Baías e Baronis 2010/2011 – Fernando

 

Época: Não é possível dizer que a temporada de Fernando tenha sido má. Afinal o rapaz foi titularíssimo numa equipa que venceu (quase) tudo o que havia para vencer. Alinhou em 41 jogos e apenas falhou alguns porque se lesionou, altura em que deu o lugar a Guarín para o arranque da temporada de glória do colombiano. Mas…e há sempre um mas…Fernando não esteve ao mesmo nível que nos dois anos anteriores. Mais hesitante, menos estável e acima de tudo a convencer os adeptos que tinha chegado ao topo das suas capacidades. Num estilo Villaboasiano de posse, de inteligência na rotação da bola e no empowerment dos médios para fazerem o que quiserem em campo, Fernando não conseguiu jogar ao nível dos colegas de sector e foi gradualmente baixando no impacto que o seu jogo conservador tinha na dinâmica da equipa. Talvez terá chegado a altura para sair e é possível que o FC Porto aproveite a vendabilidade do nosso “25” para fazer algum dinheiro. Fernando, sem dúvida, agradece.

Momento: Quase todos os jogos do início da época. Podia salientar o jogo em casa contra Braga ou Guimarães, ou o jogo fora em Genk, mas em todos os jogos Fernando esteve impecável. O problema esteve mais para o final da temporada…

Nota final 2010/2011:

BAÍA

4 comentários

  1. Sendo sem duvida um bom jogador falhou bem mais do que devia esta época. Se tivesse a desculpa que todos os outros também falhavam e que a equipa tinha feito feito uma má época mas, obviamente, não foi o caso. Ele foi dos que menos rendeu esta época, tendo em conta o que rendeu no passado e tendo em conta o que renderam os seus colegas.
    Compreendo o “Baía” pois no geral foi positiva a sua avaliação mas teve falhas bem comprometedoras e que atribuo ao facto de já ter a ideia feita de sair e de ter andado em certos jogos alienado do que se passava em campo e mais concentrado no que conseguiria ganhar noutras equipas.
    Só espero que realmente saia, não é de certeza uma posição difícil de arranjar substituto e como também deve precisar de melhorar as condições de vida é vende-lo para a Rússia ou para a Turquia, de preferência. Na verdade nem me interessa para onde vai, desde que vá.

    Hoje é dia de cumprir um dever, eu já o fiz.

  2. Fernando merece bem o título de Baía. É um Jogador que quando quer joga de uma forma espectacular parecendo um eucalipto que seca todos os ataques dos adversários que estão á sua volta.

    Pelo que leio tu não tens memória curta Jorge. Eu também não, mas no universo Portista há quem a tenha e não se recorde, ou não queira recordar, o nº de jogos de excelente qualidade que Fernando fez até ao jogo na “Piscina” de Coimbra onde o Brasileiro teve uma lesão grave que o impediu de jogar por algum tempo. Até esta data os Portistas adoravam o rapaz… Agora nem o podem ver á frente…

    Mas numa coisa eu estou de acordo com o “Povão”; se o Fernando quer sair que saia e não volte. Quem não estiver bem no Clube deve sair e Jogadores para a posição dele e com uma qualidade fenomenal não faltam.

    Alias eu até adianto aqui um. Castro (já sei que o “Povão” vai já dizer que o Português não presta por ser Português e não ter vindo da Argentina por um preço exorbitante, mas pronto, é a habitual intolerância com os nascidos no ninho do Dragão).

    Grande abraço Jorge.

    1. nunca devemos cometer o erro de analisar as coisas a quente e só olhando para o que aconteceu nas últimas semanas :)
      obrigado por reconheceres isso. como sei que fazes o mesmo, estamos bem e de acordo.

      abraço,
      Jorge

  3. Baía sem dúvida. Com dúvidas ficaria caso o Heltón e o Beto não tivessem safado os erros que este menino cometeu, que, sendo graves de certeza, poderiam ser irreparáveis. De qualquer maneira, vocês disseram tudo e os companheiros estão lá para isso. A época foi boa na globalidade.

Deixar uma resposta