Baías e Baronis – Sporting 0 vs 0 FC Porto

Nota prévia: esta crónica vai estar repleta de vernáculo. Assim cheia cheiinha como um prato de bacalhau de Natal com couves e pencas e batatas e molho fervido, como se faz cá em casa. Porque vi o jogo com um nervosismo acima do normal e porque me ia sentindo mais chateado à medida que a partida ia decorrendo. O jogo foi vivo, dinâmico, demasiadamente partido para ser visto com normalidade, apesar da baixa importância da competição. Um clássico é um clássico, goddamnit, por isso a emoção foi crescendo dentro de mim e ia saindo aos poucos sob a forma de insultos genéricos, diatribes descontroladas e palavras avulsas atiradas para o écran. E no final, uma sensação de dever cumprido mas sem a força de outros tempos. Somos uma equipa jeitosa, com pouco talento e demasiados erros, mas que ainda sinto poder ser trabalhada para vencer esta e outras provas nacionais. Enfim, vamos a notas que se faz tarde:

(+) Fabiano. Não há grande volta a dar: o rapaz deu muito bem conta de si e confirmou que é uma excelente opção para funcionar como understudy do Helton. Se tirarmos da vista algumas falhas nos cruzamentos, onde pareceu sempre apontar para a cabeça de Maicon, esteve em grande durante todo o jogo, defendendo tudo que lhe apareceu à frente (e não foi pouco). Com os pés jogou sempre simples e sem inventar, mesmo quando a tarefa não lhe foi facilitada por Alex Sandro que lhe passou várias vezes a bola para tão longe que o rapaz teve de se esticar todo para não fazer cagada. Mas aquela jogada do Carrillo onde Fabiano lhe sacou a bola dos pés, para depois defender um remate à queima do André Martins (creio) e correr para a baliza para se lançar e evitar o golo do Cedric…é estupenda e mereceria um aplauso de pé se lá tivesse estado. Grande jogo.

(+) Os centrais. Quase impecáveis na defesa da área, tanto Maicon como Mangala conseguiram evitar quase todas as situações de perigo pelo ar e pela relva. Maicon esteve excelente nos cantos defensivos, aviando tudo que lhe aparecia pelo ar, e Mangala também muito bem na marcação e no corte de alguns lances perigosos que os jogadores do Sporting, na sua forma oh-tão-rápida de atacar e de lançar bolas lá para o meio, perceberam que não seria por ali que criariam perigo e toca de mandar a bola para as alas onde se saíram bem melhor. Com dois centrais assim…não calça mais nenhum.

(+) Fernando. Enquanto esteve em jogo foi o único elemento do meio-campo portista que conseguiu lutar contra as debulhadoras de verde que por ali andaram e que jogaram mais vezes com os braços e com as pernas sem a bola (e sobre os nossos macios jogadores) do que de facto com ela. E se tivesse um poucochinho mais de talento para saber o que fazer com a bola depois de subir a cavalgar pelo terreno fora…era do carago, isso é que era.

(-) Herrera. Tem de ir rapidamente ao médico para perceber se sofre de qualquer forma mexicana de narcolepsia. Há alturas do jogo em que lhe parece parar o cérebro e alhear-se do lance que está a decorrer QUANDO TEM A PUTA DA BOLA NOS PÉS! Não consigo entender-te, coño, palavra que não, mas se não mudas rapidamente a tua capacidade de estar atento 100% do tempo em que estás em campo, vais levar muitas mais notas destas. O que custa mais é perceber que o rapaz até tem talento e é invulgarmente forte para a constituição física aparentemente débil…mas deita tudo a perder com passes falhados em demasia (e em situações perigosas para a defesa) e esses blackouts pontuais. Acorda, homem!

(-) Os laterais, especialmente a defender. Danilo até tem vindo a fazer uma época jeitosa, mas insiste em falhar consecutivamente no primeiro passe/arranque/sprint ofensivo, desiquilibrando a equipa e tornando-a permeável a contra-ataques rápidos. Diversas falhas defensivas por mau posicionamento, corrigiu e melhorou na segunda parte. Alex Sandro continua a jogar mal, sem garra e sem cabeça, com passes cruzados de trinta metros que estão destinados ao falhanço antes sequer de sairem dos pés dele e incompreensíveis momentos apáticos em que parece esquecer-se da bola. Haverá um vírus Herrera?

(-) Licá. Inconsequente. Sem capacidade de ultrapassar o adversário directo, insistiu em cruzamentos que batiam sem falha no gajo que estava à sua frente. Lutar é giro e tal mas para isso já cá tivemos um argentino (que até marcou um golaço ao Sporting) que fazia o mesmo e pouco mais. Juro que pensei que ia conseguir ser mais do que está a mostrar ser. Parece que me estou a enganar com o rapaz.

(-) A habitual filhadaputice do gamanço. Ora então vamos lá a isso. Já não é de agora que esta merda me fica atravessada (lembro aos leitores esta pérola de aqui há uns anos: http://www.porta19.com/2012/01/basta-me-pensar-um-bocadinho-lembro-me-logo-sempre-saimos-de-alvalade-sinto-como-uma-ourivesaria-na-almirante-reis/) mas parece que há uma insistência divina em fazer com que a história se repita. E acontece sempre no mesmo caralho do mesmo estádio que agora até tem nome diferente mas onde já devíamos estar habituados a ser assaltados quando lá passamos. E raramente são lances parvos de penalties, que só hoje houve praí quarenta reclamações de mãos e saltos e pinchadelas de verdes para a piscina, porque André Martins e Wilson Eduardo devem gostar mais de lamber cricas do que jogar à bola e andam sempre com os dentes a roçar na relva. Mas ao mesmo tempo, esse mesmo André Martins adooooooooooora dar pontapés nos gémeos dos adversários e safa-se com muita facilidade. Uma palavra também para o próximo trinco da Selecção, que é um jogador muito acima da média mas que hoje devia ter levado um vermelhinho por uma trancada que deu no Varela que só não lhe pôs a perna a sangrar porque não lhe acertou em cheio. E esse mesmo Varela, que foi parvinho por responder a mais um encontrão do insurrecto do defesa-esquerdo que joga naquela zona (porquinho mas normal num jogo destes) e levou um cartão amarelo, ficou à espera que o adversário também levasse um da mesma cor, mas nada acontece. E Cedric, no meio das suas quarenta e nove faltas, todas elas reclamadas com mãos na cara e lamentos de virgem fodida por doze hunos, lá se foi safando até ao final. Ou Adrien, que foi ou será lenhador noutra vida e que parece pensar que o futebol se joga acima do joelho, também escapou pelos pingos da chuva dourada que aposto deve gostar. Tudo isto para depois, inclemência nunca única e certamente repetida (como, citando os exemplos do post acima, Maicon, Emerson ou Costinha e as facilitadas de Rui Filipe, Kostadinov, McCarthy, Mielcarski, Seitaridis e Domingos), toca a expulsar Carlos Eduardo por uma falta que tantos, mas tantos, TANTOS FILHOS DA PUTA DO OUTRO LADO TINHAM FEITO ATÉ AÍ! Enerva-me, pois claro que me enerva. Enerva-me porque é sempre a mesma merda com aquela gente. Os que se queixam mais são habitualmente como o defesa que levanta o braço para reclamar fora-de-jogo. A culpa, na maioria dos casos, é mesmo dele.


Empatámos, o que nem se pode considerar um mau resultado tendo em conta que era o jogo mais complicado e que os dois próximos encontros se jogam no Dragão e onde duas vitórias podem selar a qualificação para a próxima fase. Esperava mais da equipa? Sinceramente, não. Tive o que estava à espera, algum controlo emocional perdido, inúmeros passes falhados na saída para o ataque, ineficácia ofensiva e suficiente cobertura defensiva para aguentar um jogo complicado. Meh.

19 comentários

  1. Já o ando a dizer desde que AVB saiu clube e apanhou a SAD de calças na mão sem treinador e Ponta de Lança:

    A progressiva aposta em treinadores de pequena dimensão (Vitor Pereira era, o seu futebol era miserável e ganhou duas ligas por autênticos milagres irrepetíveis)e a destruição da qualidade do nosso 11 inicial iria dar em descalabro de proporções épicas.

    O nosso treinador é mau. Ponto final. É uma pessoa sem qualquer pergaminhos e classe.

    Hoje em dia, graças À SAD, a verdadeira responsável do que presenciamos hoje, observamos que qualquer calhambeque acaba por ser jogador do Porto ou treinador da equipa.

    Passamos de uma equipa que escolhia os melhores em Portugal e importava quase sempre qualidade para um clube de comércio que para encontrar uma pérola trás 20 jogadores e infesta a equipa de jogadores banais.

    Jogadores banais como Josué, Defour, Kelvin, Varela, Ricardo etc. Ou até simplesmente MAUS como Licá. O outros “para o futuro” como Carlos Eduardo, Quintero, Iturbe.

    Estes últimos andam aqui a aprender como ser grande jogador em vez de virem para cá grandes jogadores. Esse foi o pecado do Sporting na última década e que os levou a aterrar na mediocridade.

    Clubes como o Porto tem de ganhar e jogar bem devido à sua grandeza e orientação no mercado. Ensinar a jogar não é para nós.

    Hoje em dia juntamos carradas de banalidades que não fazem a diferença hoje nem sabemos se algum dia o farão a um treinador de regional.

    O resultado está à vista.

    Parabéns à SAD por uma gestão destrutiva, amadora e previsível nos seus resultados. Mais ainda pela sua obscura gestão, completo black out para com os adeptos em situações como Izmailov, o porquê de Iturbe ter sido emprestado quando foi o nosso melhor extremo na pré época etc etc.

    Repito. Enquanto não vier QUALIDADE para a equipa não iremos a lado algum. Podemos inventar o que queremos como desculpas mas esta equipa está feita de 6 jogadores de topo e o resto é mediocridade, irrelevância e sonhos de potencial por confirmar.

    Sr. Pinto da Costa. Se para o Porto sobreviver tiver de se tornar uma plataforma dominada por empresários, agentes e comissões, está na hora de mudar o modelo.

    Aliás, quando qualquer clube soviético. por mais obscuro que seja, contrata os jogadores que queremos com uma simples assinatura de cheque, está provado que não estamos a ir pelo bom caminho.

    PS. No início da época todos deram os parabéns pela compra de Portugueses pois era aposta seguras e com futuro. Eu disse que dos 4 que vieram nenhum valia nada e que preferia jogar com 4 equatorianos de qualidade do que com 4 Portugueses medíocres.

    Disseram que eu era maluco. Pois aqui está. Licá, Tiago Rodrigues, Ricardo e Josué. Compramos mediocridade e, portanto, tornamo-nos mediocridade.

    1. Concordo com quase tudo o que disseste.

      Em relacao aos 4 tugas mediocres, nao concordo a 100%. Se o Licu e um monte de esterco, que ta bom para as distritais, o Tiago Rodrigues pouco jogou e do que jogou nada de jeito se viu, ainda acredito to Ricardo e no Josue. O Ricardo tem dado bons promenores sempre que e chamado e sinceramente preferia ve-lo a crescer na equipa principal em vez do Licu. Ja o Josue e diferente, pq nao consigo entender como e q o merdas do PF nao o mete uma unica vez a jogar na sua posicao. Ou o mete a trinco, ou o mete a extremo e nunca a 8. Acho que o seu temperamento moderado poderá a vir um bom medio, mas nunca um Joao Moutinho.

      Eu tb acho que anda mta gente a comer comissoes e e por isso q estamos como estamos. Treinador de merda, jogadores fracos, os melhores a serem empurrados para fora… enfim.

      Cada vez menos tenho vontade de ver a equipa a jogar, pq cada vez que vejo um jogo e um sofrimento, nervosismo e vernaculo acumulado que o coracao nao aguenta.

      Abraco,
      Joao

  2. Viva,

    É raro acabar de sair de um jogo do FCP e assumir que o empate é um bom resultado. A verdade é que foi, tendo em conta o que fizemos em campo, foi optimo! Fizemos 1 ou 2 jogadas bem feitas de ataque e o sporting a meu ver foi melhor. Bem melhor.

    O Licá, lamento, não é para o porto. Começamos o jogo com 10 como alguém disse :P

    Vamos lá ver varela e quaresma fazem melhor que esta mediocridade.

  3. “Tive o que estava à espera, algum controlo emocional perdido, inúmeros passes falhados na saída para o ataque, ineficácia ofensiva e suficiente cobertura defensiva para aguentar um jogo complicado.”

    Meu caro Jorge se eras isto que estavas à espera, que esperas para o resto da época?

  4. Uma autentica vergonha este treinador!!! A começar pelo discurso pequenino á dimensão do Paços… do resto dos erros flagrantes da SAD nem vale a pena falar!

  5. Concordo com tudo. André Martins fez uma entrada maldosa por detrás, já não me lembro a quem e nem amarelo levou e que se calhar era para vermelho, quando o Sporting estava no ataque. A entrada violenta do William sobre o Varela era outra para vermelho. Na televisão esqueceram-se de falar destas duas faltas nos casos do jogo. Como é costume…Teatro do Sporting, na linha da Academia de teatro de Alcochete. Formação “artística”. Quanto ao Herrera, que foi um desastre (e tem sido) a culpa é mais do PF. Na única vez que o puseram no seu lugar, à frente e não a trinco, parecia outro. Dizia-se que era o Ribery mexicano. Exagero, claro, mas mostra que o forte dele é romper a frente, não andar atrás a receber passes à queima dos defesas e a atrapalhar o Fernando. Todos sabem que o Fernando ficava melhor sozinho. Assim perdem os dois e principalmente perde o Porto. Não é por ser nos jogos grandes, mas não é coincidência. É que recebe ordem para ficar atrás, como peixe fora da água. Depois admiram-se. Colocar os jogadores no sítio certo, onde eles rendem mais é uma capacidade básica que qualquer treinador devia ter. Não parece o caso do nosso.

    1. desse não tens muito para arquivar. mas está cá há pouco tempo, ainda vai aprender. mas faz o mesmo com os teus, vais ver que é um exercício engraçado. e fá-lo em Sportingues-Portos. aí sim, precisas de comprar uma estante para os Vidigais, Betos, Maniches, Acostas, Oceanos, Joões Pereiras…e tantos outros…

      abraço,
      Jorge

    2. @ a8s)nónimo

      eu e muitos portistas, vimos um jogo totalmente diferente do teu.

      inferir (sim, é um termo caro, mas existe no dicionário e aplica-se no contexto em causa), que o Mangala desferiu «um murro» em Wilson Eduardo é tão estapafúrdio como aquela tarja ridícula que afirmava que por mais títulos que ganhemos, a nossa força é «banal». nem a nossa força é banal, nem o Wilson Eduardo levou um murro.

      se não te fixares nos “frames” em câmara lenta e reveres o lance em movimento tal e qual como aconteceu, aperceber-te-ás que o Mangala já vai em queda e que a sua intenção é tudo menos agredir o jogador do spórtém – antes amparar a queda. aliás, o Mangala não tem um historial de jogador violento, ao contrário do que a maioria da imprensa lusa quer fazer passar. o mesmo não se pode dizer do Rojo – e só para te dar um exemplo. infelizmente o Wilson levou com o antebraço no nariz.

      mais (e assim finalizo): se tivesse havido – que não houve, no meu entendimento – agressão, certamente que teria havido um sururu pior do que aquele que se verificou entre o vosso peidolas de serviço e o Varela – curiosamente um lance em que só este último levou amarelo e o vosso bufas em serviço passou incólume…

      e agora vai lá para o Marquês festejar o empate conseguido ante o tricampeão nacional, para a ex-taça da bjeka (se isso te deixa feliz)…

      Miguel | Tomo II

  6. Só tava a falar deste jogo, Jorge. E vê lá se pões legendas nas textboxes porque no safari não aparece nada. Não sei onde preencher. (Ah, só venho cá nos Sportingues x fcp :P )
    Vasco.

  7. Não entendo como ha tanta boa gente a dizer mal dos jogadores, que não prestam que não valem nada e outro tanto mal dizer, quando o que mais salta a vista para bom entendedor é a incapacidade do PF em meter os jogadores nas suas posições naturais e a fazer o que melhor sabem fazer!
    È claríssimo como a água que o porto tem um défice enorme de criatividade colectiva, não sabe criar jogadas de perigo a não ser por iniciativa individual e isso deve-se ao seu treinador e não á melhor ou pior qualidade dos jogadores, coitados fazem o que podem no meio da rebaldaria táctica e da teimosia do treinador!

    Eu não vejo outra solução a não ser despedir PF, a direcção acha que deve continuar, eles lá sabem melhor do que nós todos, eu cá apenas sei que quaresma não vai resolver nada porque o mal é colectivo e não individual!
    Saudaçoes

  8. Jorginho tens de tirar os óculos azuis e fazer uma análise correta. Fora de jogo mal assinalado seguido de murro é futebol? Quanto a entradas ninguém pode falar pois os do Porto não usam asas.
    A cuspidela do costume de um menino que veste uma camisola azul e que não foi devidamente ensinado na academia azul (existe?). Onde andam os delegados da liga? O que fazem no jogo? E o quarto árbitro para que serve? Para mandar sentar o Jesus? Também é pago ou trabalha de borla a troco de um bilhete para ver o jogo? Enfim nas competições europeias também estão 2 palhaços atrás das balizas que nem sequer servem para ver um penalti….

    1. @ jss

      « A cuspidela do costume de um menino que veste uma camisola azul e que não foi devidamente ensinado na academia azul »

      i)
      tem que contar a estória toda, i.e., de que o apanha-bolas estava num local interdito pelas normas do jogo – junto ao banco de suplentes do FC Porto – e de que passou esse tempo a insultar os elementos que lá estavam.

      ii)
      terá que aguardar pelo que constará no relatório do delegado ao jogo por parte da Liga. à data e hora em que escrevo estas linhas, ainda não há “fumo”, “fogo” e sequer se houve uma «cuspidela»

      iii)
      bem sei que o comentário é dirigido ao «Jorginho». mas, como “quem não se sente não é filho de boa gente”…

Deixar uma resposta