Don't make FC Porto angry

Mais uma visão estrangeira da vitória do FC Porto frente ao Braga e das ramificações das decisões do CD da Liga sobre o Túnelgate.

A ler aqui, no blog Just-Football.

6 comentários

  1. Só para fazer um bocadinho de advogado do diabo (vermelho) do Agent 86, recordo que em 2005/2006 um também jovem talento brasileiro foi posto no estaleiro durante 5 meses (curiosamente, a média aritmética entre Hulk e Sapunaru), num processo mais que sumaríssimo, sem possibilidade de recurso.

    Na altura foi o Katsouradas que aplicou o castigo ao Anderson, que no final da época se transferiu por 30M€ para o MU.

    Será premonitório?

    Não é bem a mesma coisa, mas os resultados práticos são similares…

    E já agora, mais uma sugestão: porque não colocar o Nuno a dar as palestras antes dos jogos? Muitas vezes utilizamos aqui figuras de estilo, para descrever factos. Mas desta vez foi ao contrário, ou seja, o jogo do FCP contra o Braga foi um exercício de estilo em função inversa, mas também directa (logo, ambivalente) das palavras do Nuno.

    Um abraço aqui da Sambizanga!

    Post Scriptum (a abreviatura P.S. pode ser mal interpretada nos tempos que correm): Ultimamente tenho andado muito por África, e não há como a ausência para nos fazer regressar a nostalgia dos bons velhos tempos. E, acredita, isso funciona como um autêntico antibiótico no sentido de afastar certas manias…

  2. Desculpa lá estar a ser uma melga, hoje, mas saindo daqui fui até à porta ao lado (sou leitor assíduo também do zerozero.pt, que recomendo pelo repositório de informação) e por acaso dei de caras com uma efeméride:

    Então não é que o central mais famoso de todos os tempos do Campomaiorense faz hoje 34 anos? Então os parabéns ao menino que então (se) batia com galhardia pela equipa dos Nabeiros!

    Curiosidade, onde pára esta avis rara? Entre uma promissora carreira no kick-boxing e o futebol, manteve-se neste último e conseguiu chegar à 3ª divisão do campeonato espanhol, no modesto Badajoz. É engraçado que o seu amigo Jardel também está numa situação idêntica, numa espécie de 3ª divisão brasileira, no Flamengo do Piauí.

    Bem dizia o Variações… quando a cabeça não tem juizo…

  3. rapaz, tu nunca és melga, apraz-me imenso ler os teus comentários e espero que continues sempre em grande forma como tens vindo a mostrar.
    quanto ao nosso amigo Agent 86, como lhe chamas, faz o que quer e aproveita-se da ambiguidade latente em quase qualquer lei para ditar justiça da sua própria pena. enfim, a malta cá no burgo que o ature…

    em termos de passar tempos fora do país, como sabes já dei para esse peditório e tens toda a razão! olhar lá de fora cá para dentro muda muito a forma de ver o nosso mundo, por isso percebo o que dizes :)

    ah, o josé soares, o david luíz do alentejo-sem-lei nos 90s, starring bruno paixão. o zerozero é sempre um genial filão de informação e todos os meus longuíssimos ficheiros de excel com dados draconianos baseiam-se em grande parte na base-de-dados deles. alguém tem de fazer o trabalho sujo! :)

    grande abraço!

  4. Os portistas os jogadores do porto e os portuenses em geral são umas bestas-abrutalhadas que não merecem a consideração de ninguêm…
    Vão mas é todos para a escola aprender a ler…

  5. ah…os comentários anónimos são sempre recebidos com extremo prazer, mesmo quando escritos por malta que, por falha própria ou por treino psicológico específico, não conseguem assimilar conceitos perfeitamente básicos de sociologia e demografia. entre portistas e portuenses já há diferenças e entre portuenses e jogadores do FCP ainda mais!
    volte sempre, caro amigo! pode ser que aprenda qualquer coisa você também!

  6. Excelentíssimo Sr.:

    Faço saber a V. Exª que:

    Primeiro, não há confusão nenhuma entre portistas, portuenses e jogadores, o que há era enumeração;

    Quanto à Sociologia, experimente Pierre Félix Bourdieu, Jean Baudrillard e, Jean-François Lyotard e, verá que o futebol é a nova meta-narrativa, a pseudo-religião do seculo XXI: Credo in FCP(m) m para dar uma espécie de acusativo…
    Terceiro, não confuda, por gentil obséquio o justíssimo direito ao anonimato com incultura, o que este país precisa é menos engenheiros da treta e, mais gente anónima com saber!!!

    Cordiais cumprimentos.

Deixar uma resposta