Baías e Baronis – FC Porto 3 vs 0 Dínamo Zagreb

foto retirada de desporto.sapo.pt

Começo pelo Dínamo: não me lembro de ver uma equipa tão fraquinha a jogar na Champions, palavra. Pouco discernimento defensivo, um saco de jogadores no meio-campo e um ou outro ataque muito de vez em quando é o pouco que estes rapazes tiram de um jogo inteiro. E o FC Porto deixou-se ir no balanço da não-necessidade de acelerar acima de uma velocidade de cruzeiro que nos assenta bem e que ninguém poderia esperar que fosse assim tão diferente. Ganhámos bem, sem qualquer dúvida, com bons golos e uma ou outra jogada agradável, mas foi acima de tudo um exercício de treino, com jogadores a passo e sem se chatearem muito com o resultado ou com problemas de eventuais lesões. E não me importei nadinha porque o jogo contra o Braga está aí à porta e as prioridades, hoje à noite, estiveram bem trocadas. Mais uma vez, foi uma vitória fácil contra uma equipa medíocre e que nos assenta bem. Notas abaixo:

 

(+) Moutinho Xissa, miúdo, que belo jogo fizeste tu hoje! Para lá do livre directo (muito bem marcado), foi na luta que Moutinho esteve acima da média dos colegas (acima até do seu nível tradicional), porque recuperou muitas bolas não só pelo posicionamento mas pela luta e pela atitude. Não é à toa que os adeptos adoram vê-lo com a nossa camisola e continuo a afirmar que foi dos melhores negócios que fizemos desde que sou portista, porque é muito raro o jogo em que Moutinho está em campo a mais. As coisas podem não lhe sair sempre bem, pode falhar passes consecutivos, ocasionalmente escolher mal o timing da corrida ou da desmarcação, até pode rematar ao lado ou por cima. Mas quando João Moutinho está em campo, o FC Porto é diferente. E quando João Moutinho joga como fez hoje, inteligente, perspicaz, lutador, criativo (o calcanhar para Varela…upa upa!), o FC Porto é melhor.

(+) Mangala Muito bem na cobertura de espaços e na transição pela lateral, foi prático quando era preciso ser prático e raramente deu um metro que fosse aos avançados que lhe caíam na sua zona de cobertura. É muito alto e usa bem a força e a estatura para lutar contra o oponente directo, vencê-lo no corpo-a-corpo e sair para o ataque para tentar o desiquilíbrio. Nunca será um excelente lateral mas se fosse a Vitor Pereira, pelo menos enquanto Alex Sandro não tiver ritmo (especialmente agora contra o Braga e depois…contra o Braga), mantinha o francês na esquerda.

(+) Jackson Excelente no domínio e posicionamento para recepção da bola, correu que se fartou e lutou com todos os adversários que lhe tentaram, quase sempre sem sorte, tirar-lhe a bola. Não parece muito forte mas tem uma estupenda capacidade de choque, recebendo pancada de criar furúnculos nas costas e ombros e omoplatas e em todo o torso superior e mantendo-se estóico de pé e com a bola controlada. Foi quase sempre mal servido mas quando conseguiu alguns espaços para rematar também não foi eficaz. Merecia um golo.

 

(-) Lucho Marcou o primeiro golo, é verdade, mas durante o resto do período que passou em campo esteve “off”. Muitos passes falhados mas acima de tudo muitas transições perdidas em alturas quando podíamos e devíamos partir para ataques mais rápidos e quando a bola chegava a Lucho, as coisas paravam, travavam, amoleciam, definhavam. Não esteve mal ao ponto de ser criticado, mas também me pareceu um pouco cansado. Teve um jogo fraquinho e notou-se. Foi bem substituído.

(-) Dínamo Zagreb ou o estado do futebol croata Uma simples frase deve chegar para ilustrar o que quero dizer: o Dínamo de Zagreb, ESTE Dínamo de Zagreb, é hepta-campeão da Croácia e lidera a actual edição da Prva HNL (a Primeira Liga deles) com dez (!) pontos de avanço ao fim de 16 jogos. Uau.


Mais um milhão e mais três pontinhos para o saco, num jogo simpático, uma exibição q.b. contra uma equipa fraquinha. Surpreende-me ouvir gente a dizer que os gajos ainda criaram perigo e até podiam ter ganho, quase como se fosse um sacrilégio parar um bocadinho e descansar até o jogo de Domingo, esse sim bem mais importante que este. E afinal de contas o PSG acabou por ganhar à equipa do gordo, por isso é mesmo para decidir o primeiro lugar em Paris. E valerá a pena? Com equipas como o Milan e o Real Madrid em segundo lugar? São piores que Barcelona ou Manchester United? Não sei que vos diga.

8 comentários

  1. segundo o comentador inglês, com quem concordo, Varela was clumsy and lazy; Moutinho is qaulity with a capital Q, the defense in the first half was sloppy, James a disappointment, but the guys – first in their group, playng against one of the weakest teams in champions – won with entire justice and found here and there the inspiration to play a good game!.
    Como é que o Jorge no meio das falhas gritantes de Varela (ok, salvou um golo e marcou outro) ,nos inúmeros últimos passes falhados de James, foi buscar o Lucho para distinguir com um Baroni ?

    1. não acho que o James tenha feito um jogo tão mau, sinceramente. muitos dos passes que fez e desmarcações que tentou por entre os cerca de 46 médios do Dínamo no centro do terreno) falharam por milímetros. achei o Lucho pesado e com pouco ritmo, acima de tudo a complicar demais. talvez vendo-o ao lado de um Moutinho inspirado me tenha feito olhar para ele sob uma perspectiva diferente, mas aceito que não concordes. já o Varela…está guardado para o post de amanhã e talvez te surpreenda ainda mais que o Baroni do Lucho ;)

  2. Ficar ou não em primeiro? Acho que acima de tudo é uma questão de prestigio e de demostração que a capacidade de organização e a sua cultura, está por encima do orçamento.

  3. Foi mais uma exibição de duas faces, com a mais feia jogada na primeira parte, onde o resultado foi até bastante lisonjeiro.

    No segundo tempo a equipa evoluiu para níveis mais aceitáveis construindo um resultado confortável. Para tal contribuíram a maior intensidade de jogo, a maior velocidade, o maior empenho, o maior controlo e também a maior inspiração.

    Defour enquanto esteve em campo foi o mais pendular. Moutinho, Lucho, Otamendi e James, apareceram a espaços, uns com mais influência que outros.

    Um abraço

  4. Milão está ao alcance do Porto. É uma amostra do Milan de anos recentes. Nem se compara com barça ou united. O real sim, é do mesmo nível. Mas o 1º lugar é melhor que o 2º. Existem adversários mais acessíveis.

Deixar uma resposta