Baías e Baronis – Feirense 0 vs 0 FC Porto

Quando me sento para ver um jogo do FC Porto, raramente estou à espera de uma vitória folgada. É o pequeno pessimista cá dentro que nunca me dá um momento de descanso, que mesmo quando estamos a ganhar por três me força a pensar num canto perigoso ou num contra-ataque rápido que pode dar um golo…e depois outro e outro. E assim vou vivendo. Num jogo como este, aqui o rezingão residente começou cedo a chatear. “Mas porque é que eles não correm?”, dizia-me. “Porra, não passes a bola agora! Pronto!”, exclamava. “Espera, pára o jogo, não chutes que ele nunca mais a apanh…ora f***-se.”, cuspia. Foi um jogo inteiro de parvoíces. Desde bolas perdidas no meio-campo, bolas perdidas na defesa, passes a trinta metros com a força de remates e acima de tudo um ritmo lento demais para ser aceitável e uma falta de agressividade como há muito não via. Foi uma regressão intensa a alguns jogos de 2009/2010, em que nada saía direito e onde os jogadores baixavam os braços à primeira adversidade. E não, não chega dizer que faltava Hulk e Álvaro, porque hoje em Aveiro faltou muito mais que isso. Faltou empenho para ganhar o jogo, porque se tivéssemos jogado com um terço da vontade que os rapazes do Feirense jogaram, tínhamos saído de lá com três pontos. Vamos a notas:

 

(+) Mangala Num jogo em que é complicado arranjar gente que tenha feito uma exibição positiva, destaco o francês. Bom pelo ar, a jogar simples para os colegas e rápido com a bola controlada. Gostei que tivesse conseguido um jogo em que quando colocado frente a avançados trapalhões mas rápidos, nunca se deixou desanimar e conseguiu sempre manter um nível acima da média da equipa. Basta dizer que não senti a mesma intranquilidade que costumo sentir em Maicon. Pode ser um bom jogador para o futuro.

(+) Sapunaru Foi dos poucos que lutou com velocidade e conseguiu subir pelo flanco e até chegou a aparecer na área em algumas oportunidades. Como a maioria dos ataques do Feirense aconteceram pelo centro ou pela direita, esteve mais à vontade para apoiar o ataque e infelizmente como não é um portento de técnica acaba por não conseguir fazer o suficiente para ser decisivo. Mas hoje pelo menos vi-o a tentar com alguma inteligência, o que com alguns colegas quase não aconteceu.

 

(-) Inversão de ritmo e estilo Ora vamos lá. O que me custa mais a entender neste jogo é a falta de empenho dos jogadores, ponto final. Chamem-me velho resmungão mas não entendo como é que se encara um jogo do campeonato em que estão sempre pontos em disputa com a falta de nobreza competitiva que o FC Porto hoje mostrou em Aveiro, em que parecia estarem a passear sem objectivo e a facilitar em quase todos os lances como fizeram na primeira parte. Depois do intervalo a equipa melhorou mas não muito e era penoso ver o ritmo a que os nossos jogadores levavam a bola para a frente, sem estrutura de jogo nem mentalidade ganhadora. Não entendo, juro. A somar a este desterro de vontade temos outro vector de falhanço que foi a diferença no estilo de jogo quando comparado com os jogos que o precederam. Ao passo que contra Leiria, Setúbal ou Shakhtar (para dizer a verdade, desde Novembro de 2010 que tentamos jogar da mesma forma com sucesso evidente) o jogo era pausado, calmo, de pé para pé, de ritmo controlado com homens suficientes para trocar o esférico entre eles sem a perder, hoje vimos um FC Porto a jogar com os elementos do meio-campo para a frente sempre muito longe uns dos outros o que impossibilitava a rotação da bola de uma forma tranquila. Os passes saíam sempre longos, mal orientados e nunca com a força certa para chegar ao destino, Guarín nunca conseguiu fazer a rotação de bola no centro, Belluschi apareceu meio perdido e Moutinho muito distante dos colegas. Some-se James que perdia as bolas todas, Cebola sem as conseguir controlar dentro do terreno e Kleber perdido atrás de espaços na área sem que a bola lá chegasse. Foi pouco FC Porto, muito pouco FC Porto e se foi esse o jogo que Vitor Pereira quis colocar em campo, falhou rotundamente. Se os jogadores não quiseram saber e decidiram que assim é que ia correr bem, ainda pior.

(-) James A expulsão é inadmissível. Noventa minutos de jogo e por causa de uma falta a meio-campo (que o árbitro até marcou) mostrou a todo o mundo que o talento que pôs em campo nos últimos jogos está presente juntamente com uma boa dose de imaturidade. Para além dessa ridícula reacção fez um jogo horrível, cheio de quedas sem necessidade e uma enorme falta de clarividência ofensiva para conseguir colocar a bola jogável para os colegas. Comparado com os três jogos anteriores o James que esteve em Aveiro foi o anti-James e a equipa, sem ver Hulk em campo, continuava a mandar-lhe bolas para que tentasse fazer alguma coisa de jeito, o que nunca aconteceu. James tem de perceber que nem sempre a vida pode correr bem. Mas tem de continuar sempre a tentar.

(-) As displicências de Fucile, Guarín e Cª Foi enervante ver os jogadores do FC Porto a perderem bolas para os do Feirense, especialmente pela forma como aconteciam. Durante noventa minutos vi Fucile a tentar passes que nunca poderiam resultar, tabelas com jogadores que não estavam lá e desmarcações directamente para fora. Guarín perdeu várias bolas enquanto preparava remates durante segundos intermináveis em que proteger a bola era tarefa para um qualquer duende que por lá andasse, ao passo que Fucile ou Rodriguez se deixavam antecipar no acto e no pensamento pela velocidade dos adversários, ou Belluschi que ao tentar cortar uma bola pela relva se lembra de atrasar fraco para Helton em vez de atirar para fora. Mente fraca em corpos mais ou menos sãos, dá nisto.

 

Não é uma catástrofe mas custa perder pontos num jogo que estava ao nosso alcance. Ainda chateia mais perceber que este tipo de resultados, que acontecem casualmente quando as equipas têm azar nos remates ou apanham um guarda-redes que faz o jogo da vida dele, ocorreu por culpa exclusiva dos nossos jogadores pelo pior dos motivos: preguiça. Preguiça de jogar com inteligência e tranquilidade, preguiça de correr tanto como o adversário. E se voltarmos à época passada e virmos os empates com Guimarães, Sporting ou Paços, percebemos que nenhum deles teve esta configuração. Contra o Vitória porque descansámos com o resultado feito; frente ao Sporting porque fomos surpreendidos pela agressividade de uma equipa que até aí nada tinha feito nesse sentido; em casa com o Paços porque já éramos campeões, tínhamos acabado de passar à final da Liga Europa e estávamos e poupar até lá chegar…e porque Pizzi fez três golões. Empatar com o Feirense não é, mais uma vez, uma catástrofe. Mas sempre que fizermos jogos deste nível não podemos esperar mais senão perder pontos.

16 comentários

  1. Boas Jorge,

    Eu estou surpreendido é como é que consegues dar um Baía no jogo de hoje… :)

    Qto ao jogo de hoje, não me lembrava de termos um jogo tão mau. Ao nível de um Porto do Octávio Machado.

    Foi mau, sem marcações de jeito, displicência, um meio campo aos papeis, 45m sem ponta de lança (o Falcao meteu 3…) com o Walter a aquecer o jogo todo, substituições mal feitas, enfim.

    Culpo apenas o VP pelas falhas de hoje, pelas coisas que já referi. Continuo a não perceber estas substituições, pq que o Iturbe não é convocado… Baroni para o VP.

    Meio campo sem Fernando ou Souza e com Guarin não resulta. O Varela esforçou-se bem, deve jogar de início com as galinhas. Vamos ver, espero um jogo melhor. O James foi menino, agora aquece o banco para atinar.

    Uma menção extra-jogo. Manxté-Unaite 3 Xelçe 1. Embrulha libras-boas.

    Abraço

  2. Baroni – Vitor Pereira!!

    Preparou mal a equipa! Nao soube mexer na equipa! acho inconcebível convocar o Walter e ele nem sequer aquecer para entrar e acabarmos com Varela?James?Djalma?Defour?Moutinho?Guarin?Fucile?Mangala?Rolando? a ponta de lança. Usamos o ponta de lança dos juniores, se preciso!

    Mal, Mal, Mal!

    Espero que para o jogo da próxima sexta o VP nao invente! É so isso,nada mais. Acredito que iremos jogar ao mais alto nivel e alta rotação. Este resultado ( e pior…a exibição) pode ter sido “wake up call” para o que ai vem! e é preciso atitude, concentração, humildade, trabalho!

  3. Jorge, caríssimas(os):

    é verdade que perdemos dois pontos, antes do clássico com os lampiónicos coisinhos da agremiação de Carnide. e é verdade que poderíamos ter feito melhor, bem melhor.

    mas não sejamos “josés filipes” depois do jogo desta noite. estar a colocar em causa tudo o que o que já foi feito e tendo em conta um passado recente, é uma demonstração de algo que os portistas não são: catastrofistas crónicos.
    deixemos as pessoas que são pagas para pensarem e resolverem os problemas da gestão do plantel desenvolverem o seu trabalho.
    mais do que criticar por criticar (e sem razão, naquele caso), apoiemos quem ainda nos vai dando alegrias numa vida cheia de agruras. e tal não deverá ser só na próxima Sexta-feira, mas sim sempre!

    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo II

  4. Neste jogo é que se percebeu bem que a decisão de não contratar um ponta de lança com mais estaleca foi uma grande asneira. Então pagamos 13 milhoes por um lateral e não são capazes de arranjar um ponta de lança decente? O Kleber ainda está muito verde e isso de apostar em jovens é conversa de Sportings e Arsenais que são equipas que se ganham alguma coisa é pó nas últimas taças que ganharam. O ataque hoje foi muito mal com os 2 Rodriguez de uma pobreza constrangedora. O Varela ainda é muito melhor que o Christian.
    Discordo um pouco com o Baroni para o Guarin, afinal foi o único que criou desiquilibrios e criou oportunidades, mesmo jogando a meio gas.

  5. Dois pontos perdidos por culpa de uma exibição deplorável, caracterizada por uma atitude contraproducente, que eu imaginava já completamente erradicada do seio deste valioso plantel. Engano meu e quiçá do próprio treinador que ao invés de corrigir alguns excessos de confiança ajudou a complicar a situação.

    Quem porfia, mata caça, quem relaxa passa «traça». Foi o que aconteceu exactamente.

    O nulo no marcador reflecte a atroz incapacidade de acertar na baliza. Na primeira parte os nove remates portistas não foram na direcção da baliza e na segunda, os remates mais perigosos esbarraram nos ferros. Varela teve a baliza escancarada e atirou para fora…

    Mau de mais para um plantel composto de gente capaz de fazer imensamente melhor. As faltas de Álvaro Pereira e Hulk não chegam para justificar tamanha incompetência.

    Que todos aprendam a lição pois exibições similares serão certamente repudiadas pelos incansáveis apoiantes portistas, únicos que mereciam a vitória.

    Um abraço

  6. Bom dia,

    Ontem fizemos um jogo muito fraquinho. Fizemos uma primeira parte que mais parecia um filme do Manoel de Oliveira.

    Perdemos 2 pontos, por culpa própria, pois não encaramos o jogo com a devida atitude desde o apito inicial.

    O lance da expulsão de James foi o culminar de um jogo para esquecer.
    James levantou-se impetuosamente na direcção de Rabiola, que se aproveitou para teatralizar, levando o árbitro a expulsar o seu colega de profissão. Rabiola pelo menos no teatro terá futuro.

    Kléber segundo Vítor Pereira estava tocado e por isso foi substituído.
    Não compreendo porque é que Walter não entrou na partida, na qual com a pressão do Porto se adivinhavam muitas bolas perdidas na área, impondo-se por isso a sua presença à falta de melhor.

    Ontem ficou claro que sem pudermos contar com Hulk, escasseiam soluções para jogar no centro do ataque.
    Iturbe ainda está a marinar e tarda a aparecer, e há que decidir de uma vez por todas se Walter conta ou se é só para fazer número.

    O resultado foi justo e mau antes da recepção ao Benfica.

    Podíamos com uma vitória ontem e outra diante do Benfica, disparar na tabela classificativa.

    Valeu o fantástico apoio dos portistas que se deslocaram a Aveiro, que não mereciam este empate.

    Agora há que rever o de menos bom, melhorar e recuperar os jogadores para o jogo diante do Benfica.

    Abraço

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.com

  7. O Baroni principal via para o mister: tentou inovar demais, cheio de confiança, e foram demasiadas alterações para um jogo só, e um jogo fora!
    De resto houve 3 jogadores a menos na 1ª parte: Kleber, Guarín e James… e, por mim não deveriam ter voltado para a 2ª parte. Se era para ser uma lição, então que fosse a sério. Não ter tirado o James acabou por ser duplamente mau. Com um árbitro grotesco e um Rabiola, que não fez nada o jogo inteiro a demonstrar porque não podia estar no porto, a querer ter protagonismo, levou vermelho… – e vai ficar na bancada a ver o benfas…

    Esqueceu-se tambémi do Baroni para o Valdemar – ininsuportável – e para as transmissões de futebol na tvi…

    (E, quanto aos Baias neste jogo… acho que deve ser só mesmo para dar Baías; Mangala não foi expulso e ficamos contentes, mas dar-lhe um Baía por isso, acho assim-assim mesmo para o jogo de ontem; teve o mesmo problema que os restantes centrais já tinham tido contra o Shaktar quando um avançado se cola a eles, perdem as bolas todas. Quando não perdem não está ali o trinco para as receber e as bolas vão para o adversário…
    Quanto ao Sapunaru… não fez nada de diferente dos outros…)

    Agora resta-nos achar que o VP imitou o Sir Alec e, 6ª feira vai corer tudo bem…

  8. Mau jogo… Nao vale a pena nomear, acho que colectivamente foi para esquecer. Agora temos de voltar bem, já contra o Benfica. Mostrar quem manda no campeonato.

  9. Que sensação estranha…um empate com o Feirense para o campeonato, mas o que realmente me parece, é que o Jesualdo nos seus dias de paragem cerebral voltou ao comando da nossa equipa.
    Depois do Maritimo-Porto de Novembro de 2009 que não via um jogo de futebol tão pobre – pelo menos por parte do FCP – porque os tipos do Feirense “bateram-se” bem.
    Tendo como amostra apenas os Portistas que conheço, facilmente posso concluir que o Vítor Pereira não é um nome consensual – é verdade que, provavelmente, esses nomes também não existem, mas de qualquer forma o que se passou ontem é totalmente da responsabilidade do treinador. O tipo que se ponha fino, porque se começa a ser desacreditado, depois ninguém o salva.
    Se até ontem me parecia que o VP tinha todas as condições para fazer um bom trabalho, o jogo de ontem deixou-me apreensivo. Falta de organização, muda o esquema e jogadores em excesso de jogo para jogo, jogadores desconcentrados – tudo a fazer o frete. Se nos primeiros jogos parecia perceber minimamente da coisa, tem vindo a cair de uma foram preocupante.
    O Fucile e o Belluschi foram uma nulidade! Este último é capaz de levantar o estádio com um passe ou remate magistral, mas também tem coisas de Fernando Aguiar, o Robocop. Um tipo assim não pode ser titular numa equipa como o Porto e com as opções que tínhamos no banco. Tem que perceber de uma vez por todas que aqui tem que dar tudo, todos os jogos, do inicio ao fim.
    O Fucile……….caramba, custa entender. O ano passado já não era indiscutível, mas se tivesse metade da vontade dos primeiros anos…era um lateral excepcional.
    O Cebola…é um jogadorzito, o Varela deve andar naquela altura do mês e o PL…ou joga bem, ou se joga mal também não há alternativa, porque o Walter não conta como se vê. Enfim, um pesadelo. Esperemos que não seja mais do que isso e que na 6ª o Porto vença os tipos que vêm cá jogar.
    Outra coisa: Quando é que o animal do valdemar duarte é despedido?

  10. O início do jogo não me fez lembrar o Octávio Machado (já limpei essa memória da minha vida há mt tempo) fez-me lembrar o tempo do Jesualdo. Falta de personalidade, falta de vontade, falta de profissionalismo e uma equipa inventada…

    Temos um treinador que diz que ainda não deu atenção aos jogos do Benfica, mas ontem entraram 17 personagens que já não pensavam noutra coisa.

    Uma jogada que me irritou e que demonstrou a falta de vontade foi uma jogada dividida entre o Kléber e um jogador adversário em que bastava o Kléber esticar a perna para pelo menos atrapalhar o jogador, e o que fez o moço? Levantou a perna para não se cansar muito

    É como dizes, no ano passado perdemos vários pontos, mas nenhum foi por falta de vontade.

    Infelizmente já conheço o VP de outras paragens e a grande queixa que tenho dele é a falta de pulso no balneário e esta falta de capacidade de motivar os jogadores e fazer-lhes perceber que todos os jogos valem 3 pontos, tenho esperança que a experiência de outras paragens lhe tenha moldado um pouco a personalidade e tenha melhorado nestes aspectos. Espero que, como ele diz, isto tudo tenha servido de lição, tanto para os jogadores como para o treinador.

    Agora, espero que o capitão da nossa equipa se tenha chateado com os seus colegas, pq isto, para mim, é uma vergonha:

    http://www.ojogo.pt/27-262/artigo947309.asp

  11. É por estes jogos que existem épocas que nem quero saber de ver os jogos do FCP…

    Isto foi inadmissível! Estou revoltadissimo!

    Se todos queremos acreditar no VP, o que aconteceu ontem mostra um treinador fraco sem personalidade e/ou capacidade de decisão.

    Acabar ou jogo com não sei quantos médios, não sei quantos alas e ninguém no coração da àrea é abismal.

    Pior que isso, deslocar o Jámes para o meio foi tirar o miúdo do jogo por completo… PORRA! não somos o Barcelona!

    Compreendo que se tenha testado uma solução sem o Kleber, apesar de não ter entendido de o tirar ao intervalo (mesmo que ele não estivesse a jogar nada), pois sem ninguém na área fixo, os defesas do Feirense também podiam se desdobrar em compensações com mais facilidades e assim sendo, como é que os médios entrariam de trás?

    Como disse, aceito que se tenha testado, mas 15-20m depois, ao ver aquela “porcaria”, era meter o Walter!!!! E se ele não conta mete-se um puto dos Juniores de 17-18 anos, porra!

    Se temos o plantel que queremos, então onde está o 2º Ponta?

    Estes dois pontos levam completamente o carimbo de culpa do VP… a 100%

    Jorge, não me venha falar do empenho dos jogadores, que aquilo era uma confusão táctica completa.

    Houve jogadores que estiveram mal, mas porque o timoneiro resolveu inventar e nada mais.

    Estou mesmo muito irritado com este jogo…

  12. Pois é, mais um jogo em Aveiro e eu la fui ver a bola. Acabou por ser uma má opção…

    Fiquei muito desapontado com a atitude dos jogadores… mas mais ainda com a atitude (ou falta dela) do VP. Tenho fé no homem mas acho que ele ontem estava mais remeloso no banco que os própios jogadores no campo. Eu até nem sou muito de refilar, mas ontem não consegui segurar alguns piropos ao cebola… esse ontem depois de 15m de jogo, ia logo tomar banho. O VP achou que 1h era o minimo aceitável. enfim… ninguém estava muito bem mas o CR10 azul nem merecia ter vestido a camisola.

    Fiquei agastado porque não contava. Achava até que em Portugal, o FCP era a única equipa que desde a muito tempo não sofria desse tipo de problema. Podia jogar mal, mas lutar, correr, dar o litro era coisa que estava no sangue… se calhar as coisas mudaram um pouco. I hope not…

    Se foi poupança de esforço(?) para Sexta, então ao menos que provem isso pois um empate com o Feirense não me doí tanto como algo que não seja vitoria com o “visitante”.

    Os momentos menos bons fazem parte, e tenho fé que aquela equipa esteve consciente do que fez.

    Reparei no pormenor que o LP referiu no final do comentário. Não gostei, a maioria dos adeptos como eu, pagaram para la estar e senti a equipa sempre a ser apoiada. As atitudes é que valorizam os homens… ali só meia dúzia deles mostrou carácter.

    Abraço a todos

  13. Eu não quero atacar o treinador mas, meter o Djalma numa situação daqueles não lembra ao diabo, era preferível meter o Walter,mal por mal sempre tem um pontapé forte, além disso, aquele meio campo com tanta gente,fez-me lembrar o Porto dos anos 60. Bem agora o que interessa é que sexta-feira vamos jogar bem contra o clube do regime e vamos ganhar.Força Porto sexta lá estaremos para depenar o bicho.

Deixar uma resposta