Baías e Baronis 2010/2011 – João Moutinho

Época: Quando ouvi falar da contratação, fiquei surpreso. Foi um amigo que me enviou uma sms, que pela magia da tecnologia atravessou fronteiras e chegou a um hotel em Milão. É brincadeira, pensei. Não era. E ainda bem. João Moutinho fez valer todos os euros que o FC Porto pagou por uma teórica maçã podre, com a inteligência e o espírito de equipa e de controlo das situações de jogo a mostrarem que é um dos melhores jogadores portugueses da actualidade. Idolatrado por alguns, desconsiderado por outros, admito que sou fã porque para além de ter mostrado sempre uma grande humildade e ter criado uma empatia imediata com os adeptos (o que, como sabem, não é nada fácil), João Moutinho incorpora tudo o que gosto de ver num centro-campista que joga na sua posição e com as suas responsabilidades: joga com calma, procura os espaços para passar ou para correr. Se tiver boas hipóteses de melhorar o jogo da equipa com um passe, fá-lo. Se a probabilidade de perder a bola é mais elevada, continua com ela junto aos pés até descobrir uma nova falha na armadura adversária ou roda a bola para trás para outro colega prosseguir a jogada. Se há um Xavi português, ele é João Moutinho. E é do meu clube, o que ainda me dá mais orgulho.

Momento: Estádio da Luz. Sessenta e quatro minutos. João Moutinho pega na bola à entrada da área e desfere um remate seco, forte, directo, colocado, perfeito. O FC Porto arrancava para a primeira grande recuperação da época, enfiando três no bucho do rival na casa dele e assumindo que este ano ninguém nos havia de parar até ao fim da época.

Nota final 2010/2011:

BAÍA

4 comentários

  1. Estou de acordo, apenas acrescentaria que com Moutinho a equipa do F.C.Porto nunca perde o equilibrio; com Moutinho, Guarín é mais jogador e Belluschi coloca cá fora todo o seu talento; Moutinho cria sempre uma linha de passe, o que nunca equipa que privilegia a posse de bola é fundamental; Moutinho, é um sempre em pé e muito raramente não está em condições de jogar…
    O Porto tem Hulk, tem Falcao e tem Moutinho.

    Um abraço

  2. Este, tirando o Miguel Sousa Tavares, acho que é consensual para todos os Portistas que é uma peça fundamental da máquina azul e branca.

  3. É aquele jogador que não se dá muito por ele no campo mas faz uma diferença enorme! Para mim ele é a chave do sucesso desta época pela maneira como serenou o nosso meio campo depois da saída do Lucho fazendo quer Belluschi quer Guarin explodirem. SUPER BAIA! :)

Deixar uma resposta