Duelos para a temporada – parte I

A História está repleta de duelos. Muhammad Ali contra George Foreman, Aaron Burr contra Alexander Hamilton, Júlio César contra Pompeu, Napoleão contra Wellington, Montgomery contra Rommel, Ripley contra o bicho que baba ácido, Kramer contra Kramer, Paulinho Santos contra João Pinto ou Mariano González contra a Jabulani, todos estes são exemplos de inimigos figadais, de rancores e lutas constantes até que um fique prostrado em metafórica posição fetal, ou no caso do Mariano, que habitualmente resultava num lançamento lateral para o adversário. No plantel do FC Porto deste ano temos direito a assistir a alguns destes duelos, ainda que com contornos consideravelmente diferentes dos supra-citados, porque só num caso ou noutro veremos derramar de sangue, lutas de espadas ou disparos com boa pontaria. Espero.

Por isso vou aqui deixando alguns dos duelos que vão ser travados pela titularidade no FC Porto. Digam de vossa vontade, fazem favor.

 

Jorge Fucile
Cristian Sapunaru
Posso chutar, mister?
(características ofensivas)
Gosta mais de atacar que o exército americano, rompe pelo flanco como uma coisa que rompe muito bem pelo flanco. Mais retraído, mas ultimamente aparece na área para finalizar.
Defende em condições?
(características defensivas)
Bom no 1×1 em condições naturais, cai pouco nas fintas e mantém a postura, mas tende a esquecer-se que a zona que lhe está atribuída é um pouco atrás do meio-campo. Não sendo uma barreira intransponível, é um defesa sóbrio e racional. Continua a dar muito espaço quando tem um extremo rápido e permite cruzamentos mais vezes do que devia.
O guarda-redes abdica da barreira…
(lances de bola parada)
Costuma ser o elemento mais recuado, é aquele bombeiral que fica atrás a guardar a cisterna. Joga bem de cabeça e aparece sempre na área.
Oh amigo, até jogo à baliza!
(versatilidade)
Pode jogar na direita ou na esquerda Consegue jogar à direita e ao centro da defesa
Parto-te todo, ouviste?!
(sistema nervoso)
Agressivo, reclama muito com os árbitros.
Enerva-se facilmente.
Pensa que tem a técnica do Dani Alves mas está mais próximo de um Ibarra.
Agressivo, reclama muito com os adversários.
Propenso a faltas para amarelo quando se posiciona mal no 1×1.
So ready for my fucking close-up
(imagem)
Parafina. Pinta o cabelo, sinal de segurança clara na sua masculinidade. Tem ar de gozo sempre que fala com a imprensa Alcoólico. Continuo a achar estranho ainda não ter visto uma garrafa de “Absolut Sapunaru” num supermercado. Ah, e apanhou uns meses de suspensão por andar à pancada num túnel.
Como é a música que cantamos a este gajo?
(relação com os adeptos)
Ambígua. Uns adoram-no, outros não o podem ver. Começou indiferente, actualmente é um “menino querido” das claques.

6 comentários

  1. Fantástica esta rubrica!

    Espero ansiosamente por todos os outros micro duelos com este nível de análise com muita piada e muito lúcido.

    Quicá a merecer um link principal próprio algures na página.

  2. grande ideia mesmo, grande rubrica os meus votos para a continuação, quanto ao duelo em disputa digo apenas que estamos muito bem servidos de laterais direitos, de realçar que se completam um ao outro, o “maluquinho” e o “certinho” o grande o pequeno… aqui a um ano e meio atras sem duvidas escolhia o fucile… mas actualmente prefiro o sapu dá mais garantias, é pena porque até acho o fucile muito melhor mas não atina da cabeça as vezes, não deixa de ser um Dragão e sempre que fala fala como um de nós, dá gosto, o mesmo digo do sapu alias.
    Abraço

  3. Sou um fã do Fucile, desde o primeiro jogo que realizou, um jogador que não merecia críticas de certas almas que por aí deambulam.
    Basicamente devem ser os mesmos que defendem os Jesualdos e MArianos desta vida, defendem não , amam-nos…

    Fucile chegou por empréstimo, se não me engano e com uma opção de compra baixinha, directamente de um clubezito do Uruguai.
    Posição que o poderia catapultar rapidamente para uma dispensa, um empréstimo, um desprezo generalizado.

    Chegou, mostrou a raça e ganhou lugar.
    Jogador à Porto, que deixa a pele em campo, polivalência até dizer chega.

    “Bate mal” da tolinha, é verdade, também têm de sair uns assim.
    Geralmente acontece borrada quando perde o controle emocional. Certo.

    Mas nestes anos todos Fucile foi talvez dos jogadores com marca Porto mais vincada na testa.

    Foi chamado de emergência à esquerda, inúmeras vezes, tantas que até é capaz de ter jogado mais aí que à direita.
    Cumpriu exemplarmente. Na Champions, na Taça da Liga, no campeonato. À chuva, nos jogos em que os outros se escondem, etc..

    Com um melhor controlo emocional era um dos melhores laterais do mundo, não o ganhou e baixou um pouco os níveis de exigência, nota-se que perdeu o brilho de poder chegar lá.

    Mesmo assim é notoriamente superior a Sapunaru em todos os capítulos. E mais alguns.

    Sapu é o que se pode designar por um central encostado à linha, com limitações gritantes a nível ofensivo, preso de rins.
    Mandou um murro a um segurança na Luz, bebe umas vodkas, é o primeiro a ir agarrar uma bandeira das claques, grita com toda a força o slb fdp slb….é o maior automaticamente para certas falanges.

    Se fosse lampião de berço como o jesualdo, ou tropeçasse cada vez que se encontrasse com uma bola de futebol como o Mariano, aí talvez já fosse o melhor de todos os tempos. Com direito a estátua na alameda. Na lógica daquelas alminhas

    Fucile concentrado e motivado é tão superior a Sapunaru que nem tem discussão.

    * Até final de Agosto, o confronto pode ser outro, mas isso agora…

  4. sou fã de Fucile desde sempre e defendo o Jesualdo. E, agora, Blue Factory? estraguei-lhe a teoria?

    – como pessoa, melhor que o Fucile só o Muslera… adoro aquele também.
    – como laterais, tivemos o Bosingwa, p.ex.
    – mas como portista da sé, não há na equipe igual…

  5. “Absolut Sapunaru” ahaha win

    gosto dos dois.Do Fuças sempre gostei,o romeno tem vindo a conquistar-me mas nunca o considerei flop ou coisa que o valha.
    A verdade é que é difícil deixar Fucile no banco quando está nos dias dele.Parece que está a voltar a esses tempos,oxalá continue

Deixar uma resposta