Baías e Baronis – Benfica vs FC Porto

foto retirada do MaisFutebol

Vi o jogo em casa de amigos que também são família, num ambiente misto de portistas e benfiquistas. Tudo em paz, como se quer. Quando me sentei para o início do encontro, sentia-me como me senti durante a semana, inquito com as possíveis inconsistências defensivas da equipa, preocupado com a ineficácia no ataque e arreliado com a (ainda) fraca forma física dos nossos rapazes. Quando terminou o jogo, vários gritos, patadas no chão e duas garrafas de Lambrusco depois, era um homem diferente. Estava feliz, bem disposto, alegremente jubilante com a vitória da minha equipa, numa exibição de raiva e de garra como já não via o FC Porto a fazer desde…o jogo de ano passado contra o Benfica, no Dragão. Foi um bom jogo, bem disputado, entre duas boas equipas e deu o tónico para o que esperamos venha a ser uma temporada diferente do ano passado. Sem começar já a embandeirar em arco, vamos a notas:

(+) Garra No ano passado fui ao Dragão mais de 20 vezes. Só numa dessas vezes vi este empenho em vencer, em mostrar em campo que somos melhores, mesmo que não o sejamos. A forma como a equipa se impôs fisica e tacticamente em todo o terreno, com a força de vontade que só mostra quem quer mesmo ganhar, foi um deleite durante todo o jogo. Vi jogadores que raramente iam ao chão a lutarem como demónios (peço desculpa pela expressão), vi outros que nunca pressionavam a esquecer a preguiça de outros tempos e a colarem-se aos jogadores adversários como carraças, a usarem bem o corpo no choque, a chamar a si a fibra e a raça que já fizeram deles campeões, quer neste quer noutros campeonatos. Foi bonito de ver.

(+) Pressão alta Podemos questionar o número de jogos que o FC Porto teve na pré-época. Uns dizem que foram poucos, outros ainda que foram demais. O que se viu hoje foi uma pressão intensa, alta, com o guarda-redes contrário a ser sempre obrigado a pontapear a bola por estar pressionado, com os jogadores do meio-campo do Benfica a não conseguirem rodar a bola entre eles, forçados que eram a recuar e a passar a bola para os centrais. Para além do espaço que era retirado, a pressão psicológica com a energética cobertura dos espaços obrigou-os a abusar da sorte, especialmente Carlos Martins e Airton, que distribuiram a lenha do costume. Que seja sempre assim.

(+) Belluschi Entre ele e Varela está o melhor em campo. Parece aparecer nestes jogos como se tivesse mais motivação, à imagem do que aconteceu no ano passado. Esteve ridiculamente mais interventivo que o normal, a pressionar alto e a criar jogo não só para o lado mas para a frente, a rematar e a arranjar espaços para os colegas. Se Belluschi jogasse assim em todos os jogos, tínhamos um indiscutível titular. E a continuar nesta forma, Ruben vai-se ver lixado para voltar à equipa.

(+) Varela Genial na primeira parte, saiu esgotado. Parece estar refeito da lesão e está como esteve no início da época passada, a arrastar jogo para a frente pelo flanco, levando defesas atrás e puxando a si a iniciativa. Temos homem!

(+) Helton O novo capitão do FC Porto (até ver) deu a segurança que era preciso na rectaguarda. Perfeito nos cruzamentos, defendeu vários remates durante o jogo mas ficou-me na mente um do Carlos Martins na marcação de um livre e outro a remate de Saviola à queima-roupa, salvando o 2-1 que podia ter complicado as coisas.

(+) Rolando Perfeito. Marcou o primeiro golo e esteve todo o jogo sem dar um centímetro aos adversários. Só precisa de ter ao lado uma das duas opções: um Maicon mais rápido ou um outro jogador do estilo “central-forte-se-te-metes-comigo-levas-uma-bufarda-nas-ventas-que-nem-sabes-de-que-terra-és”.

(+) Sapunaru Tentou por todos os meios lutar contra a inépcia defensiva de Hulk, as investidas de Fábio Coentrão e o cotovelo de Cardozo. Só perdeu contra o último.

(-) João Ferreira Não há muito a dizer sobre esta besta. É raro falar sobre árbitros, como sabem, mas desta vez não tenho outra hipótese. Aproveito para pedir desculpa aos vizinhos da minha cunhada pelos guinchos que ouviram do apartamento dela. Era eu, sempre que via uma cotovelada ou uma patada de pitões em riste a cravarem-se na inocente pele dos nossos jogadores, e que João Ferreira ou não via ou, quando via, admoestava com singelos cartões amarelos. Para além disso, fica-me na retina a forma como quando Álvaro está a reclamar cartão a Carlos Martings, João Ferreira coloca-lhe a mão no pescoço. Álvaro, espantado, tira-a de lá e leva amarelo. Não é mau árbitro a nível técnico, mas disciplinarmente evidenciou claramente a sua côr. Só não mostrou o cartão que é feito dela a quem merecia.

(-) Hulk Ofensivamente esteve inconsequente. Defensivamente nem esteve, deixando Sapunaru à rasca para aturar Coentrão e Peixoto. Felizmente nenhum deles estava particularmente inspirado o que tornou as coisas mais fáceis, mas não retira a culpa a Hulk. Estará cansado? Já?

(-) Cardozo, César Peixoto, Carlos Martins, David Luiz et al Quando Cardozo, no ano passado, levou três sopapos do Bruno Alves na final da Taça da Liga, defendi-o. Hoje não há defesa possível. Deu uma cotovelada em Sapunaru, sem bola, e devia ter sido expulso. A mesma coisa para César Peixoto com uma calcadela estúpida em Varela, Carlos Martins teve vários lances idênticos e David Luiz agrediu Sapunaru. Continuamos na mesma, portanto. É interessante perceber que no ano passado estes lances sucediam exactamente ao contrário, onde a agressividade negativa acontecia mais com os nossos rapazes, que acertavam em tudo o que mexia, ao passo que a agressividade positiva era dos outros, especialmente do Benfica. Teremos invertido os papéis? Espero que sim!!!

É ainda muito cedo para tirar conclusões acerca da forma como a época vai decorrer. Há picos de forma diferentes, lesões, castigos, jogadores que ainda vão sair e outros que ainda vão entrar. No entanto, a vitória neste primeiro jogo, particularmente por ser contra a equi
pa que é, uma equipa forte, dinâmica e aguerrida, que é campeã nacional em título, é um excelente resultado. É a prova que a força, a garra, a vontade de vencer e a inteligência que a equipa mostrou em campo está lá, está dentro dos jogadores. E todas estas qualidades foram trazidas cá para fora pelo treinador, tal como Jesualdo tinha conseguido no jogo do Dragão contra o Benfica no ano passado. É um triunfo moral para Villas-Boas, que já teve de aturar as bocas de muitos imbecis em três curtas semanas. Este resultado serve como bofetada de luva branca e é assim que temos de jogar em todos os jogos, em todos os estádios, se queremos voltar a ser campeões. Villas-Boas começa bem. Tem tudo para o terminar da mesma forma.

17 comentários

  1. Como de costume, excelente.

    Só não concordo com uma coisa Jorge, quando dizes que o Hulk não defendeu..de facto na 1º parte o lado direito era um buraco porque ele não descia, mas na 2º (ao intervalo deve ter ouvido do Villas Boas) vi-o a correr para trás bastantes vezes!

    Abraço e saudações portistas !

  2. Pelo adversário, de qualidade e em forma, porque agora era a sério e não havia mais lugar a experiências, este era – pelo menos para mim. Disse-o antes do jogo… – o verdadeiro teste ao novo F.C.Porto de André Villas-Boas. Não como um teste decisivo, nada disso, apenas de primeira avaliação, para ver como como estão as coisas, como está a evoluir a equipa, principalmente, como ela se comporta em jogos desta importância, como reage a jogos com esta pressão. E o resultado do teste foi: aprovado com distinção. Uma exibição notável e notável em todas as variantes do jogo, em tudo o que se pede a uma equipa de qualidade. Pressão, concentração, controlo do jogo, ousadia, qualidade, numa equipa tacticamente irrepreensível.

    Acrescento o seguinte: não devemos, nem podemos, embandeirar em arco. Há arestas a limar, no lado direito da defesa, na coordenação entre os centrais, nas coberturas – falta delas – de Hulk. Ainda estamos no início, temos muito a trabalhar e muito a evoluir, mas aquilo que eu achava que ia fazer a diferença, foi notório: refiro-me à forma como a equipa do Benfica foi "trabalhada" e como foi preparada mentalmente a equipa portista.
    O rei da táctica levou uma banhada e se André Villas-Boas é o Informático, só podemos concluir que o Software é de qualidade.

    Um abraço

  3. Bom dia,

    Sou do Blog Negócios do Futebol e gostaria de saber se estaria interessado em escrever para nós, numa rubrica intitulada "Olhar sobre o FC Porto". Quando tiver uma opinião formada em relação a esta proposta, responda para negociosdofutebol@gmail.com

    Cumprimentos,

  4. Para mim falta um nos baias.
    Maicon.
    Estive com muita atenção ao seu desempenho durante todo o jogo e posso dizer que fiquei bastante satisfeito com o que ele fez, excepção feita ao lance em que saviola podia ter marcado ao fugir exactamente a Maicon que nesse lance se deixou enganar pela velocidade do baixinho vermelho.
    Se jogar sempre assim e se lhe correrem os jogos como correu este acho que estará encontrado o central que falta. Claro está que falta um para ficar com o numero certo de titulares e suplentes.
    Que nome dirias tu para essa vaga de central no nosso plantel?
    lol

  5. LOL, AHAHAHAHAH!
    Como vê, não errei por muito…tinha dito que era bem possível levarem 3…o terceiro teimou em não entrar! Mas seja como for o vaticínio não se deu só porque sou portista e portanto faço a minha obrigação. Deu-se porque sei que quanto a garra, força, coragem e determinação nós levaremos sempre o título de campeões nos braços!
    BEM HAJAM OS VERDADEIROS PORTISTAS!
    BEM HAJAM VARELA, HULK, FALCAO,BELLUSCHI,MOUTINHO, FERNANDO,MAICON,ROLANDO,HELTON,SAPUNARU,ÁLVARO PEREIRA,C.RODRIGUEZ,MIGUEL LOPES,RAÚL MEIRELES E ACIMA DE TUDO….ANDRÉ VILLAS BOAS!

  6. Ora biba Sir. Jorge.

    Eu cá gosto do discurso do nosso AVB e acho que lhe ficou muito bem reconhecer que é um adepto e um reconhecedor do bom trabalho que o JJ faz pelas equipas em que passa. E o reconhecimento oposto também foi evidenciado.

    Eu sinceramente durante a semana pensava que ia ser um jogo bem diferente para a nossa equipa azul e branca, mas fiquei espantado com a garra e o nosso meio campo :) ( de notar que ainda temos o Raul e Ruben no banco), ou seja opções boas não faltam ao contrário de outras epocas com Guarins e Tomas Costas e Prediguers etc … toda aquela cambada sul americana.
    Sobre Helton parece que a braçadeira de capitão foi um tónico para aquela ultima defesa a remate de Saviola, agora vai ter que se habituar a fazer mais kms para ir de um lado ao outro só pra pedir justificações aos arbitros…

    Quanto às garrafas de Lambrusco … não se nota nada pelo teu discurso … "central-forte-se-te-metes-comigo-levas-uma-bufarda-nas-ventas-que-nem-sabes-de-que-terra-és" heheh :P

    Cumtps ;)

  7. Eu que me incluo no grupo dos imbecis que duvidou das unhas que AVB teria ou não para tocar tamanha guitarra fiquei bastante satisfeito porque o "grupo" provou ontem que eu sou realmente um imbecil.

    Espero que continue esta prova da minha imbecilidade por muitos e bons jogos/meses/troféus.

    Obrigado Porto!

    P.S.: Estou com o Dragão de Vila Pouca no ponto que ainda é cedo para embandeirar em arco, mas que parece termos tudo – incluindo uma equipa técnica com "unhas" – para ganhar muita coisa, lá isso parece.

  8. hmocc, pelo seu comentário merece todo o meu carinho e perdão (os que duvidam tiram-me do sério, sabia?). Mas esteve tão bem que o acolho no grupo dos não imbecis (não que precise da minha aprovaçºão). O seu comentário fez-me sorrir ,-)
    Agora…nunca mais duvide!LOL

  9. Grande crónica.
    Eu estive numa festa num barco na Ribeira e nao vi puto do jogo. Sò por sms ia sabendo de algumas coisas.
    Mas estava com esta expectativa, de entrar por baixo e sair por cima. Até porque o FCPOrto nao perde 3 vezes seguidas. As 2 em Paris chegaram :)
    Em relação às agressões é incrível como o Benfica continua a jogar com 11 e devia ter jogado com 10 boa parte do jogo. Estavam loucos. É do penteado do JJ…

  10. Um belo desempenho de uma equipa fustigada por algumas críticas e desconfianças, em função das fracas prestações da pré-época,que efectivamente provocaram algum desconforto em sectores de adeptos portistas e não só.

    O FC Porto, com a atitude, a raça, a solidariedade e a ambição apresentada no relvado do Municipal de Aveiro, banalizou a publicitada força benfiquista, transformando-a numa equipa de papoilas saltitantes.

    Sem necessitar de ser arrasador a equipa azul e branca dominou, controlou e marcou, perante um árbitro condescendente até dizer chega, poupando pelo menos três expulsões aos desnorteados jogadores (???) lampiónicos.

    Foi um teste muito prometedor que AVB terá de fazer reverter no sentido de fortalecer a confiança e a ambição de todo o plantel para enfrentar todas as dificuldades que nos vão ser colocadas em todas as outras competições.

    Não vai ser fácil tendo em conta que, como de costume, lutaremos contra tudo e contra todos, como foi visível neste jogo.

    Um abraço

  11. @André Oliveira: Estar lá não é o mesmo que defender. Notaram-se muitas falhas de comunicação com Sapunaru, e não fosse o Coentrão estar num dia mau e o Peixoto ser um anormalóide, podíamos ter tido problemas. Imagina o Dí Maria a rasgar aquele flanco…

    @Steve: Sim, hesitei em dar-lhe um Baía mas como teve algumas falhas (quando deixou o Saviola passar por ele e ficar sozinho em frente ao Helton, por exemplo), vou esperar por confirmação noutro jogo.

    @Pedro Silvares: já respondi para o mail que me indicou!

  12. Totalmente de acordo com o que foi dito. É a primeira vez que comento neste blog que considero de referência no que o FCPORTO e futebol em geral diz respeito.

    Também me iniciei há muito pouco tempo na escrita sobre o FCPORTO… se quiserem dar uma vista de olhos, agradeço comentários.

    Foot-BlogClubdoPorto.blogspot.com

    Abraço

  13. parabéns, ganhou a melhor equipa em campo. Não há muito mais a dizer. Em relação ao Vosso adversário, não se preparou adequadamente e com o respeito que o fcp merecia. Como tal, teve o que mereceu. Apenas espero que o JJ tenha aprendido a lição e que não pense que é o maior, até porque tem mostrado alguma insegurança nalguns momentos decisivos. Creio que já na próxima semana o Benfica mostrará as suas verdadeiras garras e durante o campeonato a música será outra. Jorge, parabéns pelo bom trabalho! Abraço

Deixar uma resposta