Ouve lá ó Mister – Benfica

Camarada Sérgio,

Pois cá estamos, rapaz. Chegamos ao primeiro clássico em casa desta época e a malta está mais que animada para ele. Este tradicional confronto do Bem contra o Mal faz-me voltar aos primeiros tempos deste tasco, quando escrevi um texto que agora me parece tão longínquo quanto insípido. Aquele continuava a ser eu, menos polido e se calhar um poucochinho mais sonhador, de olhos bem abertos e alegria na ponta dos dedos. Na altura, em Maio de 2009, éramos quase tetra-campeões e vivíamos numa normalidade bem distante da que hoje nos rodeia. Vivíamos, pois, na normalidade que tem sido a vida daqueles que hoje nos visitam, apesar desse tetra ter sido conquistado com menos emails, muito menos roubalheira e bastante mais talento. É a minha opinião e estou certo que pode ser diferente de muito povo, mas acredito que tu pensarás como eu.

E agora, oito anos volvidos, milhares de textos escritos e uma batelada de calos nos dedos, cervejas bebidas e gargantas arranhadas com vitórias e derrotas gritadas, aparecem estes rapazes pela frente e eu não penso um único milímetro ao lado do que sempre pensei: é para ganhar. É jogo de tripla, mas é para ganhar. Apostaria num 4-4-2, como disse no último “A Culpa é do Cavani”, porque quero bater naquela gente desde o início até ao fim. Faz com que este, que é para mim “The Longest Match”, acabe depressa ou pelo menos me ponha a sorrir descontroladamente como se tivesse paralisado o focinho com o que vejo no relvado. Ganha e encosta-os para trás. Ganha e mostra que estás aqui para ser campeão e para regressarmos ao lugar onde queremos sempre estar.

Confio em ti, Sérgio. Confiamos todos. Força, equipa!

Sou quem sabes,
Jorge

4 comentários

  1. “Apostaria num 4-4-2 (…) porque quero bater naquela gente desde o início até ao fim. ”
    Sim, porque vamos marcar logo no início do jogo e depois é só defender com 11 o resto dos 90 minutos :)
    E sairemos com os 3 pontos e apenas com 1 remate à baliza :)

    Bom jogo!

  2. Partilhamos todos deste ‘recado’ sentido. Para nós é mais do que um jogo. É, de facto, “The Longest Match”, Gostaria de ganhar nem que fosse por meio a zero, mas para me satisfazer do quanto me irritei há 1 semana (com a família a dar-me na cabeça, “Ah e tal acontece e coisa…”) com aqueles filhos de 50 putas (metade pariu um padre e a outra metade abortou o outro) era mesmo repetir a época do AVB. Se era…
    1 abç e viva o FCPorto.
    Luís Oliveira

  3. Um 5 a 0 e pedir muito ao Pai Natal! Eu que ate fui um bom menino este ano. Brahimi (dois golitos), Danilo, Herrera, Andre Andre. E uma previsao estapafurdia, louca, desconectada com a realidade, mas por toda a sua imprevisibilidade nao deixaria de ser de uma comicidade quase edonica! Deeem-me la o 5 a 0 faxavori!

Deixar uma resposta