Baías e Baronis – FC Porto 1 vs 1 Nacional

A noite já estava fria e nada parecia querer ajudar a aquecer. O jogo arrastava-se, pastoso, com ataques fracos, insipientes, tristes. Alguns bons passes iam sendo trocados pelos pés de Josué e Lucho, várias boas arrancadas de Danilo e carrinhos perfeitos de Otamendi, no meio de muita parvoíce, passes falhados, pouco discernimento perto da área e remates tortos. E o golo demorou a chegar, mas chegou com alguma justiça. E depois…nada. Nada. Uma inacreditável apatia, a que infelizmente nos temos vindo a habituar, apoderou-se dos jogadores do FC Porto e voltaram, como tinham feito desde o início da temporada, a relaxar com uma vantagem de um singelo golo que pode ser ultrapassada por um pormenor, uma falha, uma desatenção. Foi mais um exemplo da falta de atitude de muitos, começando no banco e passando para o relvado, onde a equipa que por ali passeava para voluntariamente sofrer uma paulada na nuca continuou a cometer os mesmos erros, com a mesma personalidade inexistente que este ano tem sido a imagem de marca de uma equipa. Nós, os adeptos, merecemos mais que isto. Penosas notas abaixo:

(+) Josué. Lutou enquanto pôde e o deixaram e só não o fez mais porque saiu a meio da segunda parte sem que tivesse feito por merecer a saída. Vários passes bem medidos, alguns remates com perigo mas acima de tudo a atitude de um lutador, que tem o coração quase de fora da boca (e dos dedos, como se viu na passada terça-feira) mas que dá o que tem. E como diz o ditado, quem o faz a mais não é obrigado.

(+) Fernando. Continua a ser um dos jogadores em melhor forma do plantel, numa altura em que joga preso a uma movimentação que estranha por não estar habituado a ter um homem a seu lado. Serviu como principal construtor nos inícios das jogadas ofensivas, recebendo a bola dos centrais e tentando progredir de forma a criar desiquilíbrios num dos ataques menos móveis da história do clube.

(+) Danilo. Está com mais vontade, muito mais moral e acima de tudo mais segurança na posse de bola. Não fez um jogo quase perfeito como tinha feito contra o Sporting, mas mostrou ao colega do outro flanco que se pode de facto subir com a bola controlada sem a perder infantilmente, usando o extremo como ponto focal enquanto inclina a trajectória da corrida para dentro ou pela linha a pedir o passe em situações de overlap. Está a ter o melhor ano desde que chegou.

(-) Atitude, ou a falta dela. Não consigo entender como é que se defende um resultado de um a zero. Não só não consigo como acho estúpido, pá, processem-me. Mas um único golo de vantagem parece transformar a cabeça de meia-dúzia de rapazes como se passassem dez modelos da Victoria’s Secret em frente a eles de cinco em cinco minutos e se roçassem umas nas outras enquanto o faziam. É certo que não temos uma equipa com o nível técnico de outros tempos, porque basta reparar na forma como passam a bola uns aos outros que se consegue logo compreender que talento não abunda nalgumas das áreas fundamentais do futebol. Mas começar a brincar (A BRINCAR, CARALHO, A BRINCAR COM A PUTA DA BOLA NOS PÉS E O ADVERSÁRIO PERTO!), com passes picados de cinco metros, domínios de peito para perder a bola para o adversário, passes na queima, passes para o lado sem saber se está lá o colega, ressaltos consecutivamente perdidos porque Deus me livre se alguém mete o pé à bola (não te exaltes, Josué, não estou a falar de ti), combinações que nem no PES funcionam e desatenções insuportáveis…todos estes são resultado de falta de pulso firme por parte do treinador. Para lá da táctica (que não funciona), das substituições (que raramente resultam), das escolhas para o plantel (questionáveis, mas dependentes de resultados) ou da ineficácia em frente à baliza (que acontece), o que falta é um chefe. Um treinador a sério, ou pelo menos que aja como tal. Não consigo entender que este tipo de situações aconteçam de uma forma tão rotineira e aparentemente natural, em que tantos lances sejam desperdiçados porque Alex Sandro passou a bola a vinte metros directamente para os pés de um adversário, ou porque a equipa ataca e contra-ataca em constante inferioridade numérica, ou porque Herrera demorou seis anos e meio a decidir com que zona da bota vai acertar na bola, ou porque Otamendi insiste em ter falhas do tamanho da Torre dos Clérigos (e hoje até estavas a jogar bem, meu estupor). Um treinador a sério tinha dado semelhante murro na mesa que ninguém se atrevia a fazer o mesmo erro duas vezes. E começo a acreditar que Paulo Fonseca, pela atitude que tem demonstrado, está satisfeito com o que os jogadores fazem em campo. Eu não estou. E por isso é que não sou treinador de futebol, porque é possível que fosse obrigado a ter um desfibrilador carregado no banco ao lado da minha cadeira. Não admito este tipo de faltas de atitude em jogadores do FC Porto.

(-) Varela. Conhecem aquelas máquinas usadas nas “batting cages” onde os americanos vão abanar um taco, ou em treinos individuais de ténis? As que lançam bolas sem se saber muito bem onde irão parar, por forma a treinar a coordenação motora e os arranques rápidos? Varela está cada vez mais parecido com uma dessas engenhocas, com a mobilidade e o domínio de bola a condizer com uma que seja feita de cimento. É fácil caracterizar a exibição dele hoje, usando sempre a palavra “não”: não cruzou em condições; não dominou uma bola decente; não fez um arranque suficientemente rápido para ultrapassar o homem que o defendia; não rematou à baliza (incluindo um pontapé que deu em lançamento lateral); não se pode queixar da sua substituição ter sido aplaudida. Não. Fez. Nada. Mariano González com três litros de vinho e o pé direito amarrado às nádegas tinha feito melhor.


Não saí triste do estádio. Saí chateado. Chateado com o treinador, com os jogadores, com a atitude passiva, com as falhas, com os passes mal medidos, com tudo menos comigo por ter optado por ir ao Dragão. Ser adepto dá nisto: há jogos bons, há jogos maus…e há jogos destes.

19 comentários

  1. “Foram 30 remates, 77% de posse de bola” e?????

    e????

    depois do nacional empatar rezei para marcarem o 2, já tou farto de te ver conduzir sem carta de condução, para quando uma operação stop e levarem te dentro.

    2 jogos perdidos em casa na champions….. injustos claro…..
    pontos perdidos no campeonato…. injustos claro…..
    exibições medíocres …. opiniões injustas claro….

    um treinador de 2ª ainda a treinar o grande fc porto…..

    simplesmente injusto para todos os adeptos deste clube.

    Ganha vergonha e mundo.

  2. Um treinador do FC Porto que vai para uma conferência de imprensa de um jogo de campeonato revelar os temores e receios ,na minha opinião revela a estrutura mental deste sujeito que penso que possui competências para o cargo que ocupa.,Vitor Pereira é “um mourinho….”

    Bem sei que vamos em 1º lugar , mas com a falta de ambição e entrevistas iguais a do Defour e com a pressão da imprensa tendenciosa não auguro um bom futuro.

    Em Janeiro ,vai haver alterações no plantel que com o tempo de adaptação não irão ter o rendimento esperado( aquisições).

    Depois da ilusão no inicio da época ,a temporada que vem a minha mente é a de 2004/05,já que muitas semelhanças são análogas.

  3. O sentimento é mutuo em relação à atitude. Marcamos o golo e pareceu que esmoreceram… ontem a ordem deve ter sido ‘tens espaço remata à baliza’ o que eu até não discordo… tirando o varela que duas vezes isolado nem entre os postes conseguiu meter uma as outras foram lá perto. Continuo sem perceber as substituições que este tipo faz e isso chateia-me sobejamente e é isto, já ninguém tem paciencia para empates merdosos ( se este fosse caso unico…) ou para ouvir o pacóvio dizer que a equipa jogou bem.

  4. Meu caro mais uma vez o discurso de PF é o de desculpar os jogadores o discurso de ontem “…melhor exibição dos últimos tempos…”, o que é isso?
    Assim até prefiro a volta do Otávio Machado (nunca pensei dizer isso na minha vida).

  5. Jogamos pouco ou nada, como temos feito a época toda.
    A diferença é que agora temos perdido pontos, e já estourámos 4 pontos de vantagem que tinhamos sobre Benfica (e vamos lá ver se sobre o Sporting também).

    Quase que concordava com o Baía a Danilo, mas o lance do golo do Nacional, onde ele está mal posicionado, e depois entra à bola completamente à queima, tipo jogador dos infantis, deu cabo da pintura toda.
    Agora é ver se perdemos na terça para mandar esse pseudo-treinador embora.

  6. Minuto 79m. 1-0. Imagens Sporttv mostram Ricardo a conversar no banco com Reyes, nenhum deles a aquecer.
    Minuto 81m. 1-1 Paulo “Ferreira” desespera porque não vai poder pôr Ghillas aos 85m.
    Minuto 85m Entra Ricardo, que devia estar quentinho, quentinho…

    Digam lá se não é pura incompetência num jogo com o resultado em aberto não ter três jogadores a aquecer prontos a entrar? Pôr só o Defour a aquecer durante horas e depois “ai Jesus” vai entrar o Ricardo que é para não parecer mal??

    E vai se para um jogo contra uma equipa de m***** como são 90% das equipas do nosso campeonato sem um ponta de lança no banco de suplentes? Nem mesmo o Kelvin? e Joga-se com apenas dois atacantes, três médios centro e um falso extremo (Josué)? Que até estava a ser o melhor do FCP até ser substituido?

    Ontem já era tarde. Já desde os jogos com o Trofense e Gil Vicente em casa que digo que o Paulo “Ferreira” não tem estaleca para isto

  7. Quando vamos perceber que temos um plantel fraquíssimo???? contra isto não á argumentos! culpa da merda da sad que não investiu como devia ter feito! vendeu-se Moutinho e james e quem contrata-mos ??? agora a culpa é do treinador??? sem ovos não se fazem omoletes, é simples!

  8. sinceramente não sei como o público no sábado (e reparem que já só esteve lá o tal “honroso grupinho dos 25000”) ainda não mandou o PF ir po caralho… o gajo é uma nulidade. não, a culpa não é do plantel, que está mais forte do que o ano passado. a culpa é dum treinador que tem zero capacidade para por os jogadores disponíveis a jogar duma forma que potencie as qualidades deles. estou farto do gajo.

  9. Também não vejo a culpa no plantel, vejo é má decisões do treinador. Sim perdeu o james e o moutinho…

    Tem o iturbe, o kelvin, o quintero. Se o gajo prefere o defesa licá lá na frente e o 8-80 do varela a culpa é dele. Este jogo foi um optimo exemplo de como não temos um extremo que vá à linha e centre. O josué ia para o meio. o varela não sei se jogou.

    O golo foi um centro do danilo de trás. Tivemos … qtos cantos ? E só num criamos perigo ?

  10. Aviso prévio: vou usar vernáculo, caso o dono da casa me consinta.
    Primeiro: o filho da puta do horário do jogo. Sábado à hora do jantar? E quem tem família? E quem tem filhos pequenos que ainda não vão ao futebol? E quem trabalha a semana toda e mal está com os filhos e vai ao estádio ver a merda que aqueles 11 cabrões fizeram em campo?
    Segundo: Apetece-me pegar numa faca e cortar a jugular dos filhos da puta que vêm para aqui dizer-se portistas e depois desejar a derrota da própria equipa, DA PRÓPRIA EQUIPA!
    Terceiro: PF, ou ganhas na terça e mais dez jogos seguidos, no mínimo, ou uso a puta da faca na tua jugular.
    Dasse, já descarreguei a bílis.

  11. Não tenho visto os últimos jogos do Porto mas quer-me parecer que estamos no mau caminho.

    Muito me espanta criticarem um treinador e não criticarem quem fez o “Casting”. Presumo que a Champions já era (o Atlético vai jogar com os reservas contra o Zenit) e que a Liga, depois da ilusão dos 5 pontos de avanço, também vai pelo cano. Ainda para mais para o Sporting.

    A mudar de treinador tem de ser agora (Novembro) senão mais vale estarem quietos.

    Pessoalmente preferia que contratassem um adjunto decente e deixassem o PF apenas a motivar a malta mas sem input técnico tático.

    Podia ser que a coisa se aguentasse até ao Verão.

  12. Saí do pavilhão satisfeito com um grande jogo de hóquei em patins, em que aqueles jogadores (sim aquilo são jogadores) deram o que tinham e o que não tinham para derrotar o super Barcelona. Ali vi, raça, empenho, vontade e a verdadeira alma portista.
    Chego ao estádio e durante 90 minutos, vi um grupo de vaidosos bem pagos, gozar com quem acompanha o clube e por ele dá tudo!

  13. PF apenas a motivar a malta ….. onde é k ele motiva alguem?

    ah…. foi injusto, voces jogaram bem mas perderam….

    pelo k tenho visto este PF é o maior motivador que eu conheço…. lol

    Apetece-me pegar numa faca e cortar a jugular dos filhos da puta que vêm para aqui dizer-se portistas e depois desejar a derrota da própria equipa, DA PRÓPRIA EQUIPA!

    dizem isto e depois dizem isto:

    Terceiro: PF, ou ganhas na terça e mais dez jogos seguidos, no mínimo, ou uso a puta da faca na tua jugular.

    mas afinal o k é k kerx , decidam-se…. no minimo dez jogos seguidos…. secalhar tavas a dizer estar a ganhar 10 minutos seguidos não…

    para mudar o gajo tem de sair, e pra sair a euipa tem de perder…que perca seguido ate ele sair…

  14. Concordo com practicamente tudo o que foi dito. Só acho que, em campo falta muito mais do que atitude. Falta treino, faltam esquemas treinados, falta a disposição correcta dos jogadores no campo. Qualquer que ela seja.. Vê-se que os jogadores estao longe de terem uma ideia de como se deve jogar. Gostava de saber como encontrar aqueles gráficos com a actividade das equipas que aparecem ao intervalo para mostrar a situaçao. O Porto tinha a maioria da posse de bola entre Maicon e Otamendi! Inexistente nas alas. Até o Nacional, que estava mais defensivo, tinha um gráfico mais espalhado pelo centro do relvado, entre a área e o centro do campo. Para que nos serve 70% de posse quando 60 se perde nas trocas entre os centrais? Como é possível não haver regsto no gráfico da actividade nas alas? E isto foi ao intervalo, na segunda parte deve ter sido pior.

Deixar uma resposta