Baías e Baronis – Vitória Setúbal 1 vs 3 FC Porto

foto retirada de desporto.sapo.pt

Ao intervalo, enquanto falava com o meu pai, dizia-lhe que mais cedo ou mais tarde íamos chegar aos golos e dávamos a volta a isto. E disse isto sinceramente, porque apenas o batatal que se apresenta como relvado naquele estádio e a agressividade do Setúbal podia impedir que conseguíssemos chegar aos golos. Lá fomos e lá porfiamos, com polémica parva vinda sempre da mesma besta que há-de reclamar seja beneficiado ou não, o que é mais interessante sempre que não tem razão. O penalty é nítido, a expulsão é evidente e os dois lances em que supostamente a bola teria entrado, uma para cada lado, são quase idênticos e impossíveis de decidir em tempo corrido. Para lá dessas conversas para-futeboleiras, o que conta são os golos, especialmente o de Quintero mas também a força de Josué, a inteligência de Defour e a capacidade da equipa dar a volta a uma situação infeliz. Começámos bem. Vamos lá às notas:

(+) Josué. Foi um dos principais jogadores do FC Porto exactamente porque foi dos poucos a tentar igualar a agressividade do adversário, que tanta mossa nos causou na primeira parte. Adorei, como todos, o facto de ter sido ele a marcar o penalty, assumindo o que jogadores muito mais experientes como Lucho ou Jackson não tinham conseguido fazer nos últimos tempos. Bateu no peito como revolta de um portista que nunca quer estar a perder, conseguiu ainda causar a expulsão do nervoso Kieszek e deu o último golo a Jackson. Foi o melhor jogador da equipa e isso diz muito para o jogo de estreia pelo seu clube na Liga.

(+) Defour. Fiquei chateado quando o vi sair porque pensei que Lucho estava bastante pior em jogo do que ele. Compreendo a decisão, para privilegiar o toque curto e o acompanhamento a Quintero, mas preferia que tivesse ficado até ao fim. Foi o Steven do costume, prático, voluntarioso, sempre com vontade de levar a bola para a frente, de procurar o melhor espaço e a melhor zona para vaguear, sempre mantendo a noção defensiva e a agilidade táctica que o modelo lhe proporciona. Continua a não ser um Moutinho, porque hesita quando não sabe o que fazer ao contrário do João, que parecia pensar sempre com duas jogadas de antecedência, mas é valioso no apoio ao ataque e no bloqueio do contra-ataque adversário.

(+) O golo e os pés de Quintero. Não podia ter pedido uma melhor estreia na Liga para Quintero. A técnica não engana e o golo foi excelente e ao alcance de poucos. Parece esconder-se de algumas jogadas defensivas, algo que terá de trabalhar para poder ser uma opção válida em jogos de nível europeu, mas a qualidade individual pode resolver, como hoje, muitas situações complicadas em jogos do campeonato especialmente contra jogadores de equipas deste nível, que acertam em tudo que vêem e contra as quais este puto colombiano vai tratar de fintar uma, duas e mais vezes…

(-) Todos os jogadores da defesa. Foi o exacto oposto do que se tinha passado aqui há uma semana em Aveiro. Defensivamente estiveram todos abaixo do que se espera para uma equipa do FC Porto, entre distracções e displicências infantis, exageradas facilidades dadas aos avançados do Setúbal, que aproveitaram sempre que lhes apeteceu. Eu sei, eu sei, era um jogo provavelmente fácil, mas é nestes jogos fáceis que se ganham e perdem campeonatos. Os laterais, ao contrário do comportamento defensivo, estiveram bastante bem na saída com a bola controlada…vá-se lá saber como.

(-) Lucho. Falhou passes em demasia e pareceu sempre desconfortável em relação ao estado do “ervado”, tal foi a sucessão de bolas perdidas pelo nosso capitão. Há jogos assim e depois da facilidade com que jogou noventa minutos contra o Guimarães, só espero que este não seja o início de uma época intermitente a nível físico.

(-) Os Nelsons Pedrosos deste campeonato. Vamos apanhar muitos destes, na sua parte boa e má. A boa é que são gajos lutadores, rijos, que se antecipam muitas vezes aos nossos avançados, médios, defesas, guarda-redes e apanha-bolas, o que nos deve deixar sempre atentos. A parte má, é que são mais caceteiros que uma padaria num Domingo de manhã. E Capela hoje deixou passar vários amarelos a vários Nelsons do Setúbal. Não creio que tenha sido por maldade, mas a impetuosidade destes rapazes, à imagem de outro Nelson, o Oliveira, que ia lesionando Moutinho antes da final da Europa League, tem de ser punida.


Entrámos melhor que no ano passado mas não nos livrámos de falhas recorrentes. Bolas-paradas ineficientes, vários golos falhados e insegurança defensiva voluntária que vem de algum excesso de confiança contra equipas mais fracas. Há que corrigir vários aspectos de jogo, mas a vitória interessava e foi nossa no final. Que assim continue o fluxo de pontos.

17 comentários

  1. Bem,não tiveste medo:Lucho a “baronis” como é óbvio.Que jogo de merda do Commandante.É raro… mas desta vez parecia mesmo um velhote acabado pronto pra reforma.Triste…

    Um bem rijo é o Josué!Puto crack… como o Quintero!
    Esses devem jogar juntos,não há hipótese.. Cagam classe!

    Noto que o Porto esta melhorando a cada saída… PF ta quase encontrando a boa fórmula… The blue meth.. odologia…

    Pah ciência…

    PS:Mota esta bem enferrujado…(40 anos na disciplina,acho que já é tempo de parar,amigo!)

  2. Boas Jorge,

    Eu acho que tirando o golaco do Quintero, pouco mais se aproveita. Entramos com aquela atitude de lampiao, cheios de caganca.

    Defesa com erros monumentais (nao sei se foi de proposito para nao serem vendidos ;)) dos centrais, laterais q nao sabem cruzar, meio campo sem conseguir sair com uma bola a jogar falhando oasse tra de passe….

    Para mim falta-te um baroni para o Helton. Ontem nao levamos mais golos sem saber como. Falhou saida atras de saida, falhou nos cruzamentos e a habitual fintinha q tanto me irrita ia dando merda. Devia fazer um jogo no banco para atinar.

    Bom mas o q interessa e q fizemos 3 pontos e ja temos vantagem sobre os galinaceos logo na primeira jornada. Pelo andar da carruagem parece q vao inverter papeis com os lagartos esta epoca :)

    Abraco,
    Joao

    1. as fintinhas já devias estar habituado…já o resto não acho que tenha falhado assim tanto e fez lá uma boa defesa no livre do Rafael…coiso.

      essa da defesa fazer erros para não ser vendida…olha que pensei o mesmo, mas isso sou só eu que sou maldoso ;)

  3. Não simpatizo com o Josué. Acho um ‘fintinhas’. Sim… marcou o penalti, fez uma assistencia mas é um tipico jogador portugues com quem antipatizo ( ao contrario de Castro, Moutinho por exemplo), sempre a atirar-se para o chão, ao estilo do Liedson ou JVP.

    O importante era ganhar mas a jogar contra menos 1 não é suposto a outra equipa atacar tanto como atacou, não soubemos explorar essa vantagem e a quantidade de passes falhados foi surreal.

    Cantos com perigo marcados pelo FCP? 0.

    That said, ainda não estou convencido. :)

    1. “a jogar contra menos 1 não é suposto a outra equipa atacar tanto como atacou”

      na mouche, e por aí podemos perceber algum nervosismo, que aceito mas espero que passe depressa…

  4. Vitória mais suada do que podia ter sido se a equipa jogasse o que sabe, sem complicar.

    Enfim, uma exibição cinzenta com os três pontos da ordem, mas… um verdadeiro campeão tem de jogar e dominar muito mais.

    Um abraço

  5. COM CLUBITE, apenas digo o que a maioria já enxergou:
    Quintero não pode ser suplente.

    Quando toca na bola, na maioria das vezes só sai coisa boa.Mal tocou na bola, fez aquele golão, quando podia ter se atirado pra piscina como faz a maioria.Não o fez, se reequilibrou e mandou a bomba indefensável.

    Depois num só toque, isolou Josué para a assistencia para o 3º golo.Errou 2 passes em todo o tempo em que esteve em campo e muitas vezes, viu-se o Quintero a indicar posicionamentos aos “mais velhos”.É craque, mas o tem discurso humilde.Olho pra Quintero, vejo Deco.

    Repito, Juan Quintero não pode ser suplente.

    Danilo na 2ª parte, investindo pelo meio como um nº 8 tem sido agradável.Se melhorar a pontaria, será uma arma valiosíssima pelo factor surpresa.

    SEM CLUBITE:

    Josué devia também ter sido expulso.A lei diz que quando se marca um golo, a bola automaticamente pertence à equipa que levou o golo e cabe a esta equipa colocar a bola no centro para recomeçar o jogo.Josué provocou e deu um empurrão ao guarda-redes sadino, que reagiu, portanto vermelho aos dois.Num jogo de champions era vermelho para Josué, sem sombra de dúvidas.Josué tem que ser mais comedido, senão vai esquentar banco de suplentes pelo temperamento…

    A nossa defesa parece indefesa em relação à época transacta.Muito facilmente estão entrando por um buraco ali no meio campo que já vem da pré-época, além de levar muita bola nas costas. E anda perdendo muitas bolas de cabeça dentro da nossa área, não é nada normal.A champions já está à porta, e é preciso tapar este buraco o quanto antes.

    Helton precisa parar de inventar com os pés e jogar simples.Já é bem crescidinho…

    Quintero pra mim o melhor em campo, Danilo a seguir e o resto foi aquém do esperado, com muitos erros de passe.

    Vamos ver contra o marítimo como será.

  6. Eu disse ha umas boas semanas atras que este Quintero ia ser o 10 titular la mais para o final da epoca, e esta prestacao faz-me acreditar nessa eventualidade ainda com mais forca.

  7. Sobretudo achei que a equipe não entendeu como tinha de jogar contra aqueles sarrafeiros; e isto vem acontecendo desde há dois anos. Dá pena ver uma equipe com aquele toque de bola, naqueles campos de batatas, de pequenas dimensões (é muito estreito, caramba!), contra aqueles guerreiros ninjas…
    Ponham uma task force a pensar como se deve jogar nestes campos… seria mais produtivo esquecer de fazer rolar a bola e se organizar um jogo tipo futebol de praia…
    Enfim. Bonfim.
    Gostei muito do Quintero e do Herrera – excelentes reforços. E, do Josué e do Defour. Não gostei nada do Jackson, nem do Fernando… mas, enfim, foi jogo a alertar para o que aí vem. Como também o jogo da madeira foi. E, esperemos até ao dia 31 para sossegar algumas almas que andam perdidas…

  8. Não foi fácil… Relvado fraco, adversário duro, público hostil e árbitro sempre a emperrar o jogo. Não vou comentar individualidades porque vi o jogo com intermitências e, honestamente, não me sinto avalizado para tal, nesta situação. Li aqui que Josué devia ter sido expulso. Ora bem,

    i – Josué marca o pénalti

    ii – Josué pontapeia a bola com violência de encontro às redes e agarra-a no ressalto

    iii – Josué preparava-se para sair com a bola da baliza quando o GR do Setúbal a retira das mãos de Josué

    iv – Josué empurra de forma pouco ostensiva o GR do Setúbal e olha-o nos olhos

    v – GR do Setúbal cabeceia Josué, e atira-se para o chão

    vi – Josué não deixa que se fique com a impressão que o GR do Setúbal é melhor actor que ele e atira-se para o relvado também

    Conclusão: comportamento incorrecto do Josué – cartão amarelo; agressão de Pavel a Josué – cartão vermelho.

    Já para não falar do golo mal anulado ao Fc Porto aos 5 minutos…mas disso fala-se pouco, não se vá dar a entender que o jogo podia ter tomado um rumo completamente diferente e, se tal acontecesse os “Motas” deste mundo não podiam deturpar os factos para se desculparem e tentarem denegrir uma vitória sem mácula. Ó Mota, junta-te ao Manhoso, ao Gomes da Selva e outros calimeros e vai mas é plantar melões! Não, não jogamos bem. Mas fomos melhor que o adversário, ganhamos e vamos, de certeza, melhorar bastante. Batalha a batalha, até à vitória final.

    Cumprimentos,

  9. Revi o tal lance da expulsão do Kieszek. O Josué, depois do GR lhe retirar a bola dá uma cotovelada, não empurra, como tal, sim, tinha que ser expulso também. Mea-culpa.

    Cumprimentos,

    1. E escapou-te o golpe de Krav Maga que o Josué deu no Pawel, que o derrubou pelo pelo pescoço num golpe invertido seguido do “assentamento de aspadas” que fez o Pawel bater no chão a dar-se por vencido?

      Como te pode ter escapado um coisa destas tão evidente?

    2. Qual cotovelada? Ele dá um encontrão! lol Em jogo corrido nem falta seria, pois seria uma carga de ombro.
      Claro que é amarelo. É comportamento anti-desportivo e não agressão.
      Agressão foi a cabeçada.

  10. Pah, a mim já me custou ver a cotovelada e, por isso, admito que para o árbitro, que não tem as repetições, tenha sido muito complicado ajuizar. Não sejam aquilo que acusam os outros de ser… eu, pelo menos, embora a minha paixão clubística me tenha tentado a não ver, tenho que ser sincero. Mais valia ter-me calado em vez de discutir a opinião anterior mas, vendo que errei, não tenho problemas em admiti-lo. Também não vi o pardal que estava à beira do Helton quando se marcou um canto a favor do FCP…Pah, azar, falo do que vejo…!

    Cumprimentos,

  11. Jogo típico de arranque de época. Nem me preocupa.
    Estamos naquela fase onde há os erros naturais (Tanto tácticos como o afunilamento do jogo, como mentais como o excesso de confiança), onde o que importa é vencer.
    Acredito que o FC Porto irá começar a fazer exibições de alta qualidade a partir da próxima jornada ou da seguinte.
    Quanto a jogadores. Quintero é craque. Este é daqueles que não enganam. Tem um pé esquerdo abençoado como o de James. Basta ver que mal entrou, é atropelado pelo adversário, resiste e marca um golão (RAÇA). Pouco depois descobre Josué, num lance que terminou em golo. Dêem lá a batuta ao rapaz!
    E por favor, metam A PORRA DOS EXTREMOS A JOGAR NAS ALAS! Às vezes até parece que jogamos só com médios.

Deixar uma resposta