Ode a Mariano

O prometido é devido. O rapaz fez um bom jogo e então tive de activar a minha fraquíssima veia poética para homenagear o nosso Mariano.
Aham. A pedido de diversas famílias, cá vai:

Com a camisola já de suor manchada
apareces sem parecer reparar
que te foge quase sempre da alçada

a bola que em vão tentas controlar.
Em atitude que é tão tua e desvairada,

tropeçando, cambaleando a lutar,
ouves adeptos que gritam sem demora:
“Jesualdo, põe o Mariano cá fora!”

Quantos dias não passaste em tristeza,
rodeado de família e bons amigos,
frustrado na lamúria da dureza
dos Portistas que tinhas por inimigos.
Mas um dia, ah benesse da Natureza
foste encarar de frente os perigos,
esqueceste a ignomínia do insulto
e tentaste ir atrás de um indulto!

Engrandeces a camisola que ostentas
de azul-e-branco lindo e imaculado,
ultrapassas toda a fúria das tormentas
com dois golos! Aleluia, mal-amado!
Foi a paga das vezes que te lamentas
e respondes com voz de homem enervado:
“Para mim uma besta é de trabalho!
E agora? Quem me manda pro caralho!?”

7 comentários

  1. Considero que o FC Porto acabou por ser feliz, tendo em conta naturalmente, o facto de mais uma vez, ter lutado não só contra um valoroso e aguerrido adversário, mas também contra as arbitrariedades da equipa da Apaf.

    O jogo teve duas fases distintas, a antes de Rúben e a depois de Ruben.

    Na primeira fase poucas foram as exibições positivas, depois quase todos cresceram.

    Até o Mariano, jogador que decididamente não me cai no goto, explodiu e marcou um belíssimo golo.

    Acho que o segredo está na braçadeira! Já havia sido assim no jogo da Taça de Portugal, onde também fez um golo portentoso.

    Ontem quando recebeu a braçadeira de capitão, transformou-se num jogador de futebol!

    Sr. Professor, que Mariano seja sempre o capitão!

    Um abraço

  2. Eia, pá!
    Conseguiste nesta magnífica ode descrever de forma metafórica o que realmente o Mariano faz no campo!
    Parabéns!
    É que dá para ver que te esforçaste, tiveste um momento de inspiração, e depois, terminas, quase como com um anacoluto, por mandar tudo para o caralho…
    Quantas vezes o Speedy Gonzalez, na sua atitude esforçada (diria mesmo, mais do que prometia a força humana) parece que vai ter um momento de inspiração e depois, não é que manda mesmo a bola para junto dos vigias no mastro (por perífrase, para o meio dos SD)?
    Eu acho que nem mesmo o Rei Artur Jorge no tempo do seu farto bigode conseguiria escrever um poema com uma imagética tão subtil!
    Um abraço!

  3. Zé, é nos teus comentários que ganho inspiração, homem :)
    O Mariano devia ser estudado pela Ciência moderna. Não me lembro de nenhum jogador que seja capaz de tão pouco durante tanto tempo para finalizar em beleza e ser de tal maneira importante para uma equipa. Bem, talvez o Secretário para o Sporting!

  4. Magnífico retrato poético daquele que já uma das figuras mais marcantes (por razões estranhas) do FCP de todos os tempos !!
    Qual Camoes, qual Pessoa….temos o nosso Berto !!
    Abraço e parabens

Deixar uma resposta