Baías e Baronis – Guimarães 2 vs 2 FC Porto

O minuto 85 é a imagem perfeita para alguém que queira perceber o que é o FC Porto 2013/2014. Incapazes de sair de uma zona de pressão por parte do adversário, a zona defensiva cometeu falhas atrás de falhas quando tentava movimentar a bola numa transição para o ataque que nunca saiu porque a bola não saía dali. Alex Sandro, Fernando e Maicon foram lentos a afastar a bola, fiando-se na sua capacidade de controlar o esférico, sem linhas de passe, sem movimentação ofensiva para receber a bola e começar uma fase de construção que se espera de uma equipa grande. Mais uma vez desperdiçámos uma vantagem de dois golos para perder mais dois pontos e acabar quase definitivamente com a esperança em vencer o tetra-campeonato. E não merecemos mais que isso, especialmente pela segunda parte que fizémos, digna de um clube pequeno, com mentalidade pequena. Quanto descemos, meu Deus. Notas abaixo:

(+) Ghilas (na primeira parte). Com características completamente diferentes de Jackson, é o avançado que precisamos neste momento pela força que mostra e pela movimentação agressiva que coloca ao dispôr da equipa enquanto está em jogo. Teve azar por não ter conseguido marcar na primeira parte (uma bola à trave e um cabeceamento a roçar no poste) mas conseguiu o remate que deu origem ao segundo golo e agiu sempre com determinação, raça, entusiasmo e vontade de jogar. Para primeiro jogo como titular na Liga não se podia pedir muito mais. Baixou de produção na segunda parte porque a equipa não agiu como tal e talvez porque não tenha ritmo para muito mais que 45 minutos…é o que acontece a um jogador que joga 4/5 minutos de cada vez…

(+) Danilo. Continua a ser dos poucos que se esforça para conseguir mais do que os miseráveis resultados e más exibições que os colegas têm protagonizado. Tem vindo a melhorar na primeira fase de construção dos lances ofensivos e está mais atento na defesa, só não tem culpa que a maior parte do sector defensivo esteja a dormir durante todos os jogos…

(-) Abdoulaye e Maicon. Um jogo completamente absurdo do senegalês, que nunca conseguiu assentar a cabeça de forma a poder ter uma atitude normal em jogo. Hesitações a mais, falhas na marcação a Maazou e um nível de agressividade quase sempre excessivo que fez com que nada lhe corresse bem porque nunca tentou jogar…normalmente. Tudo que fez foi em força e sem cabeça, desde o amarelo que levou às inúmeras desconcentrações que deixavam os jogadores do Guimarães sem problema a jogar contra uma defesa que nunca pôde confiar nos foras-de-jogo do adversário porque Abdoulaye lá estava sempre a facilitar, totalmente desenquadrado da equipa. Maicon, a seu lado, de quem espero sempre mais, foi o Maicon dos maus dias que têm sido bem mais que os bons nesta época. Distraído, displicente e sem velocidade suficiente que nem a inteligência posicional (que tem) lhe valeu. Um jogo muito mau de ambos.

(-) Herrera, Carlos Eduardo…e até Fernando. Foram incapazes, especialmente na segunda parte, de manter a bola controlada durante tempo suficiente para que a equipa se conseguisse organizar em condições. Fernando falhou muito na marcação à entrada da área e na cobertura dos espaços, mas Herrera e Carlos Eduardo foram inexcedíveis no desperdício e na incapacidade de impôr um jogo com consistência e acima de tudo força física e mental. Carlos Eduardo está num momento horrível e Herrera está um perfeito anti-Castro: joga sempre a um ritmo baixo demais para este nível e quando apanha Andrés ao quadrado e outros que tais, raramente consegue safar-se por cima. O nosso meio-campo é a principal razão, táctica e física, pelos maus resultados da equipa, cada vez tenho menos dúvidas disso.

(-) Quaresma. Lembro-me de uma frase que já se ouviu tantas vezes nas bancadas do Dragão: “Leva-a para casa, caralho!”. Exagerou nos lances individuais e apesar de raramente lhe apontar o dedo quando é dos poucos que tenta, a verdade é que há muitas alturas em que o jogo colectivo parece que lhe passa ao lado. Hoje foi uma delas, porque raramente passava a bola aos colegas em situações de perigo, optando por ser ele próprio a levar a equipa às costas. O Quaresma de 2007 talvez conseguisse. O de 2014 já não consegue e devia ter noção disso.

(-) Porque raio convocar Jackson?! Não consigo entender o porquê de convocar um jogador para depois o meter em campo quando se vê à distância que não está em condições, físicas e mentais, para disputar um jogo deste nível e com previsíveis dificuldades e para o qual era necessário um homem forte e capaz de lutar por um resultado essencial. Juro que não entendo.


Não baixo os braços, nunca o faço, mas começa a ser complicado mantê-los lá no alto“. Disse isto depois do jogo contra o Estoril. Não tenho nada a acrescentar.

20 comentários

  1. bom resultado e bom jogo, em casa do vitória de Guimarães.
    Para aquele que só me teem visto aqui a comentar quando a equipa tá em baixo, aqui fica a minha dica:

    1-limpeza de balneário profunda
    2- eleiçoes e novo presidente
    3-melhoramento do campo de futebol
    4-compra de uma autocarro mais fixe
    5-aumento do museu

    axam que é preciso mais?
    ah e claro, Paulo fonseca como treinador.

  2. Tava a ver um bocado do jogo contra o Marselha na pré-época e estranhamente a equipa jogava muito mais na altura. Ou ainda tinham as ideias do Vítor Pereira na cabeça ou na altura o Paulo Fonseca ainda não tinha posto na cabeça metade das ideias parvas que tem agora.

    E pensar que no início da época só nos queixávamos do Lucho, que jogava muito à beira do Jackson, porque o resto ainda funcionava?

    O homem não sabe porque é que sofremos tantos golos? Talvez porque mete os dois centrais mais lorpas que temos a jogar e o clube vendeu o melhor sem a posição dele estar devidamente assegurada. Talvez porque a equipa não consegue pressionar os adversários em contra-ataque e eles fazem o que querem até à nossa baliza. Talvez porque não treine a merda da defesa à zona como devia, tantos são os erros que se somam a cada jogada!

    Ele não era assim tão mau no Paços! Como é possível desaprender tanto num ano? Começo a pensar que é adepto do Benfica e só aceitou treinar o Porto para nos lixar a equipa toda, não encontro outra explicação…

  3. Mas estávamos à espera do quê?

    7 meses a pedalar na m#¶%@ é o que é.

    Agora já só podemos pensar na próxima época e nos jogos contra o galinhame.

    Que se lixem as taças e a Europa. Interessa é acabar o campeonato em 2. Lugar. e preparar mais um Penta.

  4. Hoje do meio campo para a frente tínhamos Fernando, 2 ex-Estoril, que até me provem o contrário, não têm qualidade para jogar com a nossa camisola (não papo aquela história que basta ter o numero 20 nas costas e ser brasileiro para ser considerado o “novo Deco”), um mexicano que nunca tinha ouvido falar e que custou quase o dobro do Vitória de Guimarães, um ex-Moreirense, que até foi o melhor em campo (bem de longe) e um Quaresma que estava á 7 meses sem tocar na redondinha, e quer se queira quer não, a ultima vez que jogou futebol de qualidade foi em… 2007!!

    Diz-se que o Klopp queria o Abdoulaye. Isso nem vou comentar.

    Sem qualidade não há bons jogos.
    O jogo hoje foi dividido, podia calhar para qualquer um dos lados.
    Porque Licá, Carlos Eduardo, Abdoulaye, Ghilas, Herrera, Quintero (que até desceu de divisão no pescara) simplesmente NÃO ESTÃO HABITUADOS A GANHAR JOGOS! Não lhes está no sangue!
    A qualidade paga-se caro. E nós não a temos.
    Formação também não.
    Temos que vender os nossos melhores entretanto para equilibrar contas.
    Há 5 á escolha, Jackson, Fernando, Mangala, Danilo e Alex Sandro.

    Ainda estamos em Março, e ainda faltam 5 meses para começar a nova época…

    1. também vi, em diferido, como tenho feito a maior parte das vezes com os jogos da B. não são geniais e a maior parte deles nunca serão grandes vedetas…mas lutam e jogam organizados, e hoje em dia bastava-me isso nos As…:(

      1. podem não ser geniais, mas há lá gente que sabe tratar bem a bola, e sobretudo há um sentido de colectivo, de verdadeira equipa. para mim são eles neste momento os que vestem a nossa verdadeira camisola.

  5. Tenho uma questão: Isto de Baías e Baronis é só para jogadores? Treinadores, Directores, Presidentes… Não são elegíveis para estes prémios?

  6. E o Alex Sandro? Esquecem-se dele, foi dos piores, excesso de confiança, lentidão, nunca está no lugar. A ala dele é um buraco, vai sempre perder a bola à frente deixando 30 metros livres nas costas. Depois os centrais é que têm de resolver e ficar com as culpas. Para além disso faz faltas estúpidas como a do amarelo que levou por ter ido ao meio campo perder a bola. É um dos segredos do falhanço da defesa.

  7. enigmática a atitude de PdC… será que está preocupado que o fonseca (que, é evidente, não é “dos nossos”) pudesse vir a ser um treinador importante num dos outros grandes (como aconteceu com o Mourinho que foi despedido nos mouros para ser campeão europeu aqui), e que está a deixar apodrecé-lo até ao ponto de ter a carreira liminarmente arruinada?

    e será que estamos a deitar esta época ao lixo porque PdC acha mais conveniente o benfica ser campião numa época francamente medíocre (muito melhor do que nós, sem dúvida, mas longe do que foram o ano passado), com o Jazus a ter contrato por mais um ano &c… se calhar estou a ser óptimista, mas parece-me haver muito jogo táctico nestas situações

  8. Independentemente de não entendermos como podem os jogadores defender este treinador, e de não entendermos como podem estes jogadores fazerem tão pouco, etc e etc e tal,
    também vi um treinador do Vitória a dizer que adorava que o Abdoulaye metesse água – ? – e uns tantos mergulhos e anti-jogo dos homens de branco…

    … somos presa fácil hoje em dia… um treinador mais sacaninha faz uma boa sardinhada, e ainda arrota postas de pescada!…

    enfim, não é o fim do mundo, mas temos de arrepiar caminho rapidamente…

  9. Porque é que um jogador como o Josué, que devia conhecer e interpretar mais bem as ideias de jogo do mister Paulo do que colegas de equipa, não arranca exibições convincentes nem sequer conquistar a titularidade indiscutível?
    Por aqui poderíamos entender munta cousa.

  10. A pergunta que me surgiu com toda a naturalidade, dada a opção da SAD Portista ter incidido sobre Luis Castro, é: vamos ver jogadores da equipa B na equipa principal?

  11. Parece que Paulo Fonseca despediu-se do treino com um sorriso. Percebe-se porquê: foi um alívio sair da trampa que ele criou.

Deixar uma resposta