Cansados

  • Sapunaru em 18 de Março de 2011: 32 jogos
  • Danilo em 18 de Março de 2013: 34 jogos
  • Danilo em 18 de Março de 2014: 38 jogos
  • Álvaro Pereira em 18 de Março de 2011: 27 jogos
  • Alex Sandro em 18 de Março de 2013: 29 jogos
  • Alex Sandro em 18 de Março de 2014: 38 jogos
  • Fernando em 18 de Março de 2011: 31 jogos
  • Fernando em 18 de Março de 2013: 29 jogos
  • Fernando em 18 de Março de 2014: 36 jogos
  • Varela em 18 de Março de 2011: 35 jogos
  • Varela em 18 de Março de 2013: 34 jogos
  • Varela em 18 de Março de 2014: 37 jogos
  • Falcao em 18 de Março de 2011: 31 jogos
  • Jackson em 18 de Março de 2013: 34 jogos
  • Jackson em 18 de Março de 2014: 39 jogos

Três épocas: a de Villas-Boas, com um plantel curtíssimo; a segunda de Vitor Pereira, com um plantel mais extenso mas onde jogavam quase sempre os mesmos; e a época que ainda dura.

Pode não ajudar a explicar tudo…mas que os rapazes andam estourados, não tenho grandes dúvidas…

8 comentários

  1. Estava a ver o jogo e a comentar isso mesmo com os meus parceiros destas andanças, ontem voltei a falar do mesmo com amigos que jogo à bola.

    Fisicamente esta equipa está de rastos, a juntar à falta de confiança e aos erros tácticos os erros individuais acontecem muito mais frequentemente do que esperado.

    Acho que domingo vamos ter uma poupança em muitos elementos tendo em vista o jogo de quarta contra o Benfica, eu faria isso, vamos ver o que Luís Castro pensa.

    Já na quinta temos de ir com os melhores, e com a dificuldade que vamos ter para formar a defesa não se pode inventar muito.

  2. Caríssimo

    Uma coisa que sempre me fez espécie, são duas:

    1) De planteis que se formam com 25, 26, 27 jogadores (falo pelo Benfica, com que simpatizo, mas imagino que o FCP seja por aí, também.) jogam sempre os mesmos 14/15. Talvez as estatísticas me contradigam, mas imagino que não.

    2) Se compararmos com a Inglaterra, que tem 38 jogos no campeonato, mais a FA Cup que serão 6, mais desempates, mais a Taça da Liga, que serão outros tantos, mais a Champions/ Euroleague, onde normalmente jogam mais que nós, vemos que por lá os planteis são mais curtos e estão sempre a jogar – não há tanta rotatividade como isso.

    Mas do meu lado, oiço sempre o mesmo – coitados estão cansados; do seu, idem. Não são pagos para jogar? E fazem algo mais?

    Penso que o problema talvez seja mais largo; em Inglaterra quem para lá vai já não pensa sair; por cá o SLB e o FCP são cada vez mais aeroportos; luxuosos, onde ainda se podem passar duas ou três noites e querer visitar a cidade/país, mas de onde se espera apenas o próximo avião. Se fizermos um rápido exercício, sabemos que Rodrigo, Garay, e mais alguns, já não jogarão a próxima liga; do lado do FCP, idem, a outros jogadores fulcrais. Está aí uma primeira explicação para o ressurgimento do SCP (há outras, claro) e o que se vai passando no SLB e no FCP. (E explica como o SLB perdeu os últimos dois campeonatos, também)

    Um abraço; quem sabe quando for a Ponte de Lima não almoçamos por aí no FCP, e dizemos dos respectivos clubes?

    Alberto

    1. de acordo quanto à rotatividade, mas não comparemos com inglaterra. tantos jogadores que para lá foram e não aguentavam o ritmo porque simplesmente não têm físico para isso. e o Alberto sabe que quando o corpo vai, a mente não resiste muito, especialmente se estivermos a falar de “meninos” como estes hoje em dia parecem ser. são pagos para jogar, é verdade, mas há limites para o quanto se consegue aguentar consecutivamente e acho que o FC Porto (e o Benfica também, vejamos que a rotatividade do JJ foi um dos motivos pela recta final assustadora do ano passado) tem vindo a agravar a tentativa de rentabilização dos activos de uma forma tão exagerada que se prejudica como clube.

      um dia destes quando passar em Ponte de Lima combina-se aí uma sarrabulhada regada com o melhor verde do mundo que é aí da zona. tinto, claro, à malga! :)

      um abraço,
      Jorge

  3. Sim estao mais rotos. Mas nao serve de desculpa. Com a exepcao do abusivo uso dos laterais que nunca foram convenientemente trocados, (perdeu-se uma oportunidade de ouro para dar minutos a Quino, Rafa ou Victor Garcia) os restantes tem jogado o que se esperava. Nao se poderia esperar que existisse muita rotacao ao Fernando ou ao Jackson, especialmente tendo em conta que um (Fernando) nao tem substituto e o outro tem um substituto que passou grande parte do ano a jogar 5 minutos por jogo.

    Agora acho que está tudo a desesperar em demasia, a disparar em todas as direcoes. Sim é uma pena que este ano provavelmente nao ganhemos nada mais do que a Supertaca, mas também chegar ao ponto de já ter condenado a equipa, a SAD, as camadas jovens e o roupeiro ao exilio do Porto é um bocado extremo. Recordo que já vimos este caso noutras ocasioes (triunvirato Couceiro-Fernandez-Del Neri) e até tinhamos melhor equipa na altura.

    Infelizmente nao podemos ganhar sempre, e acho que todos sabemos que se no ano passado vencemos o campeonato foi mais por desgraca alheia do que por mérito. Esta estrutura tecnico-tactica do Porto já se vem desmoronando desde a conquista da Liga Europa.

    Agora resta aprender com esta disparatada total e melhorar no ano que vem.Especialmente a abordagem ao mercado que deverá ser feita com pincas.

    1. Completamente de acordo!

      As duas ultimas épocas ganhamos por falta de comparência adversária.

      O VP também é bom moço e Moutinho ou Lucho eram bons mas faltava espinha dorsal matadora à e todos sabemos disso. Está na hora de investir em bom talento rude – insisto que vedetas no Porto, não – e trabalhar potencial.

      Creio que com o Castro podemos ir lá, o problema não é necessariamente, neste momento, o treinador.

  4. Até nesse aspecto continuamos a sofrer com a herança Paulo Fonseca…

    Quando vi a Taça da Liga e a Taça de Portugal ser disputada sempre pela equipa principal, vi logo que iamos pagar caro mais adiante…

    É inacraditável a equipa estar nestas condições lastimáveis, quando temos um banco rico em opções…

    Como se justifica o numero de jogos que o Jackson tem com o Ghilas no banco?

    Como se justifica o numero de jogos que o Fernando tem com o Defour a poder fazer o lugar de vez em quando? Ou mesmo Mikel?

    Como se justica o numero de jogos que os laterais tem quanto tivemos o Fucile, até se chatear por não jogar, nos primeiros meses da época? Ou mesmo quando temos 3 laterais nos B’s com capacidade de jogar de vez em quando? Ou ainda com a opção Ricardo?

    E temos mesmo o Varela a jogar demasiado, com tanta gente a poder jogar no seu lugar de vez em quando (Kelvin, Ricardo, Ghilas, Licá ou mesmo Kayembé ou Ivo).

    A nossa equipa B, só este ano, tem alguns talentos que cresceram mais que o sufeciente, para terem minutos na A… E minutos a sério e não a entrarem aos 92m de jogo.

    Mikel, Tozé, Rafa, Victor Garcia e mais recentemente Kayembé,Ivo e Gonçalo Paciência, são jogadores que já deveria ter jogado 10m/20m (1 deles é claro), por exemplo, contra o Arouca, depois do 3-1, mas nem no banco estavam para isso poder acontecer.

    Contudo neste ponto, não posso nem estou a criticar o Luis Castro, pois ele tinha de ganhar jogos e segurar os da equipa A, e não teve tempo para pensar na promoção da equipa B.

    Agora, com o campeonato perdido e com o 2º lugar a léguas, está na hora de pensar em lançar esta juventude num ou noutro jogo, que são mesmo o nosso futuro e temos que nos agarrar a eles, para além de fisicamente, parecerem bem melhor que os As…

    1. O segundo lugar não está a léguas. Mas assino por baixo o que escreves sobre os Bs.

      Demasiada qualidade para estarmos sempre a usar os mesmos.

  5. Os erros que nos têm custado caro ocorrem no final dos jogos, sistematicamente, e isso é demonstração de falta de físico…
    também não é só uma questão de rotatividade; em épocas de AVB e Mourinho e campeonato da europa muitos jogos fizeram aqueles meninos e sem quebras!
    Estes já estavam cansados no jogo contra o Atlético …

    Acho que duas questões são importantes: a psicossomática, e claro o preparador físico… não faz sentido o preparador físico fazer parte da equipe técnica! Tinha de haver um preparador, pago a peso de ouro se necessário fosse, que fizesse parte dos quadros do clube… cada jogador teria de ter um programa próprio… – o Maicon está sempre a ter o mesmo tipo de lesão… não pode ser…

    Enfim, amanhã não há cansaço ; amanhã têm de fazer das tripas coração e saírem de lá com a passagem aos 4 da LE… (Amanhã, acho bem que o Varela jogue outra vez, e se esqueça do cansaço… ou então arrisca-se a ver o mundial tela tv…)

Deixar uma resposta