Baías e Baronis – FC Porto 0 vs 5 Liverpool

A caminho de casa lembrei-me dos tempos em que ouvia Mark Knopfler, aqui há qualquer coisa como uma data de anos, lembro-me de uma música que dizia “Sometimes you’re the windshield, sometimes you’re the bug”. Oh, minha gente, e que bug fomos nós hoje, ao chocarmos direitinho contra uma espécie de windshield mutante, com vidro que se molda a qualquer estrutura e que varre todos os bugzinhos que lhe aparecem pela frente, esmagando-os com firmeza por muito que tentem, e bem, soltar-se. Uma derrota épica e tão perto estivemos de poder, sei lá, vencer mesmo esta merda. Não, não estou a brincar. Vamos a notas:

(+) O Dragão no pós-jogo. Custou a todos, mas não tenho a menor dúvida que quem saiu mais derrotado do Dragão não foram os adeptos mas sim os jogadores. Porque se viram atropelados por uma máquina de futebol a quem tudo correu bem e que, apesar de bem oleada e mecanizada para este estilo de parte-jogo-quebra-meio-campo-siga-corre-chuta-bol, acabou por ter sorte nos momentos-chave. E os jogadores do FC Porto, com todas as suas falhas e ineficácias, não mereciam sair com o peso de uma derrota tão grande. E o público reconheceu isso, tentando transmitir um pouco de carinho, de colo, de ombro para que percebam que nós, cá fora, também sofremos e também não percebemos muito bem é que tudo correu tão mal. E sentir o estádio de pé a aplaudir o esforço e a entoar cantigas de incentivo…foi um bom momento, dos poucos bons momentos de uma noite memorável pelos piores motivos.

(+) A estratégia até ao primeiro golo. Foi cautelosa mas interessante. Tapar o jogo pelo centro, impedindo que os médios recebessem a bola e obrigando o Liverpool a abrir para as alas, com Otávio e Soares lado a lado a bloquear jogo central. Recuperando a bola, trocas rápidas pelo meio para que um lateral (normalmente Ricardo) conseguisse subir no momento certo para receber a bola (e seguro, só quando Mané estivesse controlado e a descer) e assim criar uma linha de passe ou desequilibrar o esquema do Liverpool. Tudo parecia assentar bem, apesar da pouca audácia na recuperação de bola, balanceada com um bom jogo interior. Só houve um problema: o golo deles estragou tudo e a equipa nunca mais foi a mesma.

(+) Um Liverpool rijo, prático, directo. Pois. São bons que se fartam, estes estupores, e correu-lhes tudo bem. Mas é tudo assente numa capacidade pragmática de luta, sentido prático e correria daquele trio de ataque que deve dar suores frios a qualquer equipa que os apanhe pela frente. Mané, Salah e Firmino foram terríveis pela velocidade de execução, de desmarcação e acima de tudo pela capacidade de aplicar uma filosofia do mais eficaz e simples que há no futebol: corrida sem bola, passe rápido e remate pronto. Consta que o treinador é alemão e os rapazes não são ingleses de gema. Blimey, they sure fucking looked like it.

(-) A implosão. Blammo, scrammo, sámmo. Encontrei um adepto contrário no WC do café onde fui beber uns finos antes do jogo e no meio de uma conversa semi-alcoolizada (se acham que é complicado perceber o sotaque, experimentem entender scouse arrastado pela cerveja…) diz-me o idiota qualquer coisa como: “eh pá, mas nós somos uma equipa, pá…3-1 ao intervalo com o City e só ganhamos 4-3! fuckin’ell, amirite?”. Yes, mate. Fuck off, mate. Porque o principal culpado desta derrota não são eles, somos nós. Porque nós é que achamos que conseguimos manter a posse de bola no meio de pernas enormes e gajos rijos que comem perús inteiros ao pequeno-almoço. Porque nós é que ficamos a pedir faltas ao árbitro que não marcou uma única falta por agarrõezinhos e empurrõezinhos, ao passo que os outros continuavam a correr, mesmo puxados e empurrados. Porque nós é que temos um guarda-redes que tinha de falhar naquele momento quando não podia falhar. Porque nós é que acabámos vários ataques com golos sofridos depois de perdermos a bola sem terminar o ataque com um remate nem que fosse para a nossa senhora das couves galegas queimadas pela geada. Porque nós é que perdemos bolas porque parecemos ter perdido a capacidade de tapar o adversário e impedir que ele nos roube a bola. Porque nós é que falhámos golos que o Liverpool, na mesma situação, não hesitou nem tremeu nem falhou. Porque nós deixamos que a ansiedade tomasse conta de nós e desmanchamo-nos todos depois do terceiro golo deles. Sim, eles são melhores. Corrijo: são muito melhores. São mais caros, mais maiores, mais grandes, mais enormes. E tinham caído como as torres do Aleixo se nós tivéssemos tido mais pernas, mais força e acima de tudo mais cabeça.


Eliminatória perdida e um jogo em Anfield que, como todos, é para ganhar, se possível por seis! What? Achavam que ia dar isto por perdido? Foda-se, era só o que me faltava agora ir cumprir calendário seja onde for!!!

19 comentários

  1. Óptima análise do jogo no segundo ponto dos “Baías”. Penso exactamente isso, só que não sou tão meiguinho.
    Odeio dar avanço aos adversários com erros próprios e ainda pior, com erros que saltam à vista de todos…. tipo o José Sá não ter estofo para ser titular. Nem no Braga seria titular ,quanto mais no Porto!?? O GR do Braga à beira do nosso é uma lenda das balizas. Já “só” digo que o Sá não é redes para nós, desde a época passada. Ousar fazer dele titular é um devaneio que deveria obrigar o Sérgio Conceição a ter aconselhamento psicológico durante algumas semanas. Como é que é possível?????? Até aos 25 min do jogo de hoje foram 4 as vezes em que lançou mal a bola em jogo. E à quarta foi de vez. Como se não bastasse, na sequência do lance dá mais uma frangalhada. A equipa acusou, não o golo em si, mas a forma como o sofreu, ao ponto de ainda estar meia “zonza” quando sofre o segundo golo. E pronto… já está… um jogo que até aos 25 minutos estava a ser equilibrado, com ambas as equipas a medirem-se, fica em 4 minutos sentenciado. E como em Leipzig, tudo começa a correr mal depois de mais um erro de Sá. Será que é coincidência o facto de o Porto defender bem melhor quando tinha Casillas a titular? Pois, para mim não é. Mas seria injusto também só culpar Sá e não apontar o dedo a Sérgio Conceição pela opção táctica tomada no início da segunda parte. Se foi o Sá que começou a hecatombe, então foi Sérgio Conceição que a amplificou bem mais depois do intervalo. Nenhum jogador se safou, mas em minha opinião Sá e Conceição, foram os principais culpados deste desastre. Enquanto que a Conceição dou um grande crédito por tudo o que tem feito no Porto, já a Sá não consigo encontrar algo que justifique a sua continuidade na nossa baliza. Cada jogo que o Sá faça na baliza, o risco de perdermos pontos fica bem mais próximo. Estoril é um bom exemplo disto mesmo. A ver vamos se a equipa recupera. Espero não ser preciso a equipa perder pontos demasiado importantes para só nessa altura SC reconhecer que nunca deveria ter tirado Casillas da baliza.

    1. O Casillas deu 5 frangos historicos ao servico do Porto, teve uma primeira epoca medonha e o Porto defende melhor quando o Casillas esta na baliza. Aceito que nao se goste do Sa, mas nao e por nao gostarem dele que de repente o Casillas e melhor. No Real pagaram para ele sair por ele ser assim tao bem como se pinta por ai. Se nao gostam do Sa vao buscar um gajo bom ao nivel do Ederson ou assim, mas por favor nao ponham o Casillas a nossa baliza.

      Deem uma epoca ao Sa como GR do Porto e depois facam as vossas avaliacoes. Agora, se dao uma epoca ao Casillas mesmo sem ele mostrar que a merecia a titular, por respeito dever-se-ia fazer o mesmo ao Sa. Eu vi o Baia chegar ao Barcelona e ter uma epoca medonha. Por favor respondam-me a isto, o Baia era GR para o Barcelona? Se disserem nao estamos todos a ser uns grandessissimos hipocritas.

      1. “De acordo com dados da Opta e do site Goalpoint, José Sá tem apenas 50 por cento de remates enquadrados defendidos na Liga dos Campeões, o que o torna no segundo guarda-redes com pior registo neste capítulo, atrás apenas de Brad Jones, do Feyenoord, eliminado na fase de grupos. Por sua vez, o registo de Casillas na Champions de 2016/17 foi de 75 por cento de defesas em remates enquadrados.”

  2. Nao gosto de me armar aos cucos mas tenho mesmo que dizer tudo isto (que e muito e ninguem vai ler mas me vai purgar-me a alma que nem agua ras em rabinho de recem-nascido):

    Cavanizou-se tanto e tanto que recebermos o Liverpool e que era, sistemas similares, a mesma linha de raciocinio do jogo atacante, etc. mas para quem ja ve e joga e pensa futebol ha 35 anos e facil de ver que num embate com sistemas similares que se encaixam estrategicamente na perfeicao, a diferenca e feita pelas individualidades, e essas eu ja tinha referido vezes sem conta que temos para o nivel nacional e nao chega para mais externamente. Nesse apronto eu havia referido ja Mane (a meu ver o melhor jogador da actualidade no campeonato Ingles), Firmino (bastante mais certo e humide que Coutinho, mais rapido que Coutinho e mais trabalhador que Coutinho – alias Coutinho foi feito a medida do Barca – lento, mil passes antes do golo, explosao so no drible antes do remate), Salah (que esta realmente a fazer uma senhora epoca) e toda uma defesa que em forca e em altura e muito certinha e nao brinca no choque fisico.

    Mas Cavanizou-se que nao, que o Liverpool e que era, e ai esta o resultado da diferenca das individualidades.

    Nos temos que aceitar que na realidade da nossa equipa feita de retalhos de jogadores que tinhamos emprestados por esse mundo fora, ja muito ao nivel europeu conseguimos com a optimizacao desses valores. Agora e tempo de lamber as feridas e deixar de lado de uma vez por todas epopeicas recuperacoes que so nos vao levantar o ego e destruir a moral e a forca fisica porque nos NAO TEMOS EQUIPA NEM VALORES INDIVIDUAIS PARA LA IR SEQUER MARCAR 1 GOLO. Punhamos isso na cabeca e foque-mo-nos naquilo que e o nosso objectivo principal, 1o o Campeonato que ja nao vencemos ha quase 6 anos e depois a Taca porque queremos mandar nesta merda toda ca dentro.

    Este jogo nem sequer merece uma analise a estrategia mas merece um reparo aquele que estao a tentar fazer de patinho feito, o Jose Sa. Neste momento acho que o Porto nao merece o Jose Sa pura e simplesmente porque os adeptos do Porto nao o tratam com respeito e consideracao. Onde e que o Sa falha no 1o golo, numa bola rematada com um jogador nosso esticado na horizontal a a tapar-lhe o campo de visao de um remate portentissimo e que ressalta no seu sovaco ao chao e entra. Punhamos uma coisa bem presente na nossa cabeca, ha dias em que as coisas nao correm minimamente bem, mas com uma defesa estilhacada como tinhamos ontem o GR nao consegue manter a confianca para se colocar no sitio correcto para fazer defesas in extremis a la Baia. Estamos sempre dar na cabeca do Sa entao deixem-no sair para um lugar onde gostem dele como o Sporting nao fez com o Patricio (aquele que hoje e claramente um dos melhores GR europeus diga a clubite de cada um o que disser).

    Estranho nao se ter falado do terrivel jogo dos nossos avancados, do papel ridiculo do Otavio la a frente, da falta de rigor nos remates do Soares, na terrivel falta de apoio ao 1-2 que o Brahimi precisava exactamente porque o SC decidiu enfiar tanques de cu pesado no centro do meio-campo para segurar o que? Segurar o que caralho se os gajos estavam a lateralizar o jogo sempre que se viam aflitos no centro (nao por qualidade nossa mas pela presenca numerica) e no momento em que arrastavam qualquer peca centrista nossa para as laterais era logo em triangulacoes quase perfeitas ou cheias de sorte no ressalto que acabavam por marcar.

    Nao foi o Sa que ficou a ver o Salah marcar um golo ridiculo em que toda a gente para para o ver brincar aos toques de joelho pe e cabeca no segundo golo. Nao foi o Sa que a-la-Sergio-Oliveira falhou praticamente 30% dos passes que fez durante o jogo (procure-se nas estatisticas), nao foi certamente o Sa que subiu nas alas sem qualquer plano de accao para fazer centros disparatados para a cabeca de gajos muitissimo mais altos que nos.

    Este jogo perdeu-se porque eles tem valores individuais muitissimo melhores e porque eramos nos que tinhamos que pausar e muito o jogo. Porque se sabiamos que o Liverpool e uma equipa rapida de accao contra-atacante o que tu fazes e jogar lento no meio campo e leva-los a impaciencia, esperar que morram pela vontade de acelerar o jogo, e so ai e que depois abres para o Marega ou para Soares entrarem rapidos. O papel do Brahimi ontem devia ter sido de contencao, ele segura muito bem a bola, mas ontem quando tinha a bola o que fazia era ir para cima das 20 pernas que defendiam a area do Liverpool, sem apoio e sem ideia do que fazer. Este era um jogo para Olivers. Segurar a bola, jogar com paciencia, sem pressas, perdiamos por 1 ou empatavamos.

    O Marega caiu por tudo e por nada de forma ridiculamente teatral, e o Sa e que paga as favas por ter semi-falhado no 1o golo.

    Nao podemos encontrar bodes expiatorios num jogador quando a derrota comecou logo na forma como o treinador quis abordar o jogo. Mas assim como o Sa esta a ganhar experiencia, tambem o SC esta a ganhar experiencia.

    Nao me venham ca falar de Casillas – se fosse assim tao bom ja o tinham vindo buscar em vez de andar neste romance de carinhos com o Buffon ha quase 18 meses.

  3. O Sá não justifica tudo mas ajuda a explicar o descalabro em 4 minutos do jogo, além das péssimas reposições repetidas (o Casillas também as faz diga-se em justiça). A partir daí ou a bola entrava rapidamente e reduziamos a diferença a 1 golo ou era para os ver jogar como sucedeu. o Sergio Oliveira e o vizinho servem para consumo interno mas não para externo e ontem foi a “prova provada”. Mais importante é aprender com os erros, perceber que o Sá não pode continuar (basta ver o jogo com o Estoril ou os outros da Champions por exemplo) e perceber que se vamos nesta tremideira à luz em Abril vai ser muito dificil. Resta lembrar que a última vitória na luz foi assinalada por boas exibições de dois grandes ausentes ontem, o Abou e o Casillas por motivos diferentes.

    Parece que o Reyes também termina o contrato, é deixa-lo ir…

    É levantar a cabeça e quem vier a seguir vai pagar, mexendo-se na equipa claro.

    PS- Espero que os que acham que o Hector Horrera é jogador e capitão ponham bem os olhos no jogo de ontem, andou perdido em campo e mentalmente alheado. Postura de capitão teve o Marcano e pouco mais. O Brahimi mostrou que será sempre o terror dos Tondelas e que tais e pouco mais ontem. É muitas vezes assim o que é pena leia-se.

    1. Consultanto as estatísticas parece que o único gajo que fez uma assistência em condições para o Soares desperdiçar até foi dos poucos que não esteve assim tão mal.
      A postura do Marcano foi excelente, tal como a do Reys e do Ricardo !!!! Fossem eles lá mais vezes para a postura ser memorável.
      Se o Sá estiver mal, não vejo porque não possa ser substituído, mas o Pudget tem razão. O Casillas não chegou há 2 dias, já fez muito pior e Sá ou ganha tarimba com os erros ou promova-se quem tem feito por o merecer, já que o David de Gea está comprometido.

  4. A sensação que me dá, é que para nós podermos ombrear com equipas deste nível, temos que ganhar as competições internas com 20 pts de avanço…

  5. Pareceu-me que o jogo perdeu-se nos duelos. Sempre que a bola estava sob disputa, eles ou ganhavam o duelo ou chegavam lá antes. Seja por melhor frescura física seja por serem mais fortes e/ou mais rápidos.
    Seria sempre ai que teríamos hipótese de ganhar o jogo, usando também o jogo aéreo (a diferença de altura dos onzes era considerável). Não conseguimos usar os cruzamentos e as bolas paradas para os intimidar e falhamos nos duelos individuais no meio campo: a qualidade (no passe e na técnica) fez o resto da diferença.

    Na 1ª parte ainda houve algum equilíbrio e com um pouco mais de sorte as coisas correriam de forma diferente, mas ir para o intervalo a perder por 2 obrigou o Sérgio a fazer algo. Apostou e perdeu.
    Houve erros individuais e performances sofríveis (Sá, Marega, Brahimi), mas nem vi um jogo assim tão pobre. Boa entrada do Waris, fico à espera de mais.

  6. Numa equipe esticada, a falta do Danilo é muita. A falta do Abou também. A falta do Casillas também. Sobretudo, porque Casillas e Danilo são gente serena, o que nestes jogos ajuda. Mas, pronto, sobretudo não temos equipe para estas andanças europeias. Ficamos tristes, mas temos que ser realistas. Bastava-nos um fora de série que levasse a equipe. Mas, nada no horizonte, nem chances de nos próximos tempos podermos tê-lo….

    1. A serenidade de Casillas com o Dinamo de Kiev, não nos serviu de muito, pelo contrário.
      Concordo que Danilo faz falta, tem outra dimensão que Sérgio Oliveira não alcança.
      Os fora-de-série que tivemos, nunca foram comprados produto acabado. Tiveram que ser feitos e trabalhados.
      Haverá competência, capacidade, tempo para burilar um fora-de-serie nos tempos actuais e com treinadores que ainda procuram a sua afirmação, alguns deles mais inseguros que os próprios jogadores?

      1. Concordo a 100% com este comentario. E adiciono que ate darem ao Sa o tempo que o Casillas teve, nao me venham ca com execucoes publicas porque nao passam de juizos passionais peculiares do pouco produtivo gosto/nao gosto.

  7. O Porto não perdeu por este ou aquele jogador (Casillas?? memória curta contra o Kiev, Guimarães,…), por este ou aquele pormenor, perdeu porque eles são MUITO melhores em todos os aspectos.
    Já foi escrito aqui neste blog, numa reacção a outra derrota (talvez Besiktas ou Leipzig) que a equipa adversária parecia ser feita de homens rijos e fortes, enquanto que os nossos são umas flores de estufa. O ritmo que eles precisam de jogar em Inglaterra (Alemanha, Espanha…) é completamente diferente do nosso e reflecte-se neste jogos.
    Foi pena ser um resultado pesado, mas a realidade é que o nível é muito diferente.

  8. as epocas passadas perderam-se por não se ter maturidade no ataque do porto, as jogadas eram confusas e a equipa não encontrava serenidade por falta de golos que não apareciam.

    Este ano, insiste-se na tecla do SA. veio a fazer grandes jogos, grandes defesas.. mas ontem claramente.. tal como noutro jogo da champions.. tremeu. Foi o primeiro a ceder e por varias vezes.
    Resultado, os golos sucederam-se rapidamente e a equipa toda ficou tambem a tremer !

    não era claramente o guarda redes para esta competição, isto quando se tem Casillas no banco…..

    1. O que o Casillas tem às toneladas é experiência a liderar a defesa. O Sá não tem nada que se pareça (pudera, está agora a começar a carreira) e nota-se a intranquilidade.

  9. o sa nunca sera um grande guarda redes, e demasiado precipitado, tenta adivinhar os lances, tem muita dificuldade com a bola nos pes, diogo costa e muito su+perior em tudo, como dalot o e em relaçao a ricardo pereira, como luizao o e em relaçao a herrera a trinco, SC mesmo que viesse o messi nao o punha a jogar ou entao punha o a jogar e tirava todos os outros que mexessem na bola, iniesta nao tinha lugar com SC e esse e o problema, por muitos mediuos que o porto compre com SC so joga quem nao for demasiado tecnico, SC e teimoso e quadrado na abordagem aos jogos, valeu nos ate agora a potencia fisica dos avançados mas marega esta a rebentar, abou ja rebentou, a paciencia da 5 minutos por jogo , tem osoriuo nao sei aonde so porque sim, tem paulinho na bancada porque ele nao entra em correria como o otavio e gosta de criterio a passar e a jogar, SC OU APRENDEU QUE O SEU TIPO DE JOGO TEM DE SER CONTRABALAÇADO COM JOGADORES COM MAIS TECNICA E LUTADORES AO MESMO TEMPO OU ENTAO ADEUS VINDIMA, qualquer equipa desmonta este tipo de futebol basta jogarem a defesa em 4 5 1 comno o porto deveria ter jogADO COM o liverpool, era esse o tipo de jogo que eles estavam a espera, muita posse, muita tecnica, muito criterio e encontraram o que? uma equipa a jogar o jogo pelo jogo mas com menor qualidade individual…… por isso ca o SC pede ao tondela, moreirense, e afins para jogarem a bola, pois pecebe se …. ele quer ganhar com facilidade como o liverpool fez connosco. CULPADOS DA DERROTA , EM PRIMEIRO LUGAR O TREINADOR E EM ULTIMO LUGAR O TREINADOR.

Deixar uma resposta