Porta19 entrevista Carlos Ribeiro (ovimaranes.blogspot.com)

Continuando a rubrica que abri aqui com a entrevista a Wim Nijst e continuei aqui em conversa com João Paulo Meneses do Reis do Ave, hoje entrevisto Carlos Ribeiro, co-autor do Vimaranes (não tem acento, é mesmo o nome em latim da cidade de Guimarães), um dos melhores blogs nacionais sobre clubes de futebol. As respostas são longas mas vale a pena ler, por isso vamos à entrevista:

Porta19: O Guimarães estava em grande forma mas perdeu em Coimbra. O FC Porto será o adversário ideal para voltar às vitórias?

Carlos Ribeiro: Antes de responder directamente à questão, e mantendo uma cruzada que não nos cansamos de continuar a disputar, não gostamos nada de ser tratados por “Guimarães”. No nome oficial do clube nem sequer consta o nome Guimarães, apenas e só, Vitória Sport Clube. Isto, apesar de toda a comunicação social, usar o mesmo tratamento, ora com a desculpa da diferenciação com o outro Vitória, o de Setúbal, ora apenas por comodidade. Talvez seja um preciosismo, mas simplesmente Vitória ou no limite Vitória de Guimarães seja o tratamento que mais gostamos.

Agora, respondendo à questão. O Vitória está a fazer o melhor arranque da década, não só porque o arranque está a ser de facto positivo mas também porque a última década não foi repleta dos êxitos que os tempos idos de 80 e 90 nos deram. A derrota em Coimbra acaba por ser justa perante uma equipa que está a fazer também um grande campeonato, ainda que me pareça que o Vitória não foi inferior à Académica, mas apenas menos eficaz e menos feliz.

Sinceramente, acho sempre que o adversário ideal para se regressar aos triunfos é o próximo. Quis o calendário que fosse o FC Porto e assim sendo, sim é o adversário ideal. Não por ser um clube dito grande, com outros objectivos e outra qualidade, mas sim porque é o próximo a cruzar-se no caminho do Vitória. Sabemos no entanto que será muito complicado vencer. O Porto leva 6 vitórias em 6 jogos, uma vantagem já demasiado confortável para qualquer um dos pretensos candidatos ao título e, visto à distância, ainda que me pareça sensato que vocês não o queiram admitir, estamos perante um caso único que é o do campeonato estar praticamente decidido para as vossas cores com apenas um terço da temporada realizada. Como se toda a vossa qualidade demonstrada não bastasse, o Vitória leva 9 anos sem ganhar ao Porto no D. Afonso Henriques e 19 golos sofridos e apenas 3 marcados nas últimas 7 derrotas consecutivas.

Por isso, provavelmente se pudesse escolher um adversário nesta altura não escolheria o FC Porto. Mas jogando em casa, depois de já no D. Afonso Henriques termos acabado com a malapata em jogos com o SL Benfica, exige-se que o Vitória tente inverter estes dados negativos e consiga um triunfo, mantendo assim o 2º lugar na tabela. Difícil? Muito. Mas longe de ser impossível, ainda para mais atendendo ao crescimento que o Vitória tem evidenciado nas últimas jornadas.

Porta19: Quem são os jogadores de maior potencial no plantel do Vitória para 2010/2011?

Carlos Ribeiro: Acho que uma das mais-valias desta temporada é mesmo o colectivo e, mais do que isso, as vastas opções principalmente para o sector atacante de que Manuel Machado dispõe. Agora, claro que como em todas as equipas há sempre jogadores acima da média e capazes de desequilibrar. Marcelo Toscano, o avançado que o Vitória resgatou ao Paraná é um jogador que tem dado muito nas vistas, pela sua qualidade técnica; João Ribeiro, ex-Académica, é um miúdo de enorme potencial e provavelmente o jogador mais em foco esta temporada; Edgar é um jogador que vocês conhecem bem e um goleador de qualidade; Rui Miguel é o virtuoso de serviço e ainda que não tenha ainda singrado como titular, é normalmente decisivo quando salta do banco para decidir jogos, por ser um médio de grande qualidade técnica. Finalmente, há Nilson. O esteio da baliza há vários anos e que nas últimas épocas tantos pontos tem valido. Creio que passa por este núcleo de jogadores muito do eventual sucesso esta temporada.

Porta19: Manuel Machado é o treinador desejado pelos adeptos? Depois de uma pré-época tão atribulada, o ambiente está mais sereno?

Carlos Ribeiro: Guimarães costuma ter problemas com os filhos da casa. Daí que muitas vezes se diga que Guimarães é má mãe e boa madrasta. Manuel Machado é um vimaranense e acima de tudo um vitoriano e por isso a sua última passagem pelo Vitória não foi fácil, mas foi ao mesmo tempo umas das melhores temporadas dos últimos anos porque resultou numa qualificação europeia. Apesar disso, creio que Machado era o desejado pela larga maioria dos vitorianos. Porque sendo um homem da casa, percebe como ninguém o Vitória e, num clube que nos últimos anos tem revelado uma enorme falta de pensamento estratégico no futebol profissional, o homem certo, no lugar certo. A pré-época foi algo atribulada muito porque é extremamente complicado construir uma equipa com um plantel totalmente renovado e com tantas entradas e saídas. Mais ainda, quando essas mudanças se prolongam até depois do próprio campeonato se iniciar. Mas, depois de um período mais conturbado e de alguma desilusão porque o Vitória não alcançava o patamar exibicional que os vitorianos – exigentes como o são – pedem, acredito que agora estejamos mais satisfeitos. Claro que a equipa ainda pode dar muito mais e tem de dar muito mais, mas já é notório o seu crescimento gradual e, como este tem vindo acompanhado com bons resultados, não há razão para não estarmos confiantes. Não deslumbrados. Apenas confiantes.

Porta19: Com a imprensa tão tri-polarizada em Portugal, como é que vê o desprezo a que são votadas as equipas de dimensão mais pequena?

Carlos Ribeiro: Esse é, seguramente, um dos grandes problemas de que padecem as equipas de pequena e média dimensão. Mesmo quando alcançam resultados dignos de registo, quer dentro, quer fora do país. Invariavelmente são esquecidas, principalmente por aqueles que têm o dever de manter o dever de isenção hipotecando até, no caso por exemplo da estação pública os princípios da «diversificação» e, sobretudo, do «p
luralismo» que estão previstos na Lei da Televisão. Este mesmo assunto, levou inclusive ao lançamento de uma petição no meu blogue em conjunto com um blogue bracarense e que teve na altura algum mediatismo dado pela comunicação social. Mas este é um problema conjuntural que não vai lá apenas com petições e protestos apenas por parte de um clube ou outro, terá de ser uma batalha necessariamente levada a cabo por todos os clubes de média e pequena dimensão que se sentem desprezados, mas terá também de passar por uma revolução no futebol português que infelizmente creio vir ainda demasiado longe, porque quem tem o poder de mudar, não tem naturalmente razões para o fazer, porque não é alvo dessas discriminações. E não falo apenas de discriminações pela comunicação social, mas principalmente por aqueles que surge dentro das estruturas do futebol português e que fazem com que quase sempre estes clubes sejam prejudicados em detrimento dos ditos grandes.

Claro que este desprezo de que falas, é ainda mais acentuado quando nas lideranças dos clubes estão dirigentes sem voz e sem capacidade de liderança e que não são por isso capazes de encarar de frente os poderes instalados, quer no futebol quer nos media e de se fazerem ouvir. O Vitória padece também desse problema, desde que Pimenta Machado saiu da liderança do clube. E não estou com isso a defender a sua presidência de quem fui muito crítico, mas a verdade é que nesse aspecto, não havia nada a atacar-lhe. O Vitória fazia-se ouvir. Pelo menos, isso.

Porta19: O Vimaranes é, reconhecidamente, um dos blogs mais importantes de clubes portugueses. De onde vem a motivação para escrever depois de um dia de trabalho?

Carlos Ribeiro: Acho que a resposta será idêntica à grande maioria dos bloggers. Há sempre motivação para escrever sobre quem gostamos e em prol do clube que amamos. No meu caso não é diferente. Apesar de a minha profissão nada ter a ver com a comunicação social, tive sempre uma paixão imensa pela escrita e, se a isto juntarmos o facto de ser sócio do Vitória praticamente desde que nasci (perto de completar 25 anos) é fácil de perceber como se juntam duas paixões. E sempre o fiz quer em jornais da terra, quer na rádio ou nos blogues. Nem sempre é fácil arranjar um tempo para o fazer, mas tenta-se sempre. Obviamente que prefiro escrever com o Vitória em alta, mas curiosamente o blogue até nasceu numa altura em que o meu clube lutava para não descer, não o tendo conseguido evitar. Na altura, precisava de um espaço pessoal para escrever o que pensava sobre tudo o que estava a acontecer no clube. Depois, o projecto foi crescendo e atingindo dimensões que nunca esperei e aqui a principal responsabilidade é dos leitores, que foram gradualmente aumentando e também por isso, aumentando a nossa responsabilidade. E agora o VIMARANES é de facto o blogue mais visitado e mais mediático do universo vitoriano e um blogue de destaque dentro da blogosfera desportiva e isso enche-nos de orgulho. Não que, como costumo dizer, trabalhemos para números, mas porque estamos certos que também deste modo ajudamos o clube. Nunca fugindo a polémicas ou às opiniões pessoais de que se moldam os blogues, mas contribuindo modestamente para a projecção do clube e o seu crescimento sustentado, através do lançamento de debates de ideias e da divulgação de conteúdos que interessam aos vitorianos. Haverá maior motivação do que essa?

Porta19: Ainda há esperança para a maioria dos blogs Portugueses de futebol ou a inspiração está a definhar em função das redes sociais e dos fóruns de discussão?

Carlos Ribeiro: Acredito que sim. Acho que nenhuma dessas plataformas é concorrente dos blogues e na minha opinião toda elas contribuem, cada uma à sua maneira, para o crescimento da consciência pública e do debate de ideias. Claro que há sempre blogues a acabar, mas também há sempre outros espaços a nascer. A blogosfera vitoriana, por exemplo, é repleta de bons exemplos. De blogues que assumiram numa dada altura uma importância crucial e outros que hoje em dia continuam, pela sua qualidade, a ser visita diária obrigatória, porque muita da discussão do nosso clube passa por lá. Tudo isto num clube que tem um fórum de discussão de grande mediatismo também e onde também as redes sociais assumem agora particular importância. Mas creio que há espaço para todos e, quantos mais forem, melhor se torna para a divulgação e o crescimento do clube. Nesse aspecto creio que os vitorianos se devem sentir satisfeitos. Há muitos espaços e de grande qualidade pela Web vitoriana, muitos dos quais sempre estiveram à frente do próprio veículo de informação oficial do clube na internet.

Não quero terminar sem felicitar este blogue (e naturalmente o seu responsável) pela qualidade que patenteia e que faz com que, não sendo um blogue afecto ao meu clube, o visite com regularidade. Saudações vitorianas.


Aproveito para agradecer ao Carlos pela disponibilidade. É um gosto trocar ideias com pessoas que vibram e sentem o seu clube por dentro e por fora. Espero que seja um excelente jogo e que consigamos vencer e continuar a carreira à imagem da nossa cidade. Invicta.

7 comentários

  1. a convivência competitiva é sempre de saudar, quando é civilizada.

    Neste sentido, parabéns a ambos os blogs por mostrarem que se pode competir saudavelmente

  2. Ah sim,o Vimarenes,gosto bastante desse blog,sem tangas.É o único blog não portista(e desportivo claro) que acompanho,gosto muito(sim,não tanto com o teu Jorge,claaaro xD)

  3. Viva. Concordo com o Carlos Ribeiro pois de facto o Porto está muito forte este ano… principalmente no sector defensivo depois da contratação do Sereno.

Responder a PES 2011 PT Cancelar resposta