Na estante da Porta19 – Nº3

Quem gosta de futebol reconhece o nome de Brian Clough como um dos mais irreverentes treinadores que já passou pela história do jogo. “Provided You Don’t Kiss Me: 20 Years with Brian Clough”, escrito por Duncan Hamilton, acompanha a carreira do “Old Big’ead” desde os tempos do Derby passando pelo clube que lhe deu os maiores sucessos (Taça dos Campeões Europeus incluída) da sua carreira, o Nottingham Forest. O livro é narrado com base na convivência do autor como repórter para o Yorkshire Post, um jornal da região, com Clough, entre toda a louca aventura que foi a ascensão e posterior queda de um dos maiores treinadores ingleses de sempre e que ilustra toda a sua loucura a personalidade peculiar que não deixava ninguém indiferente. As histórias são verídicas e descritas sempre de um ponto de vista pessoal e é uma excelente forma de percebermos o tipo de influência que um treinador tem na vida de um clube, de um grupo de jogadores, de uma região e no fundo na evolução do próprio jogo.

Sugestões de locais para compra:

 

7 comentários

    1. correctíssimo, mas esteve lá só dois meses e foi despedido. tens de ver o “The Damned United”, é o filme que fala exactamente desse período da vida dele, com o Michael Sheen a fazer (genialmente, como de costume) de Clough. devia ter escrito isso no post, é para eu aprender a falar contigo antes de publicar os posts…:)

      abraço,
      JB

      1. Vi esse filme inicialmente por ser “mais um” sobre futebol mas a verdade é que me surpreendeu o percurso desta figura. Não conhecia o B. Clough mas fiquei com a sensação que ele foi o Mourinho daquela época, pelo menos em termos de show-off! :)

        E para reforçar a ideia que o homem era de convicções, vejam no youtube o “descascanço” que ele da a um repórter (creio que da BBC), minha nossa que tareia!

        Estou a meio do primeiro livro da “estante” (apenas consigo ler no comboio a caminho de casa) mas este livro também me levanta alguma curiosidade.

        Boa sugestão mais uma vez amigo Jorge.

          1. É esse mesmo o vídeo! Vale mesmo a pena ver os quase 8min de “frontalidade” do homem!

            Eu faço cerca de 45min até Aveiro e a verdade é que o mp3 tem estado desligado ultimamente em detrimento da leitura!

            Off-topic: Cá espero a malta azul e branca para a Super Taça! O meu bilhete já ca canta…

Deixar uma resposta