Baías e Baronis – FC Porto 2 vs 0 Boavista

foto retirada do zerozero

Meh. É o pior que se pode dizer de um derby, que apesar do festival surreal de VAR na relva, acabou por ser mal jogado e não mostrou um FC Porto capaz de se aguentar das pernas e da cabeça durante muito mais tempo. Ainda bem que temos agora uma pausa porreira para selecções (sim, sou mesmo eu a dizer isto) que apesar de não descansar toda a gente, é capaz de retirar um pouco a pressão com um ou outro amigável a servirem para os rapazes se acalmarem e voltarem em grande. E que falta fazem Soares e Danilo mas especialmente Telles e…*suspiro*…Marega. Notas abaixo:

(+) Ricardo Pereira. Foi o melhor em campo com uma distância que só devia ser medida em unidades astronómicas. Jogou em três posições e em todas elas esteve bem, quer no início a fingir que era um sucedâneo de Marega com metade do peso e a mesma velocidade, como à direita a servir como tampão/seta pelo flanco ou mesmo como lateral direito depois da saída de Maxi. Foi sempre “o” gajo para quem olhava e pensava: “este gajo tem pilhas diferentes dos outros!”.

(+) A canalhada na rodinha. Foi giro, não foi? Ver a miudagem toda a ir ter com os pais, a fazer parte da rodinha como se fossem crescidos, ali com os moços todos ao lado. Fez-me regressar ao passado longínquo (futebolisticamente falando e com o meu referencial de tempo) dos anos 90, onde os miúdos apareciam sempre em campo a correr, fossem ou não filhos dos jogadores, enquanto iam celebrar uma qualquer vitória e pedir as camisolas aos rapazes. Argh, a paternidade está a tolher-me o juízo, caramba…

(-) Dificuldade a sair com a bola. Herrera e Sérgio Oliveira não conseguiram ser o que tinham sido no pré-Paços e foram lentos, trapalhões e incapazes de receber, rodar e impôr algum tipo de movimentação consistente no nosso meio-campo, cedendo à pressão que o Boavista colocou na relva. E a bola acabava quase sempre por passar directamente dos centrais para os avançados, numa espécie de homenagem ao futebol inglês dos anos 70/80, com a diferença que lá na frente, em vez de dois canastrões de invejável composição física, cada um com o seu puxão gravitacional, tínhamos um anão brasileiro e um camaronês que está com uma forma física parecida com a minha. E assim foi quase impossível criar perigo em condições, não fosse o parvinho do guarda-redes do Boavista ter entregue o segundo golo à malta (vêem, meus amigos, como é complicado cuspir para o ar? por vezes cai mesmo na testa…), teríamos muita dificuldade em matar o jogo em lances de futebol corrido.

(-) Otávio. Voltaste à borrada de jogo, não voltaste, moço? Quando Sérgio entra em campo com Ricardo a fazer de Marega, via-se que Otávio estava meio perdido sem conseguir decidir se fica na linha ou apoia ao centro. Resultado? O Boavista subia pelo flanco esquerdo sem que houvesse um mínimo de oposição da nossa parte, por isso toca de mandar para lá o Ricardo e o Otávio para o meio. E…nada. Nada. Nadinha. Zerinhos. Otávio não só esteve ausente do jogo como sempre que a bola lhe chegava aos pés acabava por desaparecer num misto de inépcia e incapacidade de luta e de combate pela bola. Jogo horrível.

(-) Mais uma vez, não se percebe nada do VAR. Não me refiro ao critério, porque se no penalty realmente o rapaz dá dois toques na bola e o árbitro não reparou, é bem aplicado. Mas o vermelho parece-me mais parvo. O árbitro acabou de ver o lance e deu o cartão na hora. Ou seja, teve oportunidade de voltar atrás para verificar o que se passou e depois de rever as imagens acabou por ficar com remorsos do que fez e, lá calha, voltou atrás. E eu nao percebo como é que a jogada que o homem ACABOU DE VER À FRENTE DOS OLHOS pode parecer diferente depois de ver na televisão, por muito que o ângulo seja diferente. Outra coisa é o facto de continuar a não se perceber nada do que se passa em campo. Estão dezenas de milhares de pessoas nas bancadas a tentar inferir as razões pela paragem súbita e assume-se que o VAR está envolvido…mas não se faz ideia do porquê. É algo que tem de ser revisto com urgência para bem do futebol e de quem assiste ao vivo.


Faltou qualquer coisa a este derby. Teve emoções parvas ao pontapé, mas faltou algo para ser um derby em condições. Se não tivessem tirado o vermelho, talvez…

14 comentários

  1. Oi Jorge,

    Mas fui só eu que vi que o Wagner se lança para a bola antes do SO rematar e que portanto o Penalty deveria ser repetido pois essa infração é anterior ao remate do SO?

    Relembro que o jogador GR não pode sair da linha de golo antes do remate do oponente num remate de Penalty… é a mesma coisa como numa barreira os jogadores não podem sair do local designado antes do adversário rematar.

    https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/porto/noticias/interior/fc-porto-boavista-golo-de-penalti-de-sergio-oliveira-anulado-pelo-var-9195558.html

  2. Eu realmente estou siderado com os artista ao serviço do clube.
    Depois de a semana passada ter assistido a arrogância de um jogador(que na cabeça dele devia pensar que tem a eficacia que eusebio tinha na marcação de castigo maximos)e prepotência com tratava o o redes adversario para ter uma finalização a amador.
    So faltava agora num jogo que ja estava 2 0 um assalariado e profissional,depois de ter marcado um dos cantos mais horríveis que tenho memória de ver,nao consegue ter a presença de alma para bater uma bola simplesmente para o fundo das redes.
    Segundo pênalti seguido falhado,e se no estádio da luz quando se precisarem(no caso de haver,entao se estiverem na infelicidade de estar atras no resultado) sera que vao saber ter,estamina para os finalizar.
    Vamos esperar que isto seja so divagações de mentes.
    Quanto o jogo uma palavra define,basico.

        1. não, amigo. a tua prosa sobre o que eles valem é infeliz, percebes? como a maior parte das hipérboles que para aqui colocas, com os “nunca” e “sempre”. entedia-me.

          1. Entediante,e como cada um.
            Competência e o que se espera,de certos artistas,valorizados, na mente de alguns.

          2. Hoje para la de entediante,vai dar cavanis amarguinho com artistas e pseudo orgasmos orais.

  3. Boa tarde compinchas,

    Este ano, pela primeira vez desde que me lembro houve uma falta por palavras ao arbitro ( feirense-fcp, último lance ). Houve um penalti anulado (até bem parece-me) por 2 toques na boa. E Houve um vermelho que passou a amarelo. O VAR funciona muito bem contra o Porto. Aliás, este ano está a ser pródigo em situações peculiares.

    Vai daí estou muito desconfiado desta recta final do campeonato, não pela qualidade do FCP mas por situações peculiares. Quando digo muito desconfiado é ao ponto de achar que não vamos ser campeões por causa destas “peculiaridades”. Não sei alguém mais partilha da minha opinião… ??

    P.S- O danilo quando volta ??

  4. Mais uma vitória. Podia ter sido melhor exibição mas o fundamental foi feito. Entramos logo a marcar e acho que isso pos logo a equipa em modo gestão sem se preocupar em carburar e encostar verdadeiramente o adversário às cordas. Uma primeira parte pastosa, deu lugar a uma segunda parte melhorzinha. A equipa dominou mais e chegou-se à frente, mas foi o erro do guarda-redes contrário e o respectivo golo que nos fez tranquilizar.

    Enfim, não foi nem de longe nem de perto umas das melhores exibições da equipa no Dragão, mas como disse, o fundamental foi feito. Quem quer ser campeão tem muitas vezes que contentar-se em “apenas” fazer o fundamental: Ganhar!

    Quanto à arbitragem, tenho a opinião clara de que se as camisolas fossem vermelhas e o estádio fosse o da luz, o Sr. Bruno Esteves nem por sombras tinha sido tão pronto a anular decisões do árbitro de campo. É o que temos. É contra tudo e contra todos.

    Umas notas: Nesta altura tenho a sensação que Octávio e Corona não podem ser titulares, seja em que jogo for. São unidades a menos. Não conseguem estar à altura da importância do momento. Compreendendo o que se passa com Corona, mas já não entendo a inconstância do levezinho Octávio.

    Oliver foi chamado na segunda parte, jogou o QB, mas continua na minha opinião a não mostrar o potencial que todos pensavam que ele teria. E numa altura destas dava mesmo jeito que um jogador de 22 milhoes resolvesse aparecer e ajudar verdadeiramente a equipa.

    Pelo acima descrito conto 3 opções que se estivessem a jogar bem seriam importantíssimos para a equipa. É com enorme desilusão que vejo tanto talento e margem de progressão desperdiçadas e a não ajudarem a equipa quando mais ela precisa. Se existe situação no futebol que não entendo, é precisamente quando o talento fica na gaveta. Um desperdício, mas é o que é.

    Algo muito positivo é esta paragem para as seleções. A equipa precisava disto como ar para os pulmões. Fizemos 17 jogos em 2 meses e nada mais merecido e fundamental do que tempo de recuperação.
    Vai dar para descansar mental e fisicamente e ainda recuperar quase toda a gente. Vai ser tempo de reajustar tácticas e processos, encher novamente o peito e o coração e partir para as últimas 7 finais. Acho que estamos todos com imensa expectativa para ver o que a equipa fará quando tiver Danilo, Alex Telles, Soares e Marega, e também todos os outros com uns bons dias de descanso. Voltaremos ser uma máquina afinadinha. Um rolo-compressor.

    Faltam 7 finais e ter uma boa condição física e os titulares todos disponíveis é ouro sobre azul.

    Contra tudo e contra todos! Até à Conquista final. Porto.

    1. Optima analise! Realmente o campeonato e uma prova de regularidade. E regularidade pautada pela competencia, nao pela qualidade. Nesse apronto temos sido realmente os mais competentes. So tenho medo que factores externos as quatro linhas e internos a liga?FPF/tribunais/software sem firewall nos possam lixar a vida.

  5. Tanta tremideira no Sérgio Oliveira, porquê? Experiência de selecções que alguns muito mais velhos nunca terão e no entanto… não se entende Sérgio!

    Em Paços teria jogado com Maxi e Ricardo no mesmo corredor. Sérgio Conceição fez-me a vontade e Ricardo foi uma desilusão. Chega-se à conclusão que Corona, não estando no seu melhor a atacar…protege melhor o latera, a defenderl!!!

    Otávio, Oliver e André2 é despachar depressa e ir buscar um…. Jogador.

    O regresso de Herrera já deu para ganhar e não passar vergonhas. Que regresse depressa Marega, para cilindrarmos.

    1. Se calhar sou tao precipitado quanto o Jorge Vassalo e apocaliptico, mas eu via no Oliver de ha 3 anos atras um candidato a melhor do mundo se… e muito se… tivesse EVOLUIDO.

      Regrediu por culpa tambem do treinador, mas regrediu. E um grande jogador deve ser sempre imune ao treinador, e ser grande a todos os niveis.

      O CRonaldo na era do Mourinho no Real, apesar do futebol quasi-catenaccio acabou por marcar golos. Mas nao se podia ter um Real a jogar tao defensivamente como o Mourinho o fazia. Era uma violacao dos principios futebolisticos daquele clube e qualquer clube daquela craveira. Assim, nessa linha de pensamento, o SConceicao tera de fortalecer o meio campo presencial e pensante na proxima epoca, ou entao precisara de uma equipa de 30 mamutes.

  6. On a completely different note… encontrei este comentario publico num jornal desportivo e creio que pela qualidade do comentario merece a vossa analise. Diga-se de passagem que este e o tipo de comentario que me apraz ler, por ter muitissimo mais de factos do que paixao la enfiado. Gosto de numeros realisticos e acho que o que e aqui dito tem valor. Algum comentario?

    “Os laterais da seleção deveriam ser o Semedo, Dalot, R. Pereira e Guerreiro. Mas já se sabe que o colinho está instalado também na federação. Podemos falar dos casos escandalosos das seleções jovens em que o benfica é beneficiado de forma insultuosa. Não sendo campeões nos seus escalões levam 12, 13, 14 jogadores ao passo que o FC Porto e Sporting que costumam ser campeões levam 2 ou 3 jogadores. Mas podemos falar também de algo sintomático e que entra pelos olhos adentro de quem estiver a ver com olhos de ver. Podemos verificar que Nelson Semedo, Gonçalo Guedes e Renato Sanches são chamados á selecção principal após terem feito 4 ou 5 jogos pelo benfica. Por outro lado vemos por exemplo que Ruben Neves e André Silva têm de esperar1 época para chegarem á selecção. Ricardo Pereira ainda está á espera da sua 1ª internacionalização A, tal como Sérgio Oliveira. Não é novidade para ninguém…a lampionagem (ir)responsável na FPF está fazer um grande “trabalhinho” em promover os jogadores do benfica e a desvalorizar os jogadores do Porto.
    Claro que depois quando meterem árbitros isentos, dirigentes competentes, tecnicos idóneos, neutros e responsáveis, sintam que estão a ser prejudicados em relação a um passado recente e achem que estão a ser prejudicados. Mas é apenas ilusão.
    Não é normal numa época o FC Porto B ser campeão da 2ª Liga, os juniores serem campeões e levarem apenas 6 jogadores repartidos pelas seleções dos seus escalões, ao passo que o benfica esteve para descer de divisão com a equipa B, acabaram em 6º no campeonato de juniores (disputam 8 equipas) e levarem quase 30 jogadores nos escalões que abrangem a equipa B e juniores. Isto é um insulto e demonstrativo do que está a fazer esta gentalha na selecção”

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.