Sou quem sabes,
Jorge