E um líder em campo?

Ontem dei comigo a pensar que para além do talento que temos à nossa disposição, por vezes precisamos de um líder dentro de campo. Qualquer coisa como este rapaz na fila de cima, o segundo a contar da esquerda, que hoje abandonou o futebol. Ou até o da fila de baixo, tanto o segundo a contar da esquerda como o segundo a contar da direita, que não falta muito para ter o mesmo destino. Líderes.

Ontem, enquanto Maicon e os colegas desciam ao poço do seu próprio inferno, fez falta um rapaz que desse dois berros aos colegas e dissessse: “Mas que raio de parvoíce é esta?! Vocês são homens ou formigas?! Lutem, carago, lutem!”, e que fizesse parar a quantidade de disparates que se foram acumulando nos noventa penosos minutos a que assisti.

Ontem fez falta um rapaz desses. Bem mais do que Falcao.

14 comentários

  1. Este ano venderam-se os 2 capitães.
    Eu sei que passaram a ser personas non gratas para muitos, mas não fui eu que os escolhi para capitães nem os denominei como símbolos do Portismo. A verdade é que eram líderes, bons jogadores e ficou um vazio,…colmatado por quem?
    Só se compram míudos e estrangeiros. Moutinho foi uma excepção à regra, mas como é um jogador que veio como capitão de um rival e não há-de demorar muito por cá, nem é hipótese para capitão.

    Por outro lado, os valores da casa como Castro e Ukra são ostracizados e esquecidos, em troca dos Souzas e companhia ilimitada. Assim não se preserva nem cultiva a mística no balneário. Não há milagres.

    O colega Miguel falou em Otamendi. Dá bem para ver onde chegamos nesta matéria. Eu compreendo-o…mas estamos a falar de um dos últimos estrangeiros a chegar que ainda nem sequer tem lugar definido no onze. Nem o conhecemos ainda bem…Isto não deveria ser normal no Porto.

    Onde anda o 611, a mística, o jogador à Porto…

    Só se ouve falar de putos de 17 anos colombianos, argentinos, brasileiros e em perspectivas de negócios….é muito FM e €€€€€ nas cabeças….

  2. O Helton é quem deveria ser capaz de meter as coisas em ordem…mas ele tambem falhou..
    Deposito esperança no Joao Moutinho! tem tudo para ser um lider no FCPorto.(mesmo nao sendo da escola do Porto, nao duvido que possui tudo o que é preciso)

  3. @ Jorge

    no plantel actual, essa voz é o Helton…
    acredita que li o teu post e por momentos suspirei pelo Bruno Alves… e agora, veio-me à lembrança o Fernando Couto e o nosso Bicho

    enfim: concordo que o Otamendi possa vir a ser essa mesma voz – assim tenha o estofo e a capacidade para perceber que está (também) num grande clube. mas que falta "alguém", lá isso falta.

    ps: de referir que, dos putos da foto, fazia parte um certo Ryan Giggs – alternava (vocábulo que remete para outros entrepostos…) entre os juniores do ManUnited e a equipa principal.

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs!

    Tomo I

  4. Acho que não fui explicito.Quando falo em líder,não falo necessariamente em capitão,mas sim em liderança em campo tipo o Pedro Emanuel.Neste momento o Otamendi parece reunir essas condições pela sua postura e forma de comandar a defesa.

  5. Caro Jorge,

    Percebo onde queres chegar mas os exemplos dados são fracos. Nem Neville, nem Becham, nem Scholes, por muito bons jogadores que tenham sido (Para mim Neville nunca foi mais do que um jogador mediano) não foram líderes (talvez aqui seja onde o Neville se tenha evidenciado um pouco mais do que os outros).

    O que nós realmente precisamos é de um João Pinto, um André ou um Jorge Costa.

    Enquanto o Barça faz o que faz com a "Prata da Casa" (Javi, Puyol, Iniesta, Messi, Pedro, Bojan, etc) nós contiuamos na política de terra queimada de ir às compras sempre que precisamos de jogadores de "qualidade".

    Ora, invariavelmente, perde-se a mística. O Otamendi, por muito carismático que seja, tem alguma cultura do FCP para ser capitão? Ou o Moutinho?

    Pois é, neste caso foram-se os dedos e ficaram os anéis…

    Abraços

  6. Sabem o que nos distingue dos outros…
    é..ser capaz de acreditar que o costinha vai marcar no ultimo minuto um golo em manchester..
    é ..acreditar que podemos ganhar na corunha onde o anterior c.europeu levou 4.
    é..perder com o pana em casa e ir ensurdecer o inferno grego
    é..tantas e tantas vezes ser cpazes do impensavel..capaz de dar a volta..de acreditar que o madjer até de costa seria capaz de marcar um golo ao
    bayern mesmo cantando a musica do DECo olé olé

    eu…eu sim..acredito..que este é um desafio a nossa medida..que somos e vamos dar a volta por cima e ganhar aquele jogo que ninguem acredita sermos capazes
    é isso que nos distingue…
    acreditar e ser capazes!

    VIVA O PORTO!!!!

  7. Olá Jorge,

    Concordo contigo que faltou isso na 4ª Feira, mas na minha opinião não foi só isso.

    Também nos tinha faltado na visita anterior e eles estavam todos lá (excepto o Saviola).

    Como JJ falhou nos 5-0, desta vez acertou, a equipa galvanizou-se e os miúdos que foram em Dezembro ao vosso estádio tornaram-se homens.

    Desculpa não ter dito nada, mas não tive mesmo tempo de dar um toque, como queria, antes da feliz visita de 4ª Feira. Talvez para a próxima, quem sabe.

  8. @Luís: Jesus acertou na mouche e aproveitou as nossas falhas na perfeição. ganham-se uns, perdem-se outros!

    no worries, fica para a próxima! quem sabe até em ambiente europeu ;)

    um abraço,
    Jorge

Responder a AZUL DRAGÃO Cancelar resposta