Ouve lá ó Mister – Eintracht Frankfurt

Mister Paulo,

Aqui há dois anos e qualquer coisa, estávamos todos a lamentar a nossa sorte no sorteio quando nos calhou o Manchester City. Tínhamos passado por uma fase de grupos terrível, ainda pior que a deste ano, quando perdemos no Chipre (NO CHIPRE, PAULO!) contra o APOEL e de termos tudo nas nossas mãos na última jornada e desperdiçarmos a oportunidade de passar em frente. Caímos para a Euroliga e pumba, lá aparecem Aguero e amigos para nos enchumaçar os queixos, mas no início do jogo no Dragão até nem tudo parecia mal. Entrámos bem e até estivemos a ganhar mas o Danilo lá se lesionou no jogo de estreia europeia e o Álvaro teve um daqueles momentos parvos e enfiou a bola na própria baliza e a partir daí foi sempre a descer. A equipa abanou física e moralmente e voltaram os erros infantis, a parvoíce, a desconfiança e a falta de entrosamento entre sectores, a anarquia táctica e cedemos perante um adversário que era mais forte no papel mas que provou sê-lo também em campo, muito à custa da nossa menos-valia psicológica.

Hoje, tudo é diferente e tudo pode ser igual. Ninguém acha que o Eintracht é mais forte que nós, não tenhas dúvida disso. Mas nós é que temos de mostrar em campo que somos melhores que eles e que nada nos vai fazer abanar na convicção de passar esta eliminatória. São alemães, frios, tecnicamente abaixo de estupendo mas com passe certo, mais certezas que irreverências mas uma data de gajos altos e laterais rápidos que nos podem tramar se não houver jogo conjunto, solidariedade e inteligência táctica. É um jogo europeu, raios, as equipas nunca são más, mesmo as fraquinhas podem sempre surpreender pelas diferenças no estilo e pelos jogadores menos conhecidos que por vezes se revelam. Mas nunca te esqueças que é nestas eliminatórias que o FC Porto tem tido dificuldades. Contra os grandes, sabemos ao que vamos. Contra os não-tão-grandes…às vezes facilitamos demais.

Não facilites, Paulo. Ganha o jogo, não sofras golos e faz com que os gajos joguem em condições para um FC Porto europeu decente. E bate menos palmas, por favor.

Sou quem sabes,
Jorge

4 comentários

  1. Não sofras golos? Isso é pedir demais ao Fonseca. Ele não pensa no que os adversários podem fazer. Só a equipa dele está em campo, tipo “só dependemos de nós” Anular o Rode ou outro jogador qualquer? “Interessa são os nosso processos ofensivos”. Deve ficar bem admirado quando os adversários começam a jogar sem que ele percebe o que se passa. Com o Atlético de Madrid foi bem levado, julgou que estava a dominar e nunca percebeu que os adversários estavam a contar com isso. Tem sido demasiado fácil a qualquer treinador, mesmo das nossa piores equipas, vencer estratégicamente o PF. O que nos tem valido é ter, apesar de tudo, grandes jogadores. Esperamos que hoje seja diferente. E que o PF finalmente respeite os adversários.

  2. FFS!!!! Como é possível que metendo 11 gajos em cantos soframos um golo em que estão dois gajos isolados ?

    :/ Triste sina ser portista este ano. é que doi.

  3. Caro Jorge
    Não consegui esperar pela “crónica”…
    Apenas um par de comentários.
    Saí do estádio vergado com uma confrangedora falta de garra por parte dos nossos jogadores, depois de desperdiçarem uma vantagem de 2 golos…
    Um Dragão assim despido, e dominado pelos adeptos contrários, não me lembro em 10 anos de jogos no novo palco
    Não sei se é impressão minha, ou birra, mas o Josué, para mim não estava assim tão mal, mad o homem mexeu na equipa, e esgalhou tudo..pode ter sido concidência…
    Agora? Acreditar, e pensar que é possível, mesmo com a desorientaçao do PF a pensar que o adversário é o Leverkusen…

Deixar uma resposta