O Mundo


Imaginem que estão descansadamente a almoçar num restaurante e a meio do repasto ouvem alguém a dizer “Estes peitos de frango panados com limão e tomilho são os melhores do Mundo!”, é possível que fiquem a pensar uma de várias coisas:

  • Este senhor é de facto um visionário, pois a minha refeição compõe-se dos referidos panados de galinha e são dignos de Zeus. Isto é pura ambrósia, estalajadeiro!
  • Blergh…não estão assim tão bons, que exagero, a minha mãe cozinhava bem melhor e usava umas ervas mais frescas e viçosas.
  • Mas…do Mundo? De todo o Mundo? Não haverá uma taberna nos Andes que confeccione este prato com mais afinco, quiçá com melhores ingredientes e usando frangos caseiros criados com carinho e afecto desde pintinhos?
Os absolutos tendem a ser facilmente refutáveis, especialmente quando o seu fundamento não é examinado com precisão. E às vezes sai disto. Depois não me venham dizer que A Bola não é o órgão oficioso do Benfica.
Assim sendo, proponho manchetes para a próxima revista Dragões:
  • “Bruno Alves salta mais sem vara que Bubka com ela!”
  • “Tomás Costa tem o nariz mais partido do Mundo!”
  • “Mariano é o melhor driblador de relva do sistema solar!”
Se se lembrarem de mais, avisem. As rotativas estão à espera do vosso génio.

1 comentário

  1. Mas porque é que lês A Bola???

    Aí está um jornal que não é digno de ser lido,… seja por que for…

    Então a questão principal é mesmo, porque lês???
    Ah, já sei… para teres o que escrever no blog durante a semana… boa táctica ;)

Deixar uma resposta