Baías e Baronis – FC Porto 3 vs 1 Académica

Foi giro ver a quantidade de putos no Dragão, vindos das escolas da Dragon Force espalhadas por esse país fora (mais focadas no Norte, pelos nomes que foram sendo chamados pelo altifalante). E que recepção tiveram os jogadores quando entraram para o relvado, que retribuíram com uma primeira parte muito agradável, com algum bom futebol, golos e níveis de criatividade e jogadas ofensivas bem interessantes. E depois foi também a altura do Dragon Force entrar em campo para a segunda parte, porque a grande maioria das imbecilidades que vi nesses segundos quarenta e cinco minutos só podem ser atribuídas à falta de experiência e juventude de miúdos de 12 ou 13 anos. Enfim, não se pode esperar consistência de um grupo que não mostra maturidade. Vamos a notas:

(+) Ghilas. Falso extremo. Parece um conceito tirado do manual de instruções de uma lancha recreativa, mas é de facto a posição que Ghilas ocupou enquanto esteve em campo. Não consegue praticar um futebol fluido como extremo, mas quando joga numa zona mais central, a arrastar o lateral para o meio e a receber as bolas nas suas costas, usa a velocidade e astúcia de avançado para perceber quais são as melhores opções que tem e é muito perigoso nessa função. Perfeito no golo que marcou, estou muito esperançado que tenha a mesma postura e que a equipa aproveite as suas características em Sevilha.

(+) Quintero e Herrera juntos ao centro (na primeira parte). Uma boa surpresa pela forma como trocaram posições constantemente e mostraram que ambos conseguiriam adicionar a tão necessária criatividade a um ataque que anda com muita falta dela. A Académica ofereceu muito espaço na zona central (mesmo, mesmo muito espaço!) e os dois aproveitaram na perfeição, seguindo com a bola constantemente a cambiar de posição e a usar bem o espaço para criar oportunidades para Jackson e Ghilas. Contra equipas mais fortes e com mais unidades a meio-campo (como o Sevilha ou o Benfica)…talvez tenhamos de sacrificar o mexicano pela força e sentido prático de Defour, mas Quintero *tem* de ficar na equipa.

(+) Reyes. Diego “Certinho” Reyes é exactamente o que o médico recomendou para uma equipa cheia de jogadores com mais altos e baixos que uma montanha russa no Dubai. Raramente falha um passe, posiciona-se muito bem perante os adversários e intercepta a bola com classe e muito pouco exagero físico. Continuo a dizer que me faz lembrar Aloísio exactamente por essa forma de cortar a bola…mas talvez seja melhor não continuar a fazer comparações desde que disse que o Carlos Eduardo me fazia lembrar o Deco. Bad Jorge, bad Jorge!

(-) Relaxar em excesso. O jogo teve pouca história mas podia ter sido uma boa exibição ao longo de noventa minutos e só não o foi porque a cabeça dos jogadores mudou-se para a Andaluzia ao intervalo e nunca mais regressou à Invicta. Esqueceram-se de um simples facto que atormenta a mente de todos os portistas há meses: a equipa não sabe jogar descansada e com confiança. Perdem-se em combinações frouxas sem progredir no terreno, assustam-se ao mais pequeno lampejo de pressão adversária, baixam o ritmo para níveis tão inconsequentes como um caracol a atravessar um campo de trigo em pleno estio e atrapalham-se tanto com a bola nos pés que mais parecem polvos a tentar controlar uma bigorna em brasa com os tentáculos. É terrível ver o FC Porto a jogar sob pressão mas consegue ser pior ver o FC Porto a ceder quando ela quase não existe.

(-) Abdoulaye. Já começa a ser complicado perceber o que dizer acerca das exibições do senegalês que veio da nossa formação e que é um bom exemplo do que um defesa central nunca deve fazer. Facilita em demasia nalgumas situações e é excessivo no approach a lances rasteiros, o que faz dele o total oposto de Bruno Alves em termos de altitude a que joga a bola, mas muito similar na agressividade. Falha passes demais a meia-distância mas o pior é que tenta fazê-los para as piores zonas que pode imaginar. Ou seja, uma nódoa na tomada de decisões ofensivas *e* defensivas. Não vejo qualquer hipótese, depois desta metade de época horrível, de o continuar a ver de azul-e-branco na próxima temporada.

(-) Porquê Quaresma e não Kelvin? Não percebi a entrada de Quaresma em vez de Kelvin. Todos temos visto que Quaresma está mais esforçado este ano, mais disposto a ajudar a equipa, até a correr para trás em auxílio defensivo. Mas também todos sabemos que é neste tipo de jogos que Quaresma menos se interessa pelo jogo em si e mais se foca na economia de suor e empenho, preferindo brincar em vez de produzir algo mais prático. E se Kelvin, até por ter tantos dos seus mais directos admiradores nas bancadas que se lembrarão para sempre do que o puto fez em Maio de 2013 como talvez o maior momento das suas vidas portistas, não entra num jogo que estava mais que decidido e pronto para embrulhar e mandar para a Liga ratificar o resultado, ele que deve estar com fome de bola porque não joga nem na A nem na B há meses…então não vejo outra oportunidade para o rapaz este ano.


E se o Benfica vencer esta segunda-feira, o título está matematicamente longe demais para conseguirmos lá chegar. Não é nada que não estejamos já à espera, mas sempre fecha essa porta de uma vez por todas. Ahhhh, to be young and foolish again.

23 comentários

  1. É bonito ver esses miúdos todos no Dragon Force.
    Eu como portista nascido em Faro, tive vergonha do meu clube, com a atitude que a EquipaB teve na minha cidade ontem á tarde.

    É só o que me apraz dizer

      1. Ao que parece aquando da entrada das equipas em campo, é comum as equipas entrarem de mão dada com os putinhos. Mas o Porto recusou-se a fazê-lo por estarem todos com o equipamento do Farense.

        1. é, foi isso que também ouvi. não sei se é uma retaliação pelo Farense estar associado à Benfica TV, mas seja por que motivo for, é bad press na mesma…

      2. Pelo que li, já tinha acontecido o mesmo num jogo na Luz o ano passado ou há dois anos.

        Manda a “tradição” que os jogadores da casa entrem de mão dada com miúdos vestidos com equipamentos do clube visitante e vice versa.

        Parece que, tal como aconteceu num jogo com o Benfica, o clube algarvio vestiu todos os miúdos com equipamentos do Farense e por isso o FC Porto não quis “entrar na festa”.

        Se juntarmos a isto a ligação SLB-FARENSE-BENFICA TV, acho que está explicada a situação.

        Cumprimentos

        Tiago Stuve Figueiredo

        1. acredito que tenha sido por causa disso…mas deve ser a minha faceta cristã a vir ao de cima quando acho que não é uma batalha que mereça ser travada. afinal, no Dragão nunca vi miúdos a vestir camisolas dos dois clubes…

      3. Segundo o que consta a equipa recusou-se a entrar em campo com os miudos das escolas do Farense. O que nao foi dito na imprensa è que os dirigentes do Farense queriam que os dois grupos de miudos que entravam com as equipas entrassem ambos com equipamentos do Farense.
        Isto è o que consta mas dificilmente vamos ver algum meio de comunicacao a chegar-se à frente e a dar esta explicacao por isso…

  2. Boa noite Jorge. Depois de ler o que têm escrito no Lateral Esquerdo sobre o Quaresma que tal aquela primeira parte sem o Harry Potter? E a sua entrada foi simplesmente horrivel…

    1. mantenho o que disse. Quaresma precisa de se sentir motivado para tentar jogar em condições. naquela situação…não percebo porque raio entrou em campo…

  3. Ponto prévio nao vi o jogo, consegui ver os golos e quase tive que me esconder com a vergonha da forma como Abdoulaye foge do avancado naquele jogo. Mau de mais. Este é o mesmo defesa senegales que até estava a fazer uma época decente no Vit.Guimaraes? Cheira-me a mau karma.

    De qualquer das formas há uma coisa que falta a esta defesa do Porto que senao é inédito anda lá perto que é um gajo experiente. Um gajo na linha do que Aloisio, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Pedro Emanuel, Bruno Alves, Pepe, Rolando, ou seja, uma voz forte e confiante ali naquela zona central. Sim Mangala é bom mas nao tem a experiencia necessária para ser o patrao. O Maicon está lesionado e tenho algumas dúvidas se tem capacidade para assumir a lideranca. Mas este Abdoulaye apesar de ser muito provavelmente um erro de casting também lhe falta ter alguém que lhe mande uns cachacos nos intervalos como eu aposto que levaram o Ricardo Carvalho, R.Costa, R. Silva, entre muitos outros que jogaram no Porto na mesma altura que estes monstros sagrados.

    Quanto ao Kelvin, Jorge, digo-te sinceramente que algo de errado se passa com o míudo. Se calhar anda na passa, se calhar gosta de ficar no boteco até tarde ou entao é alguma coisa pessoal com alguém. Já nao me parece que seja uma questao de implicancia com o público ou com os adeptos. É, para mim, demasiado estranho que treinador atrás de treinador nao o ponha a jogar. Para o ano custa-me a querer que ele fique.

    A título de sugestao (tipo discos pedidos) gostava de te ver fazer uma análise ao plantel do próximo ano, tendo em conta especialmente os (vários) emprestados que temos. Sei que talvez ainda nao seja a altura para pensar nisso mas gostava de ler a tua opiniao.

    P.S – Apesar de terem visto o mini-resumo do jogo, os meus colegas mexicanos juram a pés juntos que nao sabem de onde é que o Herrera saiu.

    1. eu também não o conhecia, já o Reyes conhecia há dois ou três anos. mas isso não quer dizer nada, os teus colegas mexicanos podem ser todos uns alcoólicos, quizás ;)

    2. Os teus colegas mexicanos nao devem gostar de futebol. Basta ires ao Wikipedia e ves que o Herrera (tem 23 anos por isso nao anda por ai ha muito tempo) jogou no Pachuca (um bom clube da liga Mexicana) e na seleccao sub-23 do Mexico tendo participado na qualificacao para os jogos olimpicos de Londres tendo tambem contribuido para o sucesso da equipa do Mexico nessa prova.
      Alem disso ganhou o trofeu do melhor jogador do torneio de Toulon.
      Nao deveria ser um desconhecido para quem segue o futebol Mexicano. Eu proprio ja o conhecia quando nem sou grande seguidor do futebol Mexicano.

      1. Meu caro:

        A percepcao que uma pessoa que gosta de futebol tem de um campeonato que nao è o seu è diferente da de um nacional a falar sobre o pròprio campeonato. Aqui è Amèrica, Chivas os dois GRANDES e depois Pumas, Cruz Azul e atè o Santos (Grande Caixinha). O Pachuca sim tem um bom historial mas nao è propriamente considerado um clube com muitos adeptos. O Necaxa que nao està na Primeira Divisao, acaba por ter mais adeptos do que o Pachuca.

        Dito isto o que falo è em relacao ao futebol actual, do que se passa agora, e se neste momento existe uma boa “campanha” para que Reyes e Carlos Vela vao ao Mundial (entre outros) o Herrera nao està no mesmo pote. Sem que, com isso, eu pretenda dizer que ele tem menos talento ou que merece menos que se fale dele. Apenas queria com isto dizer que hà maior desconhecimento quando comparado com o seu compatriota.

        P.S – Jà agora isto sao comentàrios de 2 Jorges diferentes ou dois comentàrios um pouco bipolarizados do mesmo Jorge?

    3. “gostava de te ver fazer uma análise ao plantel do próximo ano, tendo em conta especialmente os (vários) emprestados que temos. Sei que talvez ainda nao seja a altura para pensar nisso mas gostava de ler a tua opiniao.”

      exactamente, ainda não é altura. aí para Junho falamos, pode ser? ;)

  4. A 1ª parte ok. Esta 2ª parte e já a 2ª parte com o sevilha deixaram-me apreensivo. Caraças não podemos baixar tanto de rendimento…

  5. Meus caros,… o jogo foi bom mas temos que ter calma e ir devagar. Há mais alegria na equipa que resulta de maior confiança alcançada com as vitórias. O Luís Castro está a tirar melhor partido do curto plantel que temos e as coisas estão a sorrir. Não podemos no entanto deixar de ver o que se passou no jogo de ontem, em que Fabiano foi determinante e várias ocasiões…
    Saudações Portistas

    1. eu vi o jogo e sei do que a segunda parte constou, mas não posso deixar de comentar que os guarda-redes existem para defender quando a isso são chamados – e para estes jogarem aqui, fomos procurá-los – e além disso o jogo estava ganho… eu sei que estamos traumatizados , que cada vez que o Abdoulaye se acerca da bola todos ficamos a tremer, mas…. temos de ver que o problema começa a ser mais nosso do que deles!…
      Entramos muito bem, tínhamos que fazer golos e descansar e foi o que fizemos…
      Quem me dera que em Sevilha entrássemos assim, e que a eliminatória se ficasse a dever (também) ao Fabiano !!!

  6. Tem sido um ano penoso e com os lampiões já longe e os lagartos sem escorregar este campeonato é para esquecer. O que me leva a escrever aqui hoje, site onde acompanho sempre as crónicas aos jogos do FCP é desabafar o que já tenho aqui dentro à uns meses. Existem jogadores no plantel, chegando ao cúmulo de serem titulares, que não jogam um piço. Que são maus. Seja tecnicamente, seja psicológicamente não valem um chavo. O Abdoulaye é uma nódoa tão grande, jogo após jogo, que não entendo como não há ninguém com olhinhos para melhorar o que (mal) faz consecutivamente. E pior, com uma descontração, como se não se passasse nada. E no mesmo saco podem por o Herrera. Fodasse, que gajo tão mole, a cagar-se completamente para a merda que faz. Ontem mais uma vez valeu-nos o Fabiano outra vez. Contra a Académica!!! Mas podia ser o Gil ou o Rio Ave. No Dragão! Já não há respeito. Abraço azul e branco.

  7. A primeira parte foi boa. O Ghilas esteve excelente e já sabia que, depois de tudo o que se conversou sobre o tema, alguém ia aproveitar esse facto, aliado à concretização de três golos no primeiro período de jogo, para justificar o seu auto de fé ao herege Quaresma que, ainda por cima, entrou em campo e pouco fez, tal como todos os seus colegas, na segunda parte. Esquecem-se é que o adversário se chamava Académica e não Sevilha e que a equipa não passou a jogar pior por causa da entrada em campo de Quaresma. Ficou a jogar pior porque este ano é bi-polar, porque estavam a ganhar 3 zero (sim, a apatia começou antes da substituição), o campeonato pouco interessa nesta altura e há um jogo importante na Quinta. Sei que Jackson está castigado e não pode jogar em Sevilha mas, quando estiver disponível, gostava de o ver a comandar um ataque municiado por Ghilas e Quaresma e, se a segurança do meio campo e da defesa permitirem esse arrojo ao Luís Castro, também com Quintero em campo. Não sou o advogado de defesa do Quaresma. Simpatizo com ele, gosto daquele tipo de jogador selvagem, aprecio a vontade com que voltou e frases como: “- Voltei a casa!”; bem como imagens de o ver a dar um beijo sincero no símbolo. Idolatro-o quando passa por dois ou por três e faz uma assistência pou marca um golo. Mas, apesar de tudo isto, não gosto de vê-lo a fazer uma gincana entre o staff, como na Madeira, não gosto quando é displicente e brinca com o esforço dos colegas. Posto isto, é , na minha opinião o melhor extremo português a seguir a Ronaldo. O que acho que aborrece muita gente é que ele está a conseguir aquilo que alguém na TV apelidou de “maior “come-back” (regresso) de sempre do futebol português”, considerando o tempo de paragem. Não sei se é verdade ou não, mas que superou as expectativas é verdade. E começa a preocupar aqueles que salivaram com Cavaleiro na selecção. Posto isto, acredito que com maior entrosamento e conhecimento dos colegas só pode crescer e, com isso, fazer crescer a equipa. O ideal era uma boa pré-época para afinar o físico, a mente e os mecanismos mas, em ano de mundial e com a provável 3ª eliminatória da CL, desconheço se tal será possível.

    Cumprimentos,

  8. -“Posto isto, acredito que com maior entrosamento e conhecimento dos colegas só pode crescer e, com isso, fazer crescer a equipa.”

    Isto é um disparate tão grande, de uma credulidade tão ingénua, que só me merece candura. Crescer?? O Quaresma? Que correu e foi corrido de meio mundo sempre pelas mesmas razões, e com a idade que tem agora, vai crescer?

    Pela minha parte, acho que os adeptos emprenham pela nota artística do pouco de bom que Quaresma faz. A equipa jogou melhor, mais solta e clarividente sem Quaresma, em toda a 1ª parte. Quaresma joga para ele, desperdiça constantemente desequilíbrios em superioridade numérica, que tanto custam a criar ao nosso fraco meio-campo. Contra o Sevilha, se exceptuarmos o golo, não acertou um único cruzamento, destruiu inúmeros ataques tomando más decisões, guardando a bola, perdendo o momento de passe, ao ponto de os colegas ficarem especados na área. Neste momento, exibe-se para ir ao mundial. Depois, não sei o que fará, mas para mim é claramente um jogador de banco.

  9. Como tu disseste, ele correu e foi corrido de meio mundo mas está no ÚNICO CLUBE DO MUNDO onde explanou a sua capacidade. Precisa de se sentir acarinhado, protegido. Tem 30 anos, mas ainda é um menino nesse sentido. Ele chegou a meio da época por isso acho que não é assim tão disparatado pensar que ele possa render muito mais depois de uma pré-temporada. Luís Castro referiu que neste momento é só jogar, recuperar, sem tempo para treinar.

    Sim, jogou mal contra o Sevilha mas também já fez bom jogos. E a verdade nua dos factos é que foi dele a assistência para golo e creio ser impossível provar que com ele no banco ganharíamos por mais, mas é possível afirmar que pelo menos aquele golo não existiria.

    Concordo que ele tem de ser, como já o foi por diversas vezes, mais eficaz e respeitar as combinações, mas que jogador é que não erra ainda para mais naquela posição do campo. O treinador é que o tem que fazer ver e entender isso e este está lá há 1 MÊS.Os malabarismos dele são úteis quando um jogo está encaixado e a técnica individual é que desequilibra, mas podem não ser necessários contra equipas que basta uma circulação fluída da bola para abrir espaços. Em último caso, há sempre o tratamento Co Adriaanse e, embora não acredite que vá ser preciso, parece que resultou no, repito, ÚNICO CLUBE DO MUNDO onde ele explanou as suas reais capacidades.

    Cumprimentos,

Deixar uma resposta